Nickelodeon All-Star Brawl – Review

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Uma das séries de maior sucesso da Nintendo é Super Smash Bros. Conhecida pelo seu gameplay diferenciado (e que muitos discutem se é um jogo de luta ou não) e por seu vasto elenco de personagens, é de se esperar que outras companhias tentem imitar a fórmula.

Ao longo dos anos tivemos alguns exemplos, como Brawlhalla (atualmente da Ubisoft) e inclusive da própria Sony com PlayStation All-Stars Battle Royale. Todos tentaram inserir algo novo na fórmula, mas pouquíssimos vingaram. Agora, chegou a vez da Nickelodeon com Nickelodeon All-Star Brawl.

Sabe o que mais surpreende em Nickelodeon All-Star Brawl? O quão parecido com Smash é. De uma forma geral, acredito que seja o “clone de Smash” mais fiel ao jogo da Nintendo e, por esse lado, acaba sendo um jogo bom. Mas há muito a ser analisado além do gameplay.

Nickelodeon All-Star Brawl

A primeira coisa que você precisa ter em mente para Nickelodeon All-Star Brawl é que ele foi pensado para o multiplayer. O single-player é basicamente inexistente aqui: há um modo Arcade que nem chefão possui e… é isso. Por outro lado, o multiplayer local pode ser aproveitado entre 1-4 jogadores e, além dos modos padrões, há um em que você precisa levar uma bola para o gol adversário (o tipo de bola pode ser definido nas opções, o que afeta um pouco a física e o gameplay). É um modo divertido para passar o tempo e fugir do básico, mas honestamente, a graça mesmo está no 1×1.

É aí que entramos em um conflito: as pessoas que buscam um jogo caótico talvez saiam decepcionados com Nickelodeon All-Star Brawl. Apesar de ser possível aproveitar um multiplayer com 4 jogadores na tela (inclusive no online), não há itens e as fases verdadeiramente caóticas são poucas. O foco do jogo, claramente, é agradar aqueles que gostam do lado competitivo de Smash Bros.

Nickelodeon All-Star Brawl

Apesar de Smash Bros. ter uma fórmula conhecida por muitos jogadores, ainda é uma série da Nintendo e muitos leitores talvez não a conheçam. Por isso, precisamos explicar o básico aqui e também ressaltar o que Nickelodeon All-Star Brawl traz de diferente.

Não há uma barra de vida no jogo: conforme você recebe dano, uma % sobe. Quanto mais % tiver, mais longe você será arremessado por um golpe. Ao chegar acima dos 100% (dependendo do personagem), a situação começa a ficar mais crítica e quase qualquer golpe deve jogá-lo para fora do cenário. O objetivo é eliminar o oponente jogando-o para longe, seja para as laterais, para baixo ou para cima – sempre fora do estágio.

Nickelodeon All-Star Brawl possui no X os golpes fracos (pense no “A” de Smash) que, apesar de não jogarem o oponente longe, são bons para combar e causar dano. Há três variações: se você segurar para cima, baixo ou nenhuma direção (enquanto pressiona o botão), serão feitos três golpes distintos. O mesmo é válido para o botão bola, que por sua vez oferece um golpe forte mas mais lento (são os smashes de Smash Bros.). Aqui, a diferença com o jogo da Nintendo é que é possível executá-los no ar.

Já no triângulo temos o pulo, que permite um pulo duplo se pressionado uma segunda vez e no quadrado há os golpes especiais, que também possuem três variações e mudam bastante conforme o personagem utilizado. Vale lembrar que, normalmente, o cima+especial é um golpe que ajuda o personagem a retornar para a arena. Os comandos citados são no padrão, mas você pode configurar como desejar.

Nickelodeon All-Star Brawl

Além dos ‘smashes’ no ar, Nickelodeon All-Star Brawl também difere de Smash Bros. na sua defesa (não há rolamento) e, se você pressionar o botão de defesa no ar, gera um dash aéreo ao invés de desvio. Ou seja, além dos smashes no ar e essa mudança no botão de defesa, o gameplay é extremamente parecido com o título da Nintendo. É difícil não ficar comparando quando o jogo é quase igual.

Claro, há diferenças sutis, como uma mecânica que o “cima+bola” (o up smash) causa em determinadas situações, ou até mesmo na velocidade do jogo, que parece ser mais rápida que SSB Ultimate, por exemplo. Mas de uma forma geral, Nickelodeon All-Star Brawl é o clone mais próximo que eu já vi de Smash.

