NieR Replicant ver.1.22474487139… – Review

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A preservação de jogos digitais é um tópico que tem se tornado cada vez mais relevante com o avanço das gerações dos consoles. Certos títulos que surgiram em determinadas plataformas ainda permanecem totalmente perdidos, sem poder atrair novos jogadores pois não há uma forma oficial e barata de acessá-los. Esse era o caso de NieR, um jogo que precedeu um dos melhores títulos já feitos no PS4 e que até então estava preso na biblioteca do PlayStation 3 (ou Xbox 360), uma vez que o mesmo só pode ser adquirido de forma física (e por um preço bastante salgado no mercado de usados). Felizmente, a Square Enix percebeu a joia que tinha em mãos e trouxe de volta o título em uma versão completamente aprimorada e repleta de novidades para o PlayStation 4.

Para quem desconhece, NieR para o PlayStation 3 foi originalmente concebido como um spin-off derivado da série de jogos Drakengard. Na época, como forma de criar apelo para diferentes públicos ao redor do globo, duas versões do jogo foram desenvolvidas: NieR Gestalt, que veio ao Ocidente, e NieR Replicant, que ficou exclusivo ao Oriente. A diferença entre as versões se encontra no personagem principal, que é uma figura paterna em Gestalt enquanto que Replicant opta por uma fraterna. A história, personagens secundários e até mesmo a jogabilidade são os mesmos, apenas com pequenas alterações em certos relacionamentos e diálogos. Como o nome já indica, NieR Replicant ver.1.22474487139… é um resgate da versão oriental do título, trazendo-o para o mundo da alta definição pela Toylogic, de forma a preencher algumas lacunas existentes em NieR: Automata que os fãs não tinham como preencher.

NieR Replicant ver.1.22474487139… se passa em uma linha temporal alternativa, criada por meio de um dos finais do Drakengard original para PlayStation 2, em que o mundo sofreu poderosas mudanças climáticas devido às cinzas de uma misteriosa criatura que surge no meio de Tóquio. Após milhares de anos, o mundo mudou, restando apenas pequenos resquícios daquilo que existia na superfície. Alguns seres humanos regrediram à idade feudal, tendo que habitar vilarejos cercados por muralhas para se defenderem dos Shades, criaturas mágicas que surgiram misteriosamente na Terra. Outras pessoas tentam a sorte em regiões próximas a zonas industriais, repletas de robôs autônomos que protegem valiosos insumos.

É neste mundo que o jogador é convidado a acompanhar a história de um jovem rapaz sem nome, enquanto este tenta encontrar a cura para uma doença mortal que ameaça a vida de sua irmã mais nova, Yonah. Em uma de suas expedições, o protagonista acaba encontrando um poderoso e egocêntrico grimório falante chamado Weiss, que lhe concede poderes mágicos capazes de combater os Shades, dando início a uma antiga profecia que selará o futuro da humanidade. Juntos viajarão pelo mundo em busca dos “versos selados”, fragmentos de uma magia antiga que pode ser capaz de curar Yonah de sua terrível doença.

O enredo de NieR Replicant ver.1.22474487139… pode causar certo estranhamento à primeira vista, mas esta é uma sensação que rapidamente desaparece nas primeiras horas de gameplay. Logo o jogador se acostumará com este mundo peculiar e estará vibrando por cada novo detalhe descoberto. A história possui uma estrutura bastante singular, procurando desenvolver os seus personagens e conceitos durante a primeira metade do jogo de forma bastante intimista e sem muito direcionamento. Ima problemática real é de fato apresentada só na segunda metade do título, e que cria um excelente impacto quando ocorre, visto que boa parte do jogo foi gasta para criar os laços sentimentais do jogador para com os personagens. Há uma boa dose de reviravoltas que funciona muito bem para mantê-lo engajado ao longo das 25 horas que compõem a campanha principal. Claro, assim como NieR: Automata, existem diversos finais alternativos, e cada um é extremamente satisfatório, servindo como um bom incentivo para terminar o jogo múltiplas vezes, aumentando assim a sua vida útil.

Os personagens secundários são bastante memoráveis, cada um possuindo papel fundamental na construção da narrativa como um todo. É impossível não desenvolver afeição com a pequena e frágil Yonah ou sentir a amizade de seus companheiros de viagem, Weiss, Kainé e Emil. Suas pequenas particularidades criam dinâmicas muito boas, tanto durante as cutscenes, quanto dentro dos combates do jogo.

Como alguém que jogou NieR Gestalt para PlayStation 3, eu não entendia os motivos da desenvolvedora e publisher para trazer especificamente de volta a versão oriental do jogo. Mas admito que após jogar o título em sua plenitude, percebi que a figura fraterna faz muito mais sentido dentro da estrutura narrativa do título. Visto isso, não se intimide com o “novo” protagonista caso você tenha apenas jogado a versão Ocidental do jogo. Este é um título que além de mais completo, revitalizará completamente os seus sentimentos pelo original. Caso você queira conhecer a franquia, este é o melhor lugar para começar.

