PUBLICIDADE

A Sony da Europa – da qual a Sony da Austrália é uma filial – enfrentou hoje acusações da Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores (ACCC) por clientes enganados sobre seus direitos ao consumidor. O Tribunal Federal da Austrália condenou a Sony com 3,5 milhões de dólares australianos (2,4 milhões de dólares americanos) em multas “fazendo representações falsas e enganosas em seu site e em negociações com consumidores australianos sobre seus direitos da Lei do Consumidor Australiano (ACL)”.

O tribunal considerou que a Sony da Europa enganou quatro clientes depois que eles compraram jogos descritos como “defeituosos” pela PlayStation Network. A Sony informou aos clientes que não teriam direito a reembolso se o jogo tivesse sido baixado ou se passasse 14 dias desde a compra, o que não está de acordo com as leis australianas do consumidor.

Os procedimentos para este caso começaram há um ano e existem precedentes para casos semelhantes na Austrália, como o caso de 2014 contra a Valve.

Em uma declaração, o presidente da ACCC, Rod Sims, afirmou que a Sony deu aos clientes instruções incorretas. “Os direitos de garantia do consumidor não expiram após o download de um produto digital e certamente não desaparecem após 14 dias ou qualquer outra data arbitrária reivindicada por uma loja ou desenvolvedor de jogos”, disse ele. “Os consumidores que compram produtos digitais on-line têm exatamente os mesmos direitos que teriam se tivessem comprado em uma loja física”.

PUBLICIDADE

Além disso, a Sony da Europa teria violado a lei australiana dizendo a um cliente que apenas o desenvolvedor do jogo poderia autorizar um reembolso, e outro que eles só tinham direito a um reembolso na forma de crédito na loja digital. “Os reembolsos sob as garantias do consumidor também devem ser feitos em dinheiro ou transferência de dinheiro, se o consumidor originalmente pagou de uma dessas maneiras, a menos que o consumidor opte por receber crédito na loja”, afirmou Sims.

Os jogos não foram especificados. Em maio, a ACCC ordenou que a varejista australiana EB Games reembolsasse os clientes que haviam comprado Fallout 76 no lançamento e depois não puderam devolvê-lo – não está claro se os dois casos estão relacionados.

A Sony da Europa será obrigada a pagar alguns dos custos legais da ACCC como parte das cobranças.