NotíciasPlayStation

Quantic Dream é condenada novamente na justiça; entenda

A Quantic Dream, desenvolvedora responsável por Detroit: Become Human, Heavy Rain e outros exclusivos da Sony, foi condenada por uma corte trabalhista de Paris, sendo considerada culpada por não cumprir com as suas obrigações com seus empregados ao não resolver os casos de assédio e condições tóxicas de trabalho.

As acusações surgiram inicialmente em janeiro de 2018, com vários funcionários alegando que o estúdio possuía péssimas condições de trabalho e condutas não condizentes com um ambiente profissional.

Desde então, a Quantic Dream já havia perdido um outro processo ligado a essas acusações e vários outros funcionários se manifestaram publicamente para corroborar as alegações feitas contra o estúdio, incluindo atitudes sexistas, homofóbicas e racistas, além de obrigarem os funcionários a trabalharem um grande volume de horas.

Nesta nova sentença, o estúdio foi condenado a pagar €5.000,00 de indenização e mais €2.000,00 referentes as despesas judiciais para um dos seus Gerentes de TI. A sentença foi proferida no dia 21 de novembro mas só foi coberta pela mídia francesa no último final de semana.

Segundo o usuário do Reset ERA Passing Assassin, esse não deve ser o final dos processos contra a Quantic Dream, já que “os casos ainda não estão encerrados, já que o mesmo Gerente de TI apelou da sentença sobre uma outra montagem fotográfica humilhante que não foi considerada na condenação. A Quantic Dream, por sua vez, apresentou uma queixa contra seu antigo gerente de TI alegando que ele roubou dados internos antes de se demitir da empresa. Importante apontar que a Quantic Dream também entrou com um processo alegando difamação contra o Mediapart e o LeMonde – os dois jornais que publicaram inicialmente as notícias há mais de um ano”.

A Quantic Dream não deu nenhuma declaração sobre esses eventos até o momento.

Atualização: abaixo você confere a resposta da Quantic Dream sobre o assunto.