Uma novidade bastante interessante é que o titulo agora conta com dublagem em inglês em todos os textos e diálogos, algo que era presente apenas em certos momentos da história em sua versão original. Boa parte do elenco de vozes originais retornou com destaque para a belíssima atuação de Laura Bailey como Kainé, Liam O’Brien como o grimório Weiss e Julie Ann Taylor como Emil, que roubam a cena sempre que seus personagens aparecem. Infelizmente, assim como NieR: Automata, não houve localização do título para o Brasil, o que resultou na ausência de dublagem e legendas em português.

O mundo do jogo é gigantesco e, mesmo que não seja um título de mundo aberto, existem mapas enormes repletos de vida animal, inimigos e itens para encontrar. A ambientação é fantástica e combina perfeitamente diferentes elementos de fantasia, pós-apocalíptico e ficção científica para criar um universo verdadeiramente singular. Cada região tem sua própria cultura retratada através da arquitetura, ferramentas, vestimentas e idiomas falados pela população. Há uma boa quantidade de quests e atividades opcionais para se realizar e que certamente ampliarão o tempo de jogo em cerca de 40 horas, caso você opte por fazer 100% do que o jogo tem a oferecer. NieR Replicant ver.1.22474487139… ainda conta com a DLC 15 Nightmares que funciona como um modo desafio e revela mais sobre o passado do protagonista, além de adicionar novas armas e roupas adicionais.

Assim como seu sucessor, NieR Replicant ver.1.22474487139… é um hack’n slash com alguns elementos de RPG que diversificam o combate, ainda que estes últimos estejam em menor número aqui. A jogabilidade da versão remasterizada foi totalmente aprimorada, tornando-o mais próximo de NieR: Automata, porém sem eliminar as características que o tornavam memorável. Dentre as alterações feitas talvez a mais significativa tenha sido em relação aos botões de ataque. Apertar quadrado na versão original fazia seu personagem atacar, enquanto triângulo executava um ataque especial que variava de acordo com a arma utilizada. Agora os dois botões são responsáveis por realizar ataques leves e pesados, que podem ser combinados para criar uma variedade interessante e frenética de combos, com os três diferentes tipos de armas existentes.

O combate está mais dinâmico, fluido e extremamente gratificante, algo que só foi possível graças ao expressivo aumento na velocidade do combate. Some isso a um sólido desempenho de 60 quadros por segundo e você verá que o patamar do jogo foi elevado, suprimindo os defeitos existentes originalmente. Outras adições notáveis são a possibilidade de travar e alternar a mira entre diferentes inimigos e o sistema de parry, que permite refletir golpes inimigos caso você defenda no momento certo, criando oportunidades valiosas para contra-atacar. Vale lembrar que a câmera foi corrigida e agora é possível ajustar a distância e outras características da mesma através das opções caso seja desejado.

Há um expressivo arsenal composto de espadas de uma mão, espadas de duas mãos e lanças que podem ser empunhadas pelo protagonista durante o jogo e que podem ser alternadas em tempo real durante o combate.  Cada uma possui seus próprios combos e atributos, que podem ser melhorados ao longo do jogo por meio de um determinado NPC. Vale lembrar que ao longo de sua jornada, você estará acompanhado de Kainé e Emil, que o ajudarão nos combates a todo o momento com suas habilidades peculiares.

Para completar o combate, há o divertidíssimo sistema de magias do jogo que também passou por alguns ajustes, ainda que o mesmo funcione de forma semelhante ao da versão original. Com o grimório Weiss, o protagonista é capaz de realizar uma quantidade expressiva de magias ofensivas e defensivas, como invocar poderosos braços espectrais para erradicar os inimigos ou conjurar um escudo capaz de absorver projéteis. As magias podem ser equipadas e atribuídas a um dos botões superiores do DualShock 4 (L1, L2, R1 e R2) a qualquer instante, bastando um simples toque para conjurá-las. Caso opte por segurar o botão por mais alguns segundos, mais mana será consumida e a magia se transformará em uma versão mais poderosa e eficiente, algo que pode ser muito útil em determinadas situações.

Por exemplo, é possível carregar uma determinada magia para somente ativá-la ao final de um combo, maximizando o dano e oferecendo oportunidades para encaixar novos golpes. Dessa maneira, o combate adquire um novo nível de complexidade em que através da experimentação, o jogador descobre as melhores formas de tirar proveito das magias à sua disposição para criar seu próprio estilo de gameplay. Com a versão remasterizada, agora é possível mirar precisamente a trajetória de uma determinada magia com o analógico direito – e até travar a mira nos inimigos – algo completamente inexistente anteriormente e que prejudicava o sistema como um todo. Além disso, o visual de todas as magias foi atualizado, criando efeitos belíssimos que roubam a atenção durante o gameplay.

