Romancing SaGa: Minstrel Song Remastered – Review

Me deixe contar uma história. Uma história sobre um jogo refeito e relançado, em uma busca pelo reconhecimento que sempre lhe foi negado. Sobre uma saga de romances, de histórias cruzadas, onde você fará o seu caminho, mas sempre se encontrando em uma encruzilhada. Onde se sentir perdido é uma constante, mas é o motivo pelo qual a experiência é tão recompensante.

Posso não ser nenhum trovador, mas a bela forma como Romancing SaGa -Minstrel Song- Remastered reconta os eventos do primeiro jogo da série é tão satisfatório que até tenta acordar um pequeno lado artístico no jogador. E é um interessante simulacro sobre as várias questões e possibilidades que uma das séries mais antigas da Square Enix costuma apresentar agora que finalmente vem sendo lembrada com constantes remasterizações.

Minstrel Song é um JRPG originalmente lançado para PS2 em 2005, em meio a uma das eras mais brilhantes para o gênero, oferecendo, naquela época, uma reinterpretação do primeiro Romancing SaGa que foi lançado para SNES em 1992 exclusivamente no Japão e havia quebrado a fórmula da franquia ao introduzir uma narrativa não-linear pela primeira vez.

Romancing Saga Minstrel Song Remastered

Esse último ponto é um tanto quanto importante, considerando a complicada história que a franquia encabeçada Akitoshi Kawazu teve, a qual foi imaginada como uma evolução das ideias um tanto não-ortodoxas trazidas por ele para Final Fantasy II. Ideias essas que durante muito tempo foram criticadas simplesmente por não serem compreendidas no Ocidente, algo que, inclusive, ajudou a informar o desenvolvimento de Minstrel Song.

Lançado após o bastante criticado (no Ocidente) Unlimited SaGa, Minstrel Song transformou de vez a franquia do tradicional estilo 2D do SNES e abraçando de vez o potencial gráfico em 3D oferecido pelo PS2. Embora alguns pequenos ajustes tenham sido feitos à história, com alguns personagens sendo adicionados e outros removidos, além de esperadas melhorias ao sistema de combate por turnos, ele seguiu sendo bastante fiel ao original.

A história gira em torno de um conto central do mundo de Mardias, a história de três deuses malignos, Saruin, Death e Schirach, que lutaram em uma guerra violenta contra deuses e mortais. Em uma última tentativa de derrotá-los, o deus supremo de Mardias, Elore, criou jóias especiais capazes de aprisionar Saruin, e os entregou ao herói Mirsa, que deu sua vida para derrotar Saruin, com as jóias, chamadas de Fatestones, sendo espalhadas ao redor do mundo.

Romancing Saga Minstrel Song Remastered

Mas é claro, como em todo bom JRPG, o selo sobre Saruin começa a enfraquecer, começando a abrir o caminho para retorno do deus maligno. Cabe então aos oito protagonistas encontrarem uma forma de encontrar as Fatestones e tentar impedir que Saruin seja revivido e traga destruição de volta à Mardias.

E esse é, essencialmente, a história de Romancing SaGa -Minstrel Song- Remastered. A forma como você guiará os protagonistas em sua jornada vai depender muito de você, com o jogo lhe apresentando seus objetivos e através da sua exploração, tentativa e erro, o jogador sendo capaz de encontrar a solução para os vários problemas que o assolam e as dificuldades das pessoas daquele mundo.

É importante dizer que, independente de qual deles você escolha como “personagem principal”, você eventualmente irá experimentar a história de todos os 8, com o jogo te dando bastante espaço e liberdade para escolher a ordem em que irá lidar com cada situação, quem irá buscar e como fazê-lo, com o mundo inteiro podendo ser alcançado a partir dali.

Romancing Saga Minstrel Song Remastered

Isso faz com que uma parte considerável da história seja “customizável”, graças ao Freeform Scenario System, já que dificilmente a experiência de dois jogadores será exatamente igual. Existe uma série de missões principais que podem ser completadas para avançar o tempo e a história e missões secundárias que podem ser realizadas em momentos específicos ou por personagens específicos, cabendo a você decidir como irá lidar com cada uma delas.

Quais e quantas missões você completa vai influenciar qual dos finais do jogo você irá ver, o que torna o sistema de passagem de tempo algo que irá impactar o que você verá ou não ao longo de cada jornada pela história. É importante dizer que não é só completar missões que avançam o tempo, já que o timer também progride durante as batalhas, com batalhas contra inimigos mais poderosos tendo um impacto considerável no timer também.

O sistema de batalha é um interessante e tradicional combate por turnos. No começo de cada rodada você escolherá as ações que todos os membros da sua equipe irão executar (seu time pode ser composto por até 6 personagens por vez), com cada um executando suas ordens após na ordem estabelecida pela sua agilidade.

