Todos nós sabemos que No Man’s Sky, quando foi lançado, não cumpriu exatamente o que prometia. No entanto, apesar disso, a Hello Games continuou focada em oferecer suporte e no próximo dia 24 de julho, o game receberá a aguardada atualização NEXT que, entre outras novidades, trará o multiplayer.

Por causa disso, Sean Murray, fundador da Hello Games, cedeu algumas entrevistas nesta sexta. Conversando com o site The Guardian, Murray deixou claro que não gosta de falar com a imprensa. Ele comenta que desde o lançamento de No Man’s Sky, ninguém do estúdio conversou com jornalistas. Um dos motivos é que o próprio Murray se empolga com o seu game e isso trouxe consequências no passado.

Murray não gosta de lembrar do lançamento de No Man’s Sky em agosto de 2016. Segundo ele, o estúdio recebeu ameaças de morte, de bombas enviadas ao estúdio e assédio de pessoas que trabalham na Hello Games com frequência. Eles estavam em contato direto com a polícia sobre o assunto. Murray diz que ele cortaria o próprio braço por mais tempo de desenvolvimento, mas havia tanta pressão da comunidade e de outras forças envolvidas, sem contar que estavam sem dinheiro, que não tiveram escolha.

“Eu me lembro receber uma ameaça de morte sobre o fato de que havia borboletas no trailer original, e que você podia vê-las enquanto andava, mas não há borboletas no jogo lançado. Eu lembro de pensar: ‘talvez quando você envia uma ameaça de morte sobre borboletas em um jogo, talvez seja uma pessoa má'”, comenta Murray sobre um dos casos.

Já na entrevista com o site Eurogamer, Murray fala que gosta de criar jogos porque, por exemplo, ao divulgar o trailer do multiplayer (mais abaixo) e ver a animação de todas as pessoas, é algo extremamente satisfatório.

Confira algumas das entrevistas que Sean Murray realizou, na íntegra, acessando os sites: