Tales of Arise: Beyond the Dawn – Review

Tales of Arise, o RPG da saga Tales of lançado em 2021, foi muito aclamado pela crítica especializada, inclusive por nós aqui do PSX Brasil. Agora, dois anos após o lançamento oficial, a Bandai Namco achou que seria uma boa ideia lançar Tales of Arise: Beyond the Dawn, um DLC de história para o título, ao invés de focar em um novo jogo da franquia.

Tales of Arise: Beyond the Dawn chegou para contar o desfecho dos povos de Dahna e Rena após os acontecimentos da trama original, mas será que esse conteúdo vale realmente a pena ou é apenas para encher linguiça?

Nota: Vale enfatizar que este review pode conter spoilers da história principal.

Tales of Arise: Beyond the Dawn
O primeiro DLC de história foca em Nazamil, uma garota com sangue misto de um Rena e um Dehna. Fonte: PS5 Create

Tales of Arise: Beyond the Dawn, se passa um ano após os acontecimentos da trama original. O foco aqui está numa garota chamada Nazamil, filha de um lorde que possui sangue de Rena e Dahna, sendo um caso raríssimo na história. Muito mais do que isso, o DLC também mostra como o mundo está com a junção dos dois povos que, por muitos anos, se detestaram e entravam em conflito constantemente devido à escravidão.

Tales of Arise é o primeiro jogo da franquia a receber um DLC de história como esse. O mais estranho aqui é, na verdade, o tempo levado para ser lançado, tendo em vista que o jogo saiu originalmente em 2021. Se formos considerar o timing desse lançamento, a ideia de trazer conteúdo adicional ao invés de um jogo novo é péssima, por outro lado, poder rejogar um dos melhores Tales of já lançados é gratificante e extremamente divertido.

Não há muitas mudanças técnicas ou gráficas em Tales of Arise: Beyond the Dawn. Todo o universo continua super colorido e rico em detalhes, sendo um dos jogos mais belos que eu já vi desde que a saga tomou esse rumo lá atrás, com Tales of Xillia, lançado para PlayStation 3 em 2013.

Um dos pontos fortes aqui continua sendo a jogabilidade. Embora eu já tenha sido muito enfático no review do jogo original, vale ressaltar que é extremamente divertido e dinâmico controlar os personagens em Tales of Arise. Até mesmo os magos do grupo tornam-se peças importantes, já que agora seus ataques convencionais são tão úteis quanto os usados pelos guerreiros focados em ataques físicos.

Tales of Arise: Beyond the Dawn
Para aproveitar ainda mais as batalhas do jogo, também é possível selecionar o modo “Desconhecido”, que deixa as lutas ainda mais intensas. Fonte: PS5 Create

Ao contrário de outros DLCs, Tales of Arise: Beyond the Dawn não está atrelado à campanha principal, ou seja, é preciso ativar o conteúdo dentro de um menu separado. O título não exige que você tenha terminado o jogo, porém, a verdade é que se você não fizer isso, nada fará sentido. Além da inexistência do “apego” emocional aos personagens da trama, muitos spoilers serão dados sobre o que aconteceu no passado.

Além do jogo não exigir que você tenha terminado a campanha principal, ele automaticamente define um nível adequado para você lidar com os perigos do mundo de Tales of Arise. Caso você tenha zerado a campanha principal, alguns bônus serão garantidos, como armas especiais e mais alguns níveis.

A verdade é que, embora seja legal e interessante ter um DLC para um jogo da franquia Tales of, o que me decepcionou aqui é que não há como carregar tudo que você possui da campanha principal. Todos os seus títulos, Ars e níveis são resetados, e isso é extremamente frustrante. Até o “coliseu” do campo de treinamento volta do zero e, caso você tenha comprado o DLC da colaboração com Sword Art Online (como eu), terá que derrotar o Kirito e a Asuna novamente se quiser ganhar a Ars Mística especial.

Ao mesmo tempo que é frustrante não ter seus melhores equipamentos consigo, pode-se entender que é incentivador ter que coletar esses itens novamente. É como se você tivesse que jogar o jogo novamente, mas dessa vez, com diversos conteúdos inéditos e que não ficam presos ao clichê de coisas a serem feitas “antes do chefe final”, já que Beyond the Dawn traz sua própria história.

