Outward: Definitive Edition – Review

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A promessa de Outward já era bastante ambiciosa no seu lançamento em 2019 e a Nine Dots Studio sempre fez questão de frisar isso. O intuito era prezar pela liberdade do jogador num universo fantasioso e hostil, mas também mantendo pontos importantes como sobrevivência, estilo RPG clássico e combate interessante. Após 3 anos de sua chegada no PS4 e 2 expansões depois, uma versão aprimorada e com suporte ao PS5 finalmente é lançada.

A ideia geral da Definitive Edition é ir mais além de um pacote completo com todos os conteúdos lançados e melhorias visuais, mas refinar as diversas mecânicas do jogo que foram destacadas com o tempo e também conciliar em uma única versão o resultado final de diversas melhorias implementadas. Com isso, há novidades e ajustes aqui que não estarão mais na versão original e deixam essa última defasada, de certa forma.

outward_DE2

Um resumo básico para o que é Outward é dizer que o título simplesmente coloca o jogador e seu personagem numa situação de “saia, explore, sobreviva e vença”. Coloque o pé na estrada e veja o que é possível descobrir enquanto se mantém vivo em meio às adversidades encontradas pelo mundo. O jogo é um clássico RPG de ação em terceira pessoa, com ótimos toques de sobrevivência e universo imenso para explorar, com dezenas de horas garantidas de diversão.

Os pontos altos do título são exatamente os já citados na frase anterior, sendo um jogo de imersão e diversas informações para acompanhar, sejam status e equipamentos ou missões e personagens secundários. Em contraponto, Outward nunca se mostrou como um grande projeto AAA e muito disso fica por conta da parte técnica apresentada, principalmente no visual de nenhum destaque e oscilações perturbantes na performance, tanto no PS4 quanto no PC.

outward_DE3

A versão definitiva prometia bons ajustes nisso, mas ao aproveitar o título em suas primeiras horas já é notável que há diversas limitações na engine e design que vão impedir isso. Sendo sincero, o jogo ainda continua feio e muito pouco melhorado em sua versão de lançamento, com diversas semelhanças a jogos de quase 10 anos atrás. Já a performance, apesar dos 60fps e resolução maior, ainda é inconsistente e carece de mais cuidados técnicos que nunca virão.

De toda forma, como já disse antes, Outward é um jogo de imersão e é nisso que estão seus pontos altos. Jamais seria um showcase técnico ou visual, mas a chegada de uma versão aprimorada e para novos consoles poderia entregar algo além do que acabou sendo disponibilizado. Notáveis problemas de performance ficam por conta do judder, quedas de frames e um certo input lag com menus, o que imagino ser mais bug do que problemas em geral.

outward_DE4

Talvez a vantagem definitiva da nova versão é a harmonização das mudanças que aconteceram com o tempo e ajustes finos no que ainda não era perfeito. Com isso, é notável melhorias na dificuldade e combate, com ajustes dos sistemas de resistência, armaduras, status elementais, balanceamento de regiões e inimigos. Isso deixa o jogo mais em par com o sistema de sobrevivência e valorizando um maior aprimoramento do combate.

Além disso, a inclusão das expansões The Soroboreans e The Three Brothers ficam mais integradas com o mundo, com elementos importantes de cada uma sendo melhor distribuídas pelo jogo todo e não apenas em regiões únicas. O pacote completo agora entrega a experiência completa como um todo e unificada, sem tantas separações do que é o jogo principal ou do que é cada expansão.

outward_DE1

De toda forma, essas mudanças serão mais sentidas por jogadores veteranos e que se aprofundaram no que foi entregue ao longo do tempo. Aquele que for entrar de cabeça apenas agora vai pegar o jogo pronto e na melhor edição, mas sem muito entendimento do que foi sendo alterado e sem muita percepção das melhorias. Mesmo para os que jogaram desde o início, ir a fundo para a percepção da maioria dos ajustes pode ser algo que não vá trazer uma nova experiência como possa parecer, mas apenas uma certa quantidade de melhorias pontuais sem mudar o que já foi vivenciado antes. Em resumo, há mudanças aqui e ali, mas singelas demais para justificar uma nova jogada apenas por isso.

A falta de melhorias gerais de grande destaque, principalmente em questões técnicas e gráficas, pode afastar os veteranos de uma volta ao mundo de Outward. Já para os novatos e interessados numa primeira viagem, a Definitive Edition é o único caminho recomendado independente da plataforma de escolha.

Jogo analisado no PS5 com código fornecido pela Prime Matter.

Veredito

Outward: Definitive Edition é a única versão recomendada agora para os que querem conhecer o jogo pela primeira vez. A falta de melhorias técnicas e novidades de destaque acabam deixando o jogo pouco atrativo para jogadores anteriores.

70
Outward
Fabricante: Nine Dots Studio
Plataforma: PS4 / PS5
Gênero: RPG / Sobrevivência
Distribuidora: Prime Matter
Lançamento: 17/05/2022
Dublado: Não
Legendado: Sim
Troféus: Sim (inclusive Platina)
Comprar na

Outward: Definitive Edition is the only version recommended right now for those wanting to experience the game for the first time. The lack of technical improvements and prominent additions end up making the game unattractive to previous players.