A única crítica de tudo isso é que, como o jogo é rápido, determinados golpes consequentemente parecem ter poucos frames de animação. Assim sendo, há vezes que você nem vê que um golpe foi executado, principalmente os fracos. Faltou algo para deixar mais claro isso – não necessariamente aumentar os frames, mas talvez algum tipo de iluminação na hitbox, como um pequeno brilho, não sei.

Também podemos criticar um pouco o balanceamento. É um jogo novo recém-lançado, porém claramente determinados personagens possuem vantagens absurdas, como April, Leonardo e CatDog. Isso, porém, deve ser alterado via patches de balanceamento.

O gameplay, portanto, me agradou bastante. Fica bem óbvio que não quiseram inovar ou inventar algo, mas se você não se importa em ser um clone, terá um bom tempo de diversão.

Nickelodeon All-Star Brawl

Até o momento, vimos que o single-player é simplesmente inexistente e o multiplayer agrada se você gosta mais do lado competitivo de Smash. Mas e o online? Aí está o coração de Nickelodeon All-Star Brawl e a sua única vantagem sobre o jogo da Nintendo devido ao netcode via rollback.

Serei honesto: não encontrei um único jogador brasileiro em Nickelodeon All-Star Brawl. Não há cross-play, mas não sei dizer se também não existe cross-play entre PS4 e PS5 (não pude testar isso, pois o código que recebemos para a análise ofereceu a versão apenas de PS5, mesmo com o jogo tendo upgrade gratuito). Além disso, o título possui uma opção de escolher servidores regionais e, sempre que optava pela América do Sul, não encontrava ninguém.

Porém, ao escolher o servidor dos EUA da Costa Leste, consegui jogar com pings altos de 180 a 200 ms. Apesar disso, graças ao netcode via rollback, a experiência fluiu muito bem. Claro, algumas vezes rolava alguns lags tensos, mas de uma forma geral foi possível jogar online sem maiores problemas. Dito isso, o online de Nickelodeon All-Star Brawl está de parabéns.

Nickelodeon All-Star Brawl

O online, como o jogo todo, é bastante simples e direto: você pode jogar partidas rankeadas, um quick play que aceita qualquer tipo de regra para jogar com outra pessoa (ambos citados são 1×1) e uma opção para criar um lobby e criar suas próprias regras ou jogar com seus amigos (partidas até 4 jogadores são possíveis aqui).

Só queria deixar registrado que o troféu de platina de Nickelodeon All-Star Brawl é bem simples de ser obtido, porém há um de ouro com uma proposta horrível: vencer cinco oponentes que são melhores que você nas partidas rankeadas. Resumindo a história: se você joga bem, precisará perder de propósito para diminuir o seu rank e conseguir esse troféu. É algo completamente sem sentido. Algo mais tradicional como vencer um número de partidas ranked faria mais sentido.

Não citamos até o momento, mas o elenco de Nickelodeon All-Star Brawl é interessante. É claro, há muitos personagens que ainda podem participar do game (e um número ainda maior se colocássemos personagens das séries com atores reais), mas de uma forma geral, para um elenco base, não é ruim. O rumor de que Garfield chegará ao game, além de uma lista DLC com Lula Molusco tornam as coisas bacanas, mas será impossível agradar todo mundo.

Jogo analisado no PS5 com código fornecido pela GameMill Entertainment.

Veredito

Nickelodeon All-Star Brawl é claramente um clone de Smash Bros. que acaba agradando pelo seu gameplay sólido e online impecável. Porém, o conteúdo single-player é basicamente inexistente e o multiplayer é bastante voltado ao lado competitivo – quem busca algo “caótico” pode sair decepcionado.

70
Nickelodeon All-Star Brawl
Fabricante: Ludosity / Fair Play Labs
Plataforma: PS4 / PS5
Gênero: Luta
Distribuidora: GameMill Entertainment
Lançamento: 05/10/2021
Dublado: Não
Legendado: Não
Troféus: Sim (inclusive Platina)
Comprar na

Nickelodeon All-Star Brawl is clearly a clone of Smash Bros. which ends up pleasing for its solid gameplay and flawless online. However, the single-player content is basically non-existent and the multiplayer is very competitively oriented – those looking for something “chaotic” may be disappointed.