PUBLICIDADE

A Sledgehammer Games viu altos e baixos desde o seu início em 2010. O estúdio foi co-fundado por Michael Condrey e Glen Schofield, dois ex-vice-presidentes da EA que trabalharam na franquia Dead Space.

O estúdio iniciou sua jornada de Call of Duty ao co-desenvolver Call of Duty: Modern Warfare 3 com a Infinity Ward em 2011. Depois disso, a Activision mudou o Call of Duty para um ciclo de desenvolvedor de três anos a partir de 2014, quando a Sledgehammer Games trabalhou por conta própria com Call of Duty: Advanced Warfare. Mais tarde, tivemos Call of Duty: WWII em 2017.

O estúdio teve um ano difícil em 2018, quando ambos os co-fundadores deixaram a empresa, e muitos desenvolvedores também saíram da Sledgehammer para seguir Condrey e Schofield para seus respectivos novos lugares.

Agora, o estúdio parece ter se estabilizado e recuperado para o futuro. A desenvolvedora iniciou sua “Segunda Década” em agosto de 2019, e o novo COO do estúdio, Andy Wilson, diz que eles configuraram um caminho claro para o futuro. Em uma entrevista ao site VentureBeat, Wilson falou sobre a situação.

PUBLICIDADE

A Sledgehammer está trabalhando em “vários projetos”, provavelmente algum deles (ou todos) relacionados a Call of Duty, e procura contratar mais de 100 desenvolvedores para os escritórios em San Francisco, CA e Melbourne, AU.

Em maio de 2019, foi relatado que Sledgehammer e Raven enfrentaram dificuldades no trabalho para o Call of Duty 2020, e a Activision colocou a Treyarch (de Black Ops) no comando do jogo deste ano. Porém, ainda não há informações oficiais nem sobre o Call of Duty 2020 (rumores apontam que será a respeito do Vietnã) e muito menos como ficou a situação do projeto que a Sledgehammer trabalhava e que deveria chegar em 2020.