Road 96 – Review

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Lançado no ano passado para PC e Switch, Road 96 chega às plataformas da Sony e merece a atenção da comunidade por sua proposta diferenciada e pelos temas que aborda. Primeiramente, é importante destacar que o port no PS5 é bem satisfatório e não apresenta problemas notáveis de performance, algo distinto do que ocorreu na versão do Switch.

Desenvolvido pela equipe francesa da DigixArt, responsável também por 11-11 Memories Retold, Road 96 retrata uma jornada de êxodo de jovens, que vivem em um país permeado pelo autoritarismo e repleto de problemas. O jogador assume um personagem sem identidade, que deve atravessar a fronteira com pouco dinheiro, gerenciando uma barra de sobrevivência e interagindo com outras pessoas ao longo do caminho. Pessoas estas que podem ser boas ou más, afetando diretamente a continuidade da sua aventura.

Petria, o país fictício do game, possui um Estado e polícia especialmente opressores. Para atravessar a fronteira, é preciso cuidado ao lidar com esta instituição. No entanto, há outros personagens que também representam uma ameaça à sua viagem para a fronteira. O jogador precisa escolher em quem deve depositar sua confiança e quais os caminhos mais seguros para alcançar o seu objetivo.

O gameplay é simples e consiste basicamente de exploração. A perspectiva é em primeira pessoa e há um cursor em que o jogador utiliza para interagir com o cenário ou para iniciar conversas. O objetivo, como dito previamente, é sair do país e há a possibilidade de game over, caso o seu personagem morra. Se o jogador falhar, o game automaticamente gera novos personagens para que uma nova jornada se inicie.

O jogo começa em um determinado ponto da estrada 96 – rodovia que atravessa um deserto, culminando em uma região montanhosa onde se localiza a fronteira. Para chegar ao seu destino, o jogador passa por aproximadamente seis áreas diferentes, determinadas de forma procedural. Deste modo, cada viagem é diferente da anterior e muitos eventos estão atrelados ao fator sorte.

Existem diversas pequenas localidades ao longo da Estrada 96. São lanchonetes, hotéis, acampamentos, entre outros. Estas são definidas de forma aleatória e somente o final, na região montanhosa da fronteira, é que o desfecho se dá sempre no mesmo local. Todavia, é importante mencionar que há diversos caminhos para se escapar, dentro da região final do game.

Para se deslocar entre as localidades, o jogador usualmente terá três ou quatro opções. Ir a pé (a mais cansativa), pegar carona, pegar um táxi/ônibus ou ir de carro próprio/roubado. A viagem por meio de veículos, usualmente significa estar acompanhado de alguém, o que pode significar um perigo a mais (em compensação, geram menos cansaço). Com o tempo, o usuário do game vai notar que há veículos específicos que são mais propensos de conter uma má companhia.

Além da escolha do meio de viagem, é importante estar atento à barra de sobrevivência, que engloba alimentação/sede e descanso. Ao longo das localidades, é possível achar comida, drinks e até acampamentos improvisados, permitindo aumentar tal medidor. De todo modo, seja para proporcionar uma viagem tranquila ou suprir outras necessidades, ter dinheiro resolve qualquer problema.

Em diversas situações, o jogo vai lhe dar uma oportunidade de participar de atividades específicas para levantar uma grana rápida. Em dado momento, o jogador poderá atuar como frentista, barman ou até cinegrafista, para conseguir dinheiro e ajudar um dos NPCs do game. Existem diversas “atividades” e estas representam um momento especial para o gameplay do jogo, em virtude da diversidade de controles e objetivos.

Ao longo do caminho, o protagonista conhecerá importantes personagens para a trama. Obviamente, cada um traz uma história distinta, mas existe um pequeno vínculo entre a maior parte deles. O relacionamento com cada um dos NPCs de Road 96 se desenvolve à medida que o jogador os encontra e passa a interagir com eles.

Assim como em outros jogos de aventura, em Road 96 existem vários diálogos com possibilidade de escolha de resposta. Contudo, há muita ilusão associada a tal recurso, visto que em muitos casos o desfecho de uma ocasião é sempre o mesmo. Ou seja, o poder de agência do jogador costuma ser limitado e nem sempre haverá muitas consequências diferentes para suas ações. Por conta disso, o replay em seu new game+ é um pouco decepcionante.

Road 96 surpreende bastante pela sua trilha sonora. O jogo possui uma boa variedade de músicas, que inclusive podem ser coletadas por meio de fitas cassetes, espalhadas ao longo da Estrada 96. Há uma fantástica seleção de músicas retrowave, contando inclusive com o trabalho de The Toxic Avenger – que marcou presença na excelente trilha sonora de Furi para PS4.

Os gráficos definitivamente não são o ponto forte do jogo. O detalhamento nos modelos poligonais de personagens e objetos do cenário evidenciam um nível de produção despretensioso. Embora exista motion capture para a animação das personagens, em muitas ocasiões as animações demonstradas in-game são primitivas demais. Os personagens humanos transmitem mais a carga emocional da narrativa de Road 96 pelo áudio, do que pelo aspecto visual. Também é incrível o desequilíbrio na qualidade dos cenários do game – alguns muito belos, outros com assets de baixa qualidade e com excesso de pop-in.

Infelizmente, tal discrepância na qualidade gráfica do jogo, também pode ser estendida ao roteiro e à qualidade da narrativa. Por sua maior parte, Road 96 traz temas e histórias bem interessantes. No entanto, a qualidade da trama é inconsistente. Em determinadas passagens da história, o jogo não demonstra muito capricho. A falta de qualidade na narrativa muitas vezes está associada a determinados personagens/NPCs. Na companhia de alguns indivíduos, é preciso que exista um grande “backup” situacional para torná-los minimamente interessantes. Há de se ressaltar que alguns personagens possuem um estereótipo extremamente forçado e nada natural, contribuindo para diminuir a carga emocional ou a seriedade da trama.

A versão PS5 roda a 60 quadros por segundo e possui um loading relativamente rápido. O jogo também conta com legendas em Português do Brasil de boa qualidade. Alcançar o troféu de platina é uma tarefa fácil em Road 96 e para chegar ao fim da sua campanha, é necessário terminar a jornada com pelo menos 6 jovens – o que, na minha experiência, rendeu umas boas horas (6h ~ 8h), duração ideal para um jogo de aventura.

Jogo analisado no PS5 com código fornecido pela Koch Media.

Veredito

Ainda que Road 96 não traga consistência em sua qualidade e sua abordagem sobre política seja ocasionalmente superficial, é um jogo necessário que levanta um tópico de discussão importante. São poucos os produtos que tratam de política e suas consequências de maneira tão direta nesta mídia. O contorno inovador sobre o tema destaca o jogo em uma avalanche de bons lançamentos e justifica a sua experiência. Road 96 não é perfeito, mas traz ótimas ideias e uma trilha sonora espetacular!

80
Road 96
Fabricante: Digixart
Plataforma: PS4 / PS5
Gênero: Aventura
Distribuidora: Ravenscourt
Lançamento: 14/04/2022
Dublado: Não
Legendado: Sim
Troféus: Sim (inclusive Platina)
Comprar na

While Road 96 lacks consistency in its quality and its approach to politics is occasionally superficial, it’s a necessary game that raises an important topic of discussion. There are few products that deal with politics and its consequences so directly in this media. The innovative take on the theme highlights this game amidst an avalanche of good offerings, justifying the experience. Road 96 isn’t perfect, but it has great ideas and a spectacular soundtrack!