Da mesma forma que Tales of Arise: Beyond the Dawn pode te “frustrar” por não ser possível trazer seus equipamentos originais, ele também pode trazer a alegria de rejogar essa aventura com diversas novas atividades.

Embora Beyond the Dawn tenha sua própria história principal, por algum tempo ele foca muito nas missões secundárias. Porém, esses eventos não parecem mais tão genéricos, já que eles mostram a evolução do relacionamento dos personagens uns com os outros. Na verdade, essa é a primeira vez que eu vejo algo explícito sobre o interesse amoroso dos integrantes do grupo e isso é realmente incrível, pois foge do que costumamos ver nos títulos da série, onde tudo costuma ser mais sutil e quase sempre apagado.

Dentre as novidades desse DLC estão as novas dungeons e as chamadas Missões-EX, que nada mais são que quests secundárias exclusivas para cada membro do grupo. Nelas você reencontra diversos rostos familiares da campanha principal e dá um desfecho para a trama. Confesso que isso me empolgou, pois eu odeio jogar algo e não saber qual o destino dado a determinados personagens que ficam em segundo plano.

Além das Missões-EX, agora o jogo também traz quests de construção. Com elas é possível não apenas mudar alguns pontos da cidade, mas também trazer novos itens para as lojas. A verdade é que, mesmo completando muitas delas, eu não percebi muita diferença nas localidades e nenhum equipamento novo foi adicionado no meu gameplay. Acredito que tenha faltado um pouco mais de destaque para essas mudanças ficarem mais visíveis.

Tales of Arise: Beyond the Dawn
A versão Ultimate de Tales of Arise traz diversas roupas de jogos anteriores da saga, como Tales of Berseria, Xillia e Vesperia. Fonte: PS5 Create

Antes de jogar a expansão de Tales of Arise, fiquei imaginando que todo o conteúdo extra dali poderia ter sido transformado em algo “pós-game” ou adicionado num Novo Jogo +, como acontece em Tales of Vesperia, por exemplo, um dos jogos da série com a maior quantidade de extras que eu já vi na minha vida, totalizando mais de 300 horas de jogo.

No entanto, quando tive contato com Tales of Arise: Beyond the Dawn, percebi que a Bandai Namco quis fazer mais do que apenas adicionar novos conteúdos. A história de Arise é tão boa e foi tão elogiada, que eles quiseram mostrar como seria o mundo após a junção dos dois povos, e isso é incrível, pois dá aquela sensação de que as coisas estão finalmente completas e fazem sentido.

Embora Beyond the Dawn frustre um pouco por certas restrições e a falta de “conectividade” com o save do jogo base, ele fecha ciclos pendentes e consegue entregar uma história sólida de empatia e amor, além, é claro, de trazer diversas novidades para os fãs gastarem mais e mais horas nesse mundo repleto de beleza e aventuras.

DLC analisado no PS5 com código fornecido pela Bandai Namco.

cassino online Netbet

Veredito

Tales of Arise: Beyond the Dawn entrega diversos conteúdos extras e consegue se aprofundar ainda mais na história dos povos de Dehna e Rena, tornando-se um DLC obrigatório para quem amou passar horas a fio ajudando Alphen e seus amigos na campanha principal.

90

Tales of Arise

Fabricante: Bandai Namco

Plataforma: PS4 / PS5

Gênero: JRPG

Distribuidora: Bandai Namco

Lançamento: 10/09/2021

Dublado: Não

Legendado: Sim

Troféus: Sim (inclusive Platina)

Comprar na

Veredict

Tales of Arise: Beyond the Dawn delivers a lot of extra content and manages to delve even deeper into the history of the people of Dehna and Rena, making it a mandatory DLC for anyone who loved spending hours on end helping Alphen and his friends in the main campaign.


Rui Celso
Rui Celso
Jornalista que decidiu se aventurar no mundo gamer desde o tempo em que as revistas eram a principal fonte de informação deste mundo do entretenimento. Hoje eu expandi meu universo e também faço parte do backstage deste universo atuando como Assessor de Imprensa. Só pra constar: Paper Mario é o meu jogo favorito da vida.