Por fim, o sistema de magia pode ser constantemente melhorado ao longo da campanha através das “palavras” (Word no original). Ao subir de nível ou eliminar inimigos, o jogador será recompensado com palavras mágicas, que podem ser usadas em suas magias e armas para conceder efeitos adicionais e torna-las mais poderosas. Há um limite máximo para duas palavras em cada item ou encantamento, mas seu uso é totalmente irrestrito, sendo permitido usar a mesma palavra em diferentes magias ao mesmo tempo.

Assim como em NieR: Automata, NieR Replicant ver.1.22474487139… adora brincar com mudanças na perspectiva da câmera para criar diferentes tipos de experiências. A qualquer momento o título pode se transformar em um jogo de plataforma 2,5D, um twin-stick shooter ou até mesmo jogo de horror apenas com a simples mudança de posicionamento da câmera. Isso é executado com bastante sabedoria durante a campanha e reinventa graciosamente o gameplay sem precisar apresentar novas mecânicas.

Outra mecânica de NieR: Automata que foi adicionada em NieR Replicant ver.1.22474487139… é o sistema de “weapon stories”. Agora, cada pequeno equipamento que você coleta traz consigo uma pequena história ou descrição a respeito do mundo do jogo (semelhante ao que é feito em Dark Souls) e que é expandida conforte você aprimora o item. Esses contos são essenciais para o total entendimento do universo do jogo e sua adição foi certeira por parte do time de desenvolvimento da Toylogic. Várias questões que foram deixadas em aberto na versão original foram respondidas através da mecânica, além de criar novas conexões interessantes com NieR: Automata e Drakengard.

Um ponto negativo se encontra nos inimigos que, para os padrões dos jogos de hoje, não possuem tanta variação ou apelo em termos de design. Ainda que possuam tipos diferentes, os adversários são muito semelhantes fisicamente, o que poderia ter sido melhor trabalhado nesta remasterização. Felizmente, o mesmo não pode ser dito dos chefes, que são bastante criativos e desafiadores. Nesse quesito há novidades, mas é melhor não se aprofundar muito para evitar spoilers.

A trilha sonora é, sem sombra de dúvida, um dos maiores destaques da série NieR como um todo, e em NieR Replicant ver.1.22474487139… nos deparamos com um trabalho simplesmente magnífico de seu compositor, Keiichi Okabe. Todas as faixas da trilha sonora foram regravadas em alta qualidade, além de terem sido adicionadas novas trilhas originais ao repertório. A maioria das músicas possuem belíssimos vocais feitos pela cantora britânica Emi Evans e a mesma criou um idioma próprio misturando palavras inventadas e de outros idiomas para compor as canções. As composições casam perfeitamente com a ambientação presente e oferecem várias percepções da cultura presente na obra. Cada uma é capaz de transitar entre diversos gêneros, e dificilmente ficam na mesmice, fazendo o jogador cantarolar em conjunto enquanto transita pelo mapa.

O trabalho de remasterização do titulo foi muito bem realizado e já de cara é possível perceber uma enorme diferença entre os visuais da versão de PS3 com a de PS4. As texturas foram melhoradas e novos filtros foram aplicados, eliminando o visual cinzento e borrado existente no original. Claro, é perceptível que algumas regiões e objetos tiveram mais atenção que outros, mas ainda assim, é gritante a evolução gráfica. Os modelos de cada personagem foram totalmente recriados, mas se atentando ao design originalmente concebido a eles. Isso contribuiu positivamente nas animações das cutscenes que agora estão mais vívidas e com a carga emocional maior. O titulo está belíssimo no PlayStation 4 e muito disso se dá principalmente ao design do universo do jogo. Isso cria uma imersão muito eficaz no jogador e acaba mascarando os poucos defeitos visuais existentes. Os efeitos de iluminação e partículas também foram atualizados dando um aspecto mais próximo de NieR: Automata.

Jogo analisado no PS5 com código fornecido pela Square Enix.

Veredito

NieR Replicant ver.1.22474487139… é um excelente ponto de partida para conhecer uma das melhores franquias já feitas pela Square Enix nos últimos tempos. O título é muito mais do que um simples remaster, corrigindo as principais falhas que sua versão original tinha, ao mesmo tempo que o eleva para um patamar próximo ao de seu sucessor. É gratificante saber que tal título finalmente pôde ver a luz do dia novamente após passar anos preso em uma plataforma.

90
NieR Replicant ver.1.22474487139...
Fabricante: Toylogic
Plataforma: PS4
Gênero: Ação / RPG
Distribuidora: Square Enix
Lançamento: 23/04/2021
Dublado: Não
Legendado: Não
Troféus: Sim (inclusive Platina)
Comprar na

NieR Replicant ver.1.22474487139… is the best starting point to discover one of the greatest franchises ever made by Square Enix in recent times. The title is much more than a simple remaster, correcting the main flaws that its original version had, while raising it to a level close to that of its successor. It is gratifying to know that such a title has finally been able to see the light of day again after spending years stuck on a platform.