NotíciasPlayStation

Washington Post diz que Activision Blizzard paga para seus funcionários compartilharem dados relacionados à gravidez

Em uma história publicada pelo Washington Post na última terça-feira, 09/04/2019, revelou que a Activision Blizzard tem oferecido serviços de empresas terceirizadas para monitoramento de fertilidade e do andamento da gravidez para seus funcionários e recebido essas informações de volta dessa empresa.

Ovia Health é o nome da empresa que oferece uma série de aplicativos de bem-estar para planejamento familiar, permitindo aos seus usuários colocarem seus dados particulares pára acompanharem os seus esforços para engravidar e manter uma gestação saudável, além de documentar a saúde da criança após o nascimento. De acordo com o jornal, a Ovia também oferece aos empregadores que pagarem pelo acesso, dados agregados e anônimos que conta a eles muito do que os funcionários colocam nos aplicativos da Ovia, “do período de concepção até o começo da maternidade”.

As informações disponíveis para o empregador incluem quantas funcionárias passaram por uma gravidez de alto risco, quantas tiverem parto prematuro, as dúvidas médicas que elas pesquisaram e o tempo que elas pretendem ficar em licença-maternidade.

A companhia alega que essas informações estão em conformidade com a lei de privacidade americana e a Activision Blizzard também impõe severas limitações a quem pode ver os dados. Falando ao jornal, Milt Ezzard, o vice-presidente da Activision Blizzard para benefícios globais, disse que a Ovia foi instrumental para mudar a atitude dos funcionários em relação a aplicativos que pedem informações pessoais.

“Toda vez que nós introduzimos algo, haviam algumas reclamações: ‘vocês estão se intrometendo em nossas vidas’,” Ezzard disse ao Washington Post, observando que a atitude dos empregados em relação ao Ovia mudou desde a sua introdução em 2014. “Eventualmente as pessoas entenderam que é tudo voluntário, não existe qualquer obrigação e nós vamos lhe recompensar se você decidir participar”. A empresa supostamente oferece um dólar (cerca de quatro reais) de presente para cada dia em que o app for utilizado, mas não quis entrar em detalhes de como os dados são utilizados.

A Activision ressaltou que o programa é bem popular entre os funcionários e que não só os benefícios são importantes para as mulheres envolvidas, como a empresa também oferece compensação financeira para outros programas que monitoram a saúde mental, sono, dieta, autismo e câncer dos funcionários. Segundo o Ezzard, a atitude dos funcionários foi de “a Activision Blizzard é o Big Brother” para “ei, a Activision Blizzard realmente está me dando ferramentas que podem me ajudar”.

Apesar das garantias de privacidade, existe a preocupação de que esses dados possam ser ligados a funcionários específicos em situações como essa através de pistas obtidas através de interações na vida real e especialistas em privacidade alertam que informações obtidas através de aplicativos de bem-estar podem levar a seguradoras e empresas de plano de saúde negarem cobertura ou cobrarem mais caro por ela.

Além disso, apesar dos benefícios levantados pela Activision Blizzard (incluindo ter ajudado funcionárias previamente diagnosticadas como inférteis a engravidar), existem preocupações com o nível de acesso do empregador a dados dos funcionários e eventual discriminação das grávidas, algo que a psiquiatra Deborah C. Peel, fundadora da organização sem fins lucrativos “Patient Privacy Rights” (direito de privacidade dos pacientes), levanta no artigo, chamando o rastreamento da gravidez de “assustador”, adicionando ainda que “existe muita discriminação contra jovens mães e famílias nos ambientes de trabalho [americano], e elas não podem confiar que o empregador realmente tem o seu melhor interesse em mente”.

Em um e-mail enviado para o site Kotaku, um porta-voz da Ovia disse que empregadores nunca tem acesso as “informações pessoais e íntimas” que os usuários colocam no aplicativo. Ao invés disso, disseram que os empregadores recebem “dados agregados, baseados em porcentagem e sem identificação para garantir que a Ovia está ajudando as mulheres a terem resultados mais saudáveis – por exemplo, os resultados estão melhorando? Os empregadores usam esse benefício?”