Dragon Ball Xenoverse 2

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

 


 

Dragon Ball Xenoverse 2, sequência do já ótimo Xenoverse lançado em 2015, chega pelas mãos da Dimps e da Bandai Namco, evoluindo e adicionando conteúdo suficiente para justificar a sua existência, sem abandonar os fãs de longa data que continuam sendo o público-alvo do jogo. Felizmente, DBX2 faz o suficiente para se sustentar como um bom jogo, podendo ser atrativo tanto para os fãs quanto para os que só têm um interesse passageiro na série.
 

DBX2 possui uma base muito sólida. O primeiro Xenoverse já era um ótimo jogo (cuja análise você pode ler clicando aqui) e muito dos seus assets e idéias são reutilizados aqui. O jogador novamente é colocado no papel de um Patrulheiro do Tempo, personagem criado pelo próprio jogador e responsável pela grande missão de restaurar a história que está sendo alterada em pontos-chave (momentos icônicos do anime e seus filmes).
 


 

A história, portanto, é praticamente a mesma do jogo anterior, com algumas pequenas alterações e nuances. Toki Toki City agora se chama Conton City e o herói do jogo anterior tem uma estátua em sua homenagem no centro da cidade (se o jogo detectar um save de Dragon Ball Xenoverse, ele te permite importar não só a aparência do seu herói, como algumas habilidades também). A grande inclusão são batalhas e personagens inspirados tanto nos filmes mais recentes quanto em Dragon Ball Super, que por si só acrescentam bastante conteúdo ao jogo, o que fica ainda melhor diante da maneira como a história é apresentada.
 

Assim como no anterior, o jogador vai ganhando experiência e níveis através dos quais é possível melhorar o seu personagem, além de comprar novas habilidades para equipar em seu lutador. Novamente é possível escolher entre as 5 principais raças (Sayajins, Humanos, Nameks, Majins e Arcosianos, aqui chamados simplesmente de “Raça de Frieza”), cada qual com suas peculiaridades, tanto em combate quanto nos diálogos e nas recompensas das missões, e há uma boa gama de opções de customização.
 


 

Há uma boa dose de replay no jogo, uma vez que há a possibilidade de rejogar cada saga após terminá-las e a quantidade de missões secundárias, tanto offline quanto online, é mais do que suficiente para manter o jogador entretido por bastante tempo. O online, aliás, foi bastante melhorado (apesar de estar longe de ser a experiência mais estável do mundo) e bem fácil encontrar outros jogadores para realizar as missões.
 

O jogo em si parece muito mais bonito do que o anterior. DBX foi lançado ainda como um jogo cross-gen e DBX2 muito se beneficia em chegar apenas à atual geração. Os gráficos são bonitos, as animações e os efeitos dos golpes, uma das partes mais visualmente interessantes de Dragon Ball, impressionam por sua fluidez (rodando a 60fps estáveis) e beleza, sendo tudo exacerbado pelo brilho e o excesso de cores que é marca registrada da franquia.
 


 

Em outros pontos também fica claro o quanto esse avanço influenciou o jogo. Conton City é muito maior do que Toki Toki City era e agora é possível voar na cidade. Esta ainda é cheia de conteúdo e atividades, com muitos NPCs e outros jogadores, caso esteja online. Infelizmente, a locomoção por ela até se poder voar é lenta e o mapa disponível não é nada intuitivo. Outro ponto que pesa em desfavor do jogo são os longos loadings toda vez que o jogador precisa sair ou voltar para a cidade hub, chegando a durar minutos mesmo offline.
 

Felizmente, além da enorme quantidade de conteúdo, Xenoverse 2 conta também com um ótimo jogo. O combate é ótimo, fluído, bem equilibrado e intuitivo, sendo extremamente familiar a quem jogou anterior, mas fácil de aprender para os novatos da série. O movimento em combate é outro destaque e, diferente do que é no hub principal, é um prazer voar pelos diferentes cenários e participar das lutas com vários personagens ao mesmo tempo (as lutas 1 x 6 são especialmente impressionantes).
 

Xenoverse 2 é o melhor que se poderia esperar. Ele pega tudo o que já era bom no jogo anterior e melhora, se tornando no processo um dos, se não o, melhor jogo baseado na história franquia. É um prazer de se jogar e explorar, capturando perfeitamente tudo o que torna Dragon Ball um dos mais icônicos animes de todos os tempos. A única coisa que poderia torná-lo perfeito seria a presença da dublagem em português, mas a presença das legendas já é um bom primeiro passo.
 


 

 

Veredito

Dragon Ball Xenoverse 2 é um fantástico jogo tanto para os fãs de longa data da série quanto para os novatos, capturando perfeitamente a essência de Dragon Ball, tanto visualmente quanto em sua jogabilidade, se tornando assim um dos melhores jogos baseados na franquia.

 

Jogo analisado com código fornecido pela Bandai Namco.
 

 

Veredito

90

Fabricante:
Plataforma:
Gênero:
Distribuidora:
Lançamento:
Dublado:
Legendado:
Troféus:
Comprar na