Ontem, a Naughty Dog revelou uma imagem de um dos finais descartados de The Last of Us (clique aqui se não viu).

Agora, em entrevista com o site GameSpot, Neil Druckmann e Bruce Straley comentaram sobre outro fim que foi descartado no desenvolvimento do jogo.

Este "novo" fim colocaria Ellie sem matar uma única pessoa em toda a jornada e, no fim, ela mataria uma pessoa (não infectada) para proteger Joel. Apesar de querer manter essa ideia, a Naughty Dog logo percebeu que não ia dar certo Ellie não fazer nada o jogo todo em um mundo pós-apocalíptico (e como sabemos, essa cena acontece no meio do jogo).

Outro ponto interessante de Ellie e que não tem relação com o final do jogo é que os produtores tinham planos da personagem pedir desculpas por estragar a discrição de Joel, por exemplo. A ideia era que, aleatoriamente e com uma pequena chance disso acontecer apenas, Ellie esbarraria em um inimigo e o combate aconteceria. Depois, quando as coisas estivessem mais calmas, Ellie falaria algo como "desculpe por isso, eu estraguei tudo lá trás". Isso acabou sendo descartado por causa do tempo de desenvolvimento.

Paralelo a isso, sempre houve uma discussão de que a versão europeia de The Last of Us tinha uma censura em seu modo multiplayer. Veja as gifs abaixo para efeito de comparação da americana com a europeia (mais comparações estão disponíveis aqui):
 



Americana


Europeia
 

Segundo o usuário Ramify nos fóruns oficiais PlayStation, que contatou a Naughty Dog, as censuras realmente existem e são propositais devido aos órgãos que classificam os jogos nos países em faixas etárias. Portanto, para evitar problemas (como vimos com Saints Row IV na Austrália recentemente), a Naughty Dog censurou o multiplayer do jogo em sua versão europeia.