AnálisesPS4

Análise – Life is Strange 2 – Episode 1: Roads

Análise

NOME: Life is Strange 2 - Episode 1: Roads
FABRICANTE: DONTNOD Entertainment
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Adventure
DISTRIBUIDORA: Square Enix


LANÇAMENTOS
26/09/2018 26/09/2018 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p
Nº de Jogadores: 1
Troféus (inclusive Platina)
DLC
Espaço necessário: 9,55 GB
Disponível Exclusivamente na PlayStation Store
Legendas em PT-BR: Sim
Dublagem em PT-BR: Não


Entre os vários jogos de adventure lançados nos últimos anos, Life is Strange foi uma experiência marcante. A jornada de Max e a excelente mecânica de poder voltar no tempo foram fora de série. No ano passado, retornamos mais uma vez a Arcadia Bay com Chloe em Before the Storm antes de dizer adeus às duas personagens.

No entanto, com a notícia de que Life is Strange 2 seguiria outros personagens, muitos fãs ficaram divididos. Agora, com o primeiro episódio lançado, temos uma noção melhor do que nos aguarda em mais essa jornada.

Life is Strange 2 segue a história dos dois irmãos, Sean e Daniel Diaz, de 16 e 9 anos, respectivamente. Devido a certos acontecimentos, eles são obrigados a fugir de casa após um trágico incidente em Seattle. Com medo da polícia, os dois vão em direção ao México, na tentativa de ocultar um misterioso poder sobrenatural.

É difícil comentar sobre o enredo sem entregar os acontecimentos da trama. Mas saiba que o primeiro episódio mostra que uma história promissora pode estar a caminho. Só saberemos a qualidade como um todo quando todos os episódios forem lançados.

O jogador controla Sean (ao menos no primeiro episódio). Ele é o irmão mais velho e não possui poderes especiais (até onde sabemos). Devido a certos acontecimentos, ele descobre que seu irmão Daniel possui algo de diferente e acaba colocando o pé na estrada devido aos acontecimentos desencadeados pelo seu pequeno irmão.

Ou seja, no início do episódio você ficará sabendo mais sobre o cotidiano de Sean: seu relacionamento com o seu pai e o irmão menor, a sua amizade com Layla, o seu interesse amoroso e assim por diante. Depois do tal acontecimento sobrenatural, o jogo começa a se passar na estrada, onde tudo se torna incerto.

O enredo do episódio é ótimo. Há reviravoltas, um pouco de ação, compaixão e é provável que você fique emocionado em alguns momentos. A trama também oferece discussões políticas e sociais, principalmente relacionadas aos EUA atualmente. Portanto, enquanto que o bullying era um tópico muito importante no primeiro jogo, a sequência destaca os problemas em torno do racismo.

Um das mecânicas do primeiro Life is Strange é que podíamos retornar no tempo e alterar as nossas decisões. Isso não está presente na sequência. Sean é um garoto normal (ao menos por enquanto) e é seu irmão que possui um poder misterioso. Por causa disso, o jogador se torna passivo na história. Vejo isso como algo negativo: afinal, o gameplay se torna idêntico a qualquer outro adventure.

Quando estão na estrada, há algumas interações com Daniel (o irmão menor), como chamá-lo ou pedir que ele verifique algo. É bastante provável que o poder de Daniel seja implementado no gameplay no segundo episódio, portanto não faremos uma crítica formal por enquanto. Mas caso isso não ocorra e Sean seja passivo a história inteira quanto a poderes, será algo bastante decepcionante.

O episódio dura cerca de 2 a 3 horas, dependendo do quanto você explorar os ambientes. Para os colecionáveis relacionados aos troféus, é possível rejogar o episódio no modo colecionador como os outros games da série Life is Strange, caso tenha perdido algum (não é preciso rejogar tudo, portanto).

As legendas em português do Brasil estão disponíveis – o que é um ótimo ponto positivo – e a trilha sonora continua sendo outro ponto forte do título. Os gráficos, no entanto, ainda continuam bastante simples. Há uma melhora natural em relação ao anterior, mas podem acontecer erros como as texturas simplesmente desaparecerem, por exemplo. Inclusive, o jogo chegou a travar em um dado momento em nossos testes.

No fim, jogamos apenas 1/5 do game, por isso é difícil concluir algo. O que podemos dizer é que o enredo, por enquanto, prende o jogador e a história parece que será memorável. Ou seja, gostamos do que vimos. Mas a ausência do poder nas mãos do jogador e a perfomance técnica do game são pontos negativos que precisam ser ressaltados.

Veredito

O primeiro episódio de Life is Strange 2 nos apresenta aos irmãos Daniel e Sean de uma maneira simples e eficaz. Você se sentirá emocionalmente ligado a eles de alguma forma e a história é promissora. No entanto, a perfomance técnica do jogo apresenta problemas. Além disso, neste primeiro episódio ainda não existe uma mecânica no gameplay atrelada ao “poder” de um dos irmãos, o que tira o diferencial desta série em relação a outros adventures. De qualquer forma, estamos ansiosos pelo segundo episódio.

Jogo analisado no PS4 Pro com código fornecido pela Square Enix.

80%