Análise – Labyrinth of Refrain: Coven of Dusk

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

O gênero Dungeon RPG tem um ciclo de jogabilidade bem fácil de ser definida: Entrar e explorar uma dungeon, derrotar monstros, coletar itens e tesouros, retornar a base, administrar e fortalecer sua equipe e, finalmente, retornar a explorar novas localidades. É uma jogabilidade muitas vezes interessante e viciante, sendo que como cada uma dessas etapas é desenvolvida é o que separa os DRPGs medíocres dos excelentes. Um excelente DRPG mantém seu jogador interessado em novas localidades, tesouros e desafios e a curiosidade do mesmo o leva cada vez mais fundo nas dungeons.

Labyrinth of Refrain: Coven of Dusk é o primeiro DRPG da NIS, criado pelo mesmo time da série The Witch and the Hundred Knight e partilha muitas característica com a série como um foco em histórias trágicas, bruxas e um amontoado de mecânicas. Ambos os The Witch and the Hundred Knight demonstravam a aptidão e ambição do time em criar jogabilidades diferenciadas, muitas vezes ao custo de outras partes dos títulos. Labyrinth of Refrain, sendo um DRPG, permitiu que o time se focasse em seus pontos fortes e apesar de ser seu primeiro jogo no gênero, é um dos melhores lançados recentemente.

 width=

A história segue a bruxa Dronya e sua aprendiz Luca que vão para a pequena cidade de Refrain investigar um labirinto subterrâneo. O labirinto, no entanto, é repleto de mana altamente concentrada, uma substância mágica e altamente perigosa para seres humanos. Dronya então opta por explorar o labirinto utilizando o Tractarus de Monstrum (Tractie, para os íntimos), um livro mágico capaz de utilizar marionetes como servos mágicos e onde a “alma” do jogador se encontra presa. A história principal se desenvolve conforme o jogador explora o labirinto subterrâneo, gradativamente relevando as reais intenções de Dronya ter ido para a cidade de Refrain. Existem também pequenas histórias dos seres que vivem no labirinto e, como de costume na “série Witch”, muitas tem desfechos trágicos e inesperados.

A jogabilidade de Labyrinth of Refrain é seu principal ponto forte e também o mais difícil de ser explicado porque existem dezenas de mecânicas diferentes que servem para exploração, combate, crescimento dos personagens e muito, muito mais. O título é bastante longo, desafiador e também requer bastante atenção do jogador, pois um momento de descuido ou de azar pode trazer duras consequências e resultar em grandes perdas. Em contrapartida, utilizar todas as mecânicas de maneira eficiente permite que o jogador possa superar batalhas bastante difíceis, receba quantias enormes de experiência e tesouros, encontre ou crie atalhos para tornar a exploração mais fácil e muito mais. Felizmente, o jogo tem uma ótima curva de dificuldade, dando bastante tempo ao jogado para que se acostume com as diferentes mecânicas.

 width=

Ao se explorar o labirinto, Tractie tem o controle de até cinco grupos de marionetes de maneira simultânea. As marionetes assumem a forma humana e cabe ao jogador definir suas principais características como nome, sexo, classe, taxa de crescimento de status, número da sorte, entre outros. Todas essas características afetam de alguma forma outro elemento no jogo, por menor que esse efeito possa ser. Os pactos definem as formações de combate das marionetes e são compostas por um número de espaços para atacantes e suportes, habilidades, efeitos especiais e limitações. Por exemplo, um pacto pode conter uma magia extremamente forte, porém só permitir uma marionete de ataque ou um pacto permitir três atacantes, mas todas devem ser do sexo feminino ou de uma classe específica. Os pactos tornam o manuseio da equipe um tanto trabalhoso e seria uma mecânica melhor caso existisse uma variedade maior dos mesmos ou caso fosse possível alterá-los de alguma forma.

 width=

Quanto maior sua equipe, maior será o custo de Reinforcement ao se entrar no labirinto, sendo que este pode ser recuperado ao se obter mana. Reinforcement é o número no canto esquerdo superior da tela e é o recurso utilizado para inúmeras habilidades de exploração e combate, sendo extremamente importante manter um bom controle sobre o uso desse recurso. Uma das habilidades de exploração, por exemplo, permite quebrar paredes do labirinto o que altera completamente como um labirinto pode ser explorado. Se uma porta está trancada, é possível destruir uma das paredes da sala e entrar sem a necessidade da chave. Existem inúmeros locais que são inacessíveis sem o uso da habilidade e a mesma também pode ser utilizada para criar atalhos, surpreender inimigos ou para fugir dos inimigos mais perigosos.

 width=

Inimigos são representados por uma esfera com um olho e, dependendo da direção em que você aborda esses símbolos, é possível começar o combate com uma vantagem ou desvantagem. Essa vantagem ou desvantagem é a possibilidade que inimigos ou aliados possam sofrer o status negativo “surpreendido” e perder um turno. No começo do jogo, é uma pequena diferença que faz com que as batalhas mais fáceis acabem rapidamente, no entanto, em labirintos subsequentes é uma questão de sobrevivência abusar disso, pois um único turno pode resultar em perdas consideráveis e inviabilizar uma exploração.

As batalhas são realizadas por turnos com Tractie (o jogador) dando ordens aos diferentes grupos seja com habilidades especiais, ataques normais, buffs utilizando Reinforcement e mais. O grande perigo de qualquer combate está nos Gore Hits, uma espécie de dano crítico que decepa um membro de seu alvo. Isso faz com que aliados e inimigos possam perder braços, pernas ou até mesmo a cabeça, sendo que cada parte destruída resulta em uma penalidade diferente. Perder qualquer parte limita o máximo de energia de suas marionetes, perder os braços diminui drasticamente o ataque e perder a cabeça impede que sejam revividos. Uma vez na base, é possível consertar as marionetes, no entanto, o custo monetário não é pequeno, especialmente para marionetes fortes. A chance dos Gore Hits não é grande, mas mesmo o inimigo mais fraco pode causá-lo e fazer com que sua exploração se torne altamente debilitada. Existem mais várias mecânicas que são adicionadas conforme se avança no jogo, mas essas principais são as que tornam Labyrinth of Refrain um excelente DRPG.

 width=

Veredito

Labyrinth of Refrain: Coven of Dusk utiliza suas inúmeras mecânicas para compor um excelente DRPG. As mecânicas tornam a exploração do labirinto algo muito interessante e o combate tem um elemento constante de perigo que impede que se torne tedioso. A história e seus contos trágicos fazem um bom trabalho de cativar o jogador e incentivá-lo a explorar muito além do necessário. Concluindo, o título é um dos melhores lançamentos do gênero nos últimos anos.

Jogo analisado com código fornecido pela NIS America.

Veredito

90

Fabricante:
Plataforma:
Gênero:
Distribuidora:
Lançamento:
Dublado:
Legendado:
Troféus:
Comprar na

Labyrinth of Refrain: Coven of Dusk uses its many mechanics to create an excelent DRPG. The mechanics make exploring the labyrinth fun and the combat has an element of constant danger that prevents it from becoming tedious. The story and its little tragic tales are great in captivating the players and push them to explore beyond the necessary. Overall, this is one of the best DRPGs in recent years.