Pumpkin Jack – Review

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

É comum na indústria de jogos termos o que chamamos de “inspirados”. Muitas vezes esses títulos acabam sendo inferiores que a obra original, mas existem alguns poucos casos em que conseguem superá-la. Pumpkin Jack é claramente inspirado em MediEvil e é difícil dizer se supera a obra que conquistou vários fãs no PlayStation original. Porém, considerando que o remake que saiu há pouco tempo no PS4 não fez justiça, podemos dizer que Pumpkin Jack pode agradar quem esperava por uma experiência superior.

Dito isso e sem ter o desejo de ficar comparando o tempo todo neste texto os dois jogos, Pumpkin Jack é um título que segue a fórmula de MediEvil mas consegue criar sua própria identidade no processo. É um game de ação, plataforma 3D e com elementos cômicos de terror.

Pumpkin Jack

Por incrível que pareça, Pumpkin Jack foi desenvolvido por apenas uma pessoa: Nicolas Meyssonnier. Ele trabalhou com Yohan Jager para produzir a trilha sonora (que é ótima, apesar das melhores trilhas serem inspiradas em músicas clássicas) e Adrien Lucas para a interface do usuário e porting nos consoles. Ou seja, praticamente todo o resto que existe no jogo foi feito apenas por Nicolas – o que é realmente impressionante.

Justamente por esse fato, encarei Pumpkin Jack com expectativas baixas. Achei que encontraria um game com problemas técnicos e limitado. O quão enganado estava. O jogo não é perfeito nesse quesito (tive um ou outro problema de colisão no cenário), mas dá um banho em diversos outros títulos que temos na indústria com muito mais orçamento e mão de obra. Caso tenha curiosidade, Pumpkin Jack foi criado na Unreal Engine.

Pumpkin Jack conta a história de Jack, o “Mítico Lorde Abóbora”. Descrito como sendo perspicaz, Jack fez um pacto com o Diabo para voltar à vida. No processo, o Diabo exige que ele derrote um feiticeiro que está salvando a humanidade. Em outras palavras, o jogador é do lado do mal. Porém, como os monstros são idiotas, Jack será atacado tanto por eles quanto pelos humanos. No meio do caminho logo no início, Jack faz amizade com um corvo sarcástico que faz diversos comentários hilários durante a sua jornada.

Pumpkin Jack

A estrutura de Pumpkin Jack é bastante simples. São basicamente 6 fases e entre elas acontece uma cutscene narrada explicando o que aconteceu na fase que você acabou de concluir. As fases são relativamente longas, demorando cerca de 40 a 60 minutos para serem concluídas dependendo do seu nível de colecionismo.

Ou seja, todas as fases possuem itens a serem coletados, mais especificamente cabeças de corvos e gramofones. Este último é apenas para você ver Jack dançar e mais nada (além de obviamente ser um troféu da PSN), porém as cabeças de corvos (que são 20 por fase) podem ser usadas para desbloquear algumas skins de Jack. As skins não afetam o gameplay, então você pode andar da forma que desejar.

O que afeta o gameplay – e bastante – são as armas que Jack utiliza. Você começa com apenas uma pá, mas cada fase, após derrotar o seu chefe, oferece uma nova arma que pode ser experimentada no nível seguinte. O gameplay muda bastante com essas armas, sendo que há coisas como uma shotgun e uma foice.

Pumpkin Jack

O gameplay de Pumpkin Jack é bem simples. Temos os ataques básicos e o pulo, como todo jogo de ação e plataforma. O comando mais incomum que existe no game é o L1 para mandar o corvo atacar um oponente distante e o desvio com um rolamento ao pressionar bola, lembrando mais jogos do estilo hack and slash. Os ataques, aliás, não possuem muita variação, mas você pode fazer coisas como atacar durante o pulo ou, após rolar, executar um ataque diferenciado. Inúmeros objetos são destrutíveis e fornecem vida, mas tome cuidado com os que possuem fogo, pois eles espalham (uma mecânica bem interessante e realista).

