Pode-se dizer que Lost Planet 3 obteve uma recepção bastante negativa na mídia (a análise do PS3 Brasil sairá muito em breve). Jogadores também reagiram com suas carteiras – as vendas não estão exatamente “explodindo”.

Em Relação a repercussão do jogo, o produtor Andrew Szymanski, em entrevista com o site Kotaku, disse que “a repercussão tem sido um pouco mais severa do que nós inicialmente esperávamos”.

Szymanski acredita que existem dois grupos: “aqueles que gostam da história, personagens e narrativa do jogo; e aqueles que priorizam mais os detalhes do gameplay e não gostaram da história ou não a valorizaram como uma parte integrante da experiência”.

Szymanski disse:

    Nós tínhamos algumas projeções internas para nos dar uma ideia de como a recepção seria e no geral a repercussão tem sido um pouco maior do que esperávamos.

    Se você olhar para as análises, tanto da imprensa como dos consumidores, você verá que tende a se dividir em dois grupos: um grupo que realmente usufrui da história, personagens, narrativa e compreendem o que estávamos tentando conquistar com a experiência geral. E há aqueles que priorizam mais os detalhes do gameplay e não apreciaram a história ou não a valorizaram como parte integrante da experiência. Como os distintos elementos do jogo são avaliados por pessoas diferentes, há uma grande influência na percepção do próprio jogo completo.

    Eu ouço muitos fãs que realmente se divertem com a combinação da jornada que o jogo os leva e com o que nos propusemos a fazer, mostrando-lhes novos aspectos do universo de Lost Planet. Em última instância, é muito recompensador para mim e para o time ouvir que existem muitas pessoas por aí que realmente aproveitaram o jogo, mesmo que não seja necessariamente universal para todos.

Kotaku também perguntou a Szymanski sobre a possibilidade de uma sequência. Em resposta, ele observou:

    A série Lost Planet sempre foi única, de forma que praticamente se reinventa a cada nova edição enquanto mantém elementos característicos da série. Como eu mencionei anteriormente, uma das lições que nós aprendemos em retrospectiva é que nós não precisamos reinventar a roda a todo tempo; alavancando mais dos conceitos de gameplay do passado e elementos “over-the-top” típicos da Capcom teria nos servido bem por ter certeza de que os jogos anteriores nos fornecem não só o mundo como seus componentes, mas também os bons detalhes do gameplay e de sua estrutura. Se houver uma oportunidade de fazer outro Lost Planet, isso é o que eu iria me atentar primeiro para fazer uma balanceamento, enquanto aplico. novas ideias.