AnálisesPS Vita

Análise – London Detective Mysteria

Análise

NOME: London Detective Mysteria
FABRICANTE: Karin Entertainment
PLATAFORMA: psvita
GENERO: Visual Novel
DISTRIBUIDORA: XSEED Games


LANÇAMENTOS
18/12/2018 18/12/2018 11/02/2016


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: qHD
Nº de Jogadores: 1
Troféus (inclusive Platina)
Espaço necessário: 1,5 GB
Disponível na PlayStation Store
Legendas em PT-BR: Não
Dublagem em PT-BR: Não


Após receber alguns jogos para o PlayStation Portable e ganhar tração com o PlayStation Vita, o mercado de otome é um dos últimos ainda presentes no portátil da Sony, agora com mais uma publisher nesse mercado. London Detective Mysteria é um otome desenvolvido pela Karin Entertainment e publicado no Ocidente pela XSEED Games, seu primeiro jogo do gênero quase sete anos após o lançamento da plataforma.

London Detective Mysteria começa com uma premissa bastante interessante. Você acompanha a história de Emily Whiteley, uma jovem garota que, após perder seus pais para um misterioso assassinato quando ainda era criança, agora é a responsável pelo império deixado pela família. Como tudo se passa na Londres do final do século XIX, a ideia era de que Emily se tornasse uma lady e aguardasse a idade para se casar, mas nossa protagonista decide se tornar detetive após um incidente com a Rainha da Inglaterra e entra na mais renomada escola de detetives da Inglaterra.

Na escola de detetives, Emily faz vários amigos e possíveis pretendentes ao seu afeto, como os filhos de Sherlock Holmes, Watson e Arsene Lupin, assim como outros mais diferentes como Jack o Estripador. Todos são jovens estudantes da academia de detetives, porém que nem sempre tem exatamente um objetivo por estar estudando na academia. Você simplesmente se matricula na academia e todos já são alunos, nem sempre com uma motivação que é explicada no jogo.

Otomes são jogos em que você controla uma protagonista mulher e desenvolve laços afetivos com outros personagens, basicamente um jogo com pretexto de romance. Alguns jogos focam mais no aspecto do romance, sabendo bem quem é o seu público-alvo, enquanto outros conseguem narrar ótimas histórias sem tornar um jogo unidimensional focado no romance.

Após ter jogado vários e vários jogos do gênero, é possível ver que a construção mais frequente e mais simples para fazer com que o jogador sinta algo pelos pretendentes ao afeto da protagonista é o cliché da donzela em perigo, em que a história coloca a garota em apuros, apenas para ser resgatada e salva por um homem. London Detective Mysteria peca, num nível absurdo, ao se apoiar nesse cliché.

O jogo possui capítulos que são comuns em todas as rotas, para depois focar nos últimos capítulos em cada pretendente que você possa ter escolhido durante o jogo. O problema aqui é que Emily, uma jovem detetive que apesar de teimosa, é bastante astuta durante os capítulos comuns, é drenada de toda inteligência e capacidade nas rotas específicas dos seus pretendentes.

Não é fácil fazer com que o jogador sinta de fato um romance crível num jogo com apenas algumas horas, é uma árdua tarefa para os desenvolvedores, então não é de todo um mal que existam jogos que se apoiem nesse cliché da donzela em perigo. O problema, no caso desse jogo, é que chega a ser perverso o modo com que a protagonista se coloca em situações absolutamente absurdas para que possa ser resgatada.

Enquanto nos capítulos comuns, ela ajuda seus colegas e desvendarem mistérios, nas rotas específicas, toda e qualquer decisão tomada por ela leva ao desastre, que quase sempre sofre as repercussões totalmente sozinha. Todos avisam que a cidade é perigosa, pois ela decide mesmo assim ir a pé até uma casa do outro lado da cidade, apenas para encontrar o perigo no caminho e ser salva.

O pior de tudo é o nível do perigo que ela passa. Emily chega a ser estapeada, agredida, cortada, abusada, quase estuprada, até mesmo recebe um tiro de espingarda à queima-roupa na perna – sim, um tiro de espingarda, tudo em nome de ter alguém para salvá-la desse tipo de situação.

Tendo jogado outros jogos do gênero, eu sei que é possível construir uma história sem chegar a esse nível perverso do cliché de donzela em perigo, é quase como se os desenvolvedores sentissem prazer em colocá-la nesse tipo de situação. Isso, sem contar também, nos incessantes comentários de seu mordomo sobre seu peso e a sua forma, repreendendo a jovem Emily de comer o que tem vontade para não perder a sua beleza.

De resto, a arte é muito bonita, além da trilha sonora ser bem divertida e a localização, apesar de contar com vários erros e até mesmo frases completamente erradas, foi capaz de fazer uma boa caracterização da fala dos personagens de época. Mesmo assim, com esses pontos positivos, somente os mais fortes, ou mesmo mais sádicos, conseguirão aguentar acompanhar todas as situações grotescas que fazem a protagonista passar por mais de 30 horas de jogo.

Veredito

London Detective Mysteria é cruel, vil e repugnante na forma em que constrói seus romances ao custo da integridade física e moral da protagonista. Difícil acreditar que a protagonista não termina o jogo extremamente traumatizada e que consiga viver seu final feliz com quem quer que seja.

Jogo analisado com código fornecido pela XSEED Games.

25%