Jusant – Review

Anteriormente, já comentei em uma de minhas análises o quanto eu valorizo a capacidade que a mídia de jogos eletrônicos possui de nos conscientizar através de suas histórias. Por isso, sempre que me deparo com um título onde um desses temas relevantes é colocado em destaque, faço questão de analisá-lo não somente pelo que ele oferece em questão de gameplay, mas também pelo peso da mensagem que ele carrega. Jusant é mais um exemplo de jogos assim.

Em Jusanta Don’t Nod nos apresenta a um jogo de aventura e puzzles 3D, cujo principal pilar está no sistema de escalada. Até aqui, nenhuma novidade, pois essa mecânica é uma das mais presentes em jogos desse gênero. Só que Jusant também introduz algumas ideias únicas, transformando algo que parecia ser uma simples jornada rumo ao topo de uma montanha em uma aventura repleta de momentos memoráveis.

Jusant

Jusant acompanha a história de nosso protagonista, a quem chamarei apenas de viajante, enquanto ele trilha seu caminho por uma montanha antes habitada por uma civilização desconhecida, mas que pela escassez de água acabou sendo abandonada. Que o tema principal de Jusant é o efeito das mudanças climáticas, isso já é percebido logo no início. O que acaba ficando em segundo plano são as intenções do viajante, algo que nos é revelado apenas na parte final do game. Só que a forma com que a Don’t Nod escolheu para desenvolver a narrativa de Jusant vai um pouco além disso. Muito também será abordado ao estabelecer um vínculo do viajante com a montanha e seus habitantes, bem como também ao deixar parte do protagonismo com um outro personagem para lá de especial.

Conhecido como Contentor, a simpática criatura que acompanha nosso viajante ao longo de sua jornada é um ser dotado de incríveis habilidades. Com parte de sua composição corporal formada por água, ele é capaz de emitir um eco para interagir com a fauna e flora local criando novos caminhos. Outra habilidade do Contentor é a de localizar alguns colecionáveis. Por sinal, os colecionáveis exercem um papel bastante importante em Jusant. É através deles que nos aprofundaremos na história da montanha, obtendo mais informações sobre os eventos que levaram a população a abandoná-la, assim como também conhecendo um pouco sobre alguns de seus habitantes.

Jusant

Esses colecionáveis podem aparecer nas mais diversas formas, como no caso das cartas contendo diálogos entre habitantes da montanha ou mensagens do cotidiano, conchas onde escutaremos ecos do passado, ou até pinturas e outros artefatos. Claro que é possível compreender a ideia principal do jogo sem ir muito a fundo nesses colecionáveis, mas quem se dedicar um pouco mais a encontrá-los com certeza terá uma experiência de história ainda melhor.

Falando um pouco sobre a jogabilidade, ela vai além do simples ato de direcionar seu personagem enquanto escala a montanha. Toda a movimentação de escalada é feita através dos gatilhos do DualSense, que simulam a ação das mãos do personagem. Além disso, também temos ao nosso dispor algumas ferramentas típicas de alpinismo, como o mosquetão, o pitão e a corda. Essas ferramentas serão utilizadas para controlar a escalada, marcar pontos de segurança e criar meios para alcançar plataformas e objetos. Os caminhos a serem escalados são todos predeterminados, mas em situações específicas você também terá que estudar os cenários para deduzir como avançar para a próxima sessão. Muitos dos itens colecionáveis se encontram em caminhos adjacentes, então será necessário explorar algumas possibilidades para encontrá-los.

Jusant

Conforme progredimos pelo jogo mais mecânicas vão sendo introduzidas. Essas mecânicas incluem a gestão do consumo de vigor, auxílio de criaturas da fauna local, caminhos a serem revelados através de plantas acionadas com o poder de eco do Contentor, e até efeitos climáticos que mudam a maneira com que você deve abordar suas ações. No caso do calor, por exemplo, ele influencia na duração das raízes das plantas e também aumenta a taxa de consumo de seu vigor. Já o vento pode ajudá-lo a conseguir um impulso para alcançar maiores distâncias, quando no sentido favorável, mas também impedi-lo disso quando estiver soprando na direção oposta.

Os controles, no geral, respondem bem, mas certas mecânicas tendem a ser confusas em alguns momentos. É o caso das situações nas quais será necessário direcionar o pulo para alcançar uma plataforma ou agarrar em elementos do cenário. Nesses casos, é comum perder um pouco da noção para onde esse pulo está sendo direcionado. Outra mecânica que não me agradou foi a necessidade de manter um dos gatilhos sempre pressionado, mesmo quando estiver descansando ou somente esperando o momento certo para executar uma ação.

Jusant

Um dos destaques do jogo, sem dúvidas, está na ambientação, composta por gráficos muito bonitos e que passam uma ótima impressão de tudo que vivenciamos ao longo da história. O game possui a característica marcante de nos cativar com momentos emocionantes, sejam eles através de simples interações com a fauna da montanha, admirando os belos visuais, ou especialmente durante as passagens principais da história. Muitas dessas situações são embaladas por uma excelente trilha sonora, contribuindo ainda mais para tornar Jusant uma aventura que, por mais que não dure muito tempo, ainda é capaz de nos impressionar.

Mesmo que a ideia de escalar uma montanha possa passar uma impressão de monotonia, o jogo conta com um bom level design, alternando entre momentos de escalada e de exploração. Há uma bora variação de ambientes, passando por assentamentos humanos e cavernas. Cada capítulo representa um momento da jornada dos personagens, ao mesmo tempo que também introduz diferentes biomas. Nos ambientes internos, destaque especial para os ótimos efeitos de iluminação, com certeza uma das vantagens que a equipe de desenvolvimento soube tirar da Unreal Engine 5.

Jusant

Por falar no aspecto técnico, Jusant se comportou bem na maioria do tempo, mantendo-se estável e sem maiores problemas. Somente em um capítulo específico, percebi algumas quedas na taxa de quadro por segundo e uma redução considerável na resolução. Felizmente, isso ocorreu apenas durante parte desse capítulo, portanto não chega a ser algo que prejudique o desempenho do game.

Jusant é divertido de ser jogado, mas ainda melhor para ser admirado. Ele é outro daqueles títulos que transcendem a barreira de um jogo eletrônico para se tornarem também uma lição de vida. Por mais que a campanha seja curta, as cinco de horas de duração foram suficientes para fazer com que Jusant alcançasse o patamar de ser uma das experiências mais emocionantes deste ano.

Jogo analisado no PS5 com código fornecido pela DON’T NOD.

cassino online Netbet

Veredito

Jusant é um daqueles títulos para ser jogado no seu próprio ritmo, enquanto aproveita suas paisagens e curte cada momento da jornada de seus personagens. Mais do que um jogo de escalada, Jusant é uma obra de amizade e conscientização, trilhada através de uma aventura por um mundo desolado e cheio de histórias para contar.

85

Jusant

Fabricante: DON'T NOD

Plataforma: PS5

Gênero: Puzzle / Plataforma

Distribuidora: DON'T NOD

Lançamento: 31/10/2023

Dublado: Não

Legendado: Sim

Troféus: Sim (inclusive Platina)

Comprar na

Veredict

Jusant is one of those titles to be played at your own pace, while enjoying its landscapes and every moment of its characters’ journey. More than a climbing game, Jusant is a work of friendship and awareness; an adventure through a desolate world full of stories to tell.