Devo admitir que a mecânica de combate não é muito boa. O gameplay sem dúvida varia a cada arma utilizada como citado, mas os inimigos sempre recebem o dano como esponja, então o combate é a mesma coisa o tempo todo, não importando qual inimigo você está enfrentando. Cole nele, ataque até morrer enquanto ele também o ataca e depois pense em recuperar a vida. A mecânica de desvio só é usada em situações críticas, mas que são muito raras.

É aí que se encontra o principal problema de Pumpkin Jack: sua dificuldade. O jogo, de uma forma geral, é muito fácil. Não existe uma curva de dificuldade; as coisas são basicamente as mesmas do início ao fim. Claro, em uma fase mais avançada você terá que ficar desviando de bolas de fogo que caem do céu, por exemplo, mas é muito fácil desviar disso e a vida tem aos montes pelo cenário. Suas mortes virão de pulos calculdados de forma incorreta ou alguma plataforma que você achava que era para ir e no fim não era para lá o caminho. Mas do combate em si, mesmo contra os chefes, é tudo bem tranquilo até demais.

Pumpkin Jack

Outro ponto que ainda não comentamos é que além dos elementos de combate e plataforma que existem no game, há também duas situações que se repetem por todas as fases. A primeira é quando Jack se separa de seu corpo e nós controlamos sua cabeça. Nessa parte, são basicamente puzzles a serem solucionados, mas de forma geral também são simples, como um jogo da memória (sem pressão alguma de tempo, nem nada disso).

A outra parte, e que essa achei desnecessária, é que Jack sobe em alguma coisa – um cavalo, carrinho de mina, etc – e você deve seguir o caminho automaticamente, pressionando X para pular quando necessário ou L1 para enviar o corvo e destruir alguma coisa para abrir caminho. São partes interessantes na teoria, mas na prática acabam ficando entediantes porque são desnecessariamente longas. Inclusive, em algumas delas você precisa controlar para a esquerda ou direita e o jogo não avisa o jogador. É uma falha de design que me fez perder uma vida, pois os momentos anteriores não exigiam isso e não há nada na tela que indique isso. É um problema mínimo, mas que me incomodou quando aconteceu.

Pumpkin Jack

No fim, Pumpkin Jack é um jogo bacana e é até mesmo legendado em português do Brasil (uma ótima localização, inclusive). Sua história é legal, o gameplay é simples e na medida certa, mas existem algumas falhas. Além das citadas até aqui (principalmente sua dificuldade), precisamos ressaltar sua duração (cerca de 6 a 7 horas). Considerando isso e que não há nada a fazer após terminar o game, não consigo recomendá-lo pelo preço cheio (R$ 159,90). Mas em uma promoção recomendo fortemente, portanto adicione-o em sua wishlist.

Jogo analisado no PS5 com código fornecido pela Headup Games.

Veredito

Pumpkin Jack é um simples e divertido jogo que nos faz lembrar de MediEvil. O maior defeito, talvez, seja a ausência de uma dificuldade elevada ou que aumente conforme você avança (do início ao fim, o título é fácil e tranquilo). No entanto, isso não tira a diversão e apesar dessa simplicidade, Pumpkin Jack tem seu charme e em nenhum momento é enjoativo.

75
Pumpkin Jack
Fabricante: Nicolas Meyssonnier
Plataforma: PS4
Gênero: Ação / Plataforma
Distribuidora: Headup Games
Lançamento: 24/02/2021
Dublado: Não
Legendado: Sim
Troféus: Sim (inclusive Platina)
Comprar na

Pumpkin Jack is a simple and fun game that resembles MediEvil. The biggest flaw, perhaps, is the absence of a high difficulty or one that increases as you progress (from start to finish, the title is easy). However, this does not detract from the fun and despite this simplicity, Pumpkin Jack has its charm and it isn’t boring at any time.