Romancing Saga Minstrel Song Remastered

Isso faz com que você não possa reagir após os ataques dos inimigos, precisando pensar previamente sobre como irá atacar ou se defender e como lidar com os desafios que isso impõe, sendo um pouco mais difícil do que jogos similares. Cada ação executada irá influenciar também na progressão dos seus personagens, já que, como é tradicional da série, não há aqui um sistema de distribuição de pontos ao se subir de nível, com tudo sendo determinado pelo quanto você usa determinada habilidade.

Como a classe de personagem é algo determinado pela arma/magia equipada, isso te dá uma liberdade imensa também na hora de customizar e determinar como cada um dos seus personagens funcionará. Embora todos tenham uma certa predisposição para evoluir certas estatísticas com mais facilidade do que outras, como isso acontecerá na prática depende totalmente de ti.

Por fim, o jogo também não conta com esse mesmo sistema mais “simples” de liberar habilidades usando pontos. Novas habilidades são adquiridas durante o combate, com um sistema de “Glimmer” fazendo com que seus personagens aprendam habilidades ao usar outras, graças à evolução da sua proficiência com armas ou quando uma certa condição especial é atingida. Cabe dizer que novas habilidades foram adicionadas nessa versão remasterizada, além de novas armas foram adicionadas, aumentando assim o rol de classes disponíveis para o jogador.

Romancing Saga Minstrel Song Remastered

Tudo isso é muito bem-vindo já que Minstrel Song era um tanto infame por ter algumas das batalhas mais difíceis contra chefes de qualquer JRPG na história. Não satisfeito com isso, esse remaster adicionou versões ainda mais difíceis dos chefes do jogo, sendo 12 no total, com direito a trilha sonora específica para elas, tudo supervisionado pelo designer de combate original do jogo, Kyoji Koizumi.

Por fim, outra adição importante dessa versão foram novos personagens jogáveis, especialmente alguns bastante queridos dos jogadores da versão original. Notoriamente, Aldora, Schiele, Marina, Monica e Flammar agora podem fazer parte da sua equipe. Dentre eles, Aldora é a mais importante, já que foi incluído um novo elemento narrativo permitindo aos jogadores experimentar os eventos através dos olhos dela à medida em que ela reconta os eventos vividos por Mirsa.

De resto, as melhorias trazidas pelo jogo são aquelas já esperadas das remasterizações modernas. Mini Mapas foram adicionados, além de um “High Speed Mode” tanto na exploração quanto em combate, além de um New Game+ para que você possa carregar todo o progresso de um gameplay anterior para uma nova jornada através de um novo protagonista. Os gráficos e trilha sonora também brilham bastante, com os trailers e screenshots não fazendo jus ao quão belo o jogo é rodando no PS5.

Romancing Saga Minstrel Song Remastered

Poder reviver o conto desse saudoso, se esquecido, título de PS2 através de Romancing SaGa -Minstrel Song- Remastered foi algo muito bem-vindo e que, pessoalmente, recomendo bastante a qualquer jogador interessado em conhecer mais sobre a história do gênero e o impacto que títulos mais desconhecidos tiveram ao longo do passar dos anos.

Embora o título tenha uma série de limitações, algo que já se espera de um SaGa mas que ainda assim incomodam visto os ajustes feito pela Square Enix (não poder mover a câmera com o R3 é especialmente frustrante), ele ainda é um título que traz elementos únicos e que, caso tivessem sido lançados originalmente hoje, seriam muito mais aclamados e reconhecidos, vide a recepção do remake de Live a Live agora em 2022, um outro título experimental da Square dessa mesma época cujo DNA está espalhado por aí.

Romancing SaGa -Minstrel Song- Remastered não será recebido ou lembrado da mesma forma que ele, mas é um jogo que precisa estar no radar dos fãs do gênero. A história que ele tem a contar pode não ser das mais espetaculares, mas a forma como ele conta e como impactou outras que viriam a ser contadas só mostram que, talvez ele não seja o mais famoso entre seus pares, mas Akitoshi Kawazu ainda é um dos mais influentes bardos que já vimos desenvolvendo jogos por aí.

Jogo analisado no PS5 com código fornecido pela Square Enix.

cassino online Netbet

Veredito

Romancing SaGa: Minstrel Song Remastered é uma remasterização bem-vinda de um jogo muito bom que estava esquecido. Com uma narrativa não linear cuja estrutura segue atual até hoje (mesmo que, no geral, não seja muito especial) e um combate e exploração que também são bons (ainda que simples), esse remaster traz várias melhorias de qualidade de vida muito bem-vindas, ainda que ainda precisasse de mais algumas.

80

Romancing SaGa -Minstrel Song- Remastered

Fabricante: Square Enix

Plataforma: PS4 / PS5

Gênero: RPG

Distribuidora: Square Enix

Lançamento: 01/12/2022

Dublado: Não

Legendado: Não

Troféus: Sim (inclusive Platina)

Comprar na

Veredict

Romancing SaGa: Minstrel Song Remastered is a welcome remaster of a very good game that was forgotten. With a non-linear narrative whose structure remains current to this day (even if, overall, it’s not very special) and a combat and exploration that are also good (but simple), this remaster brings several quality of life improvements that are welcome, even if it still needed a few more.