O chefe da marca Xbox, Phil Spencer, comentou sobre a exclusividade de third-parties ao site GameSpot. Segundo ele, a Sony não está fazendo acordos, como o de Street Fighter V, porque está na frente do Xbox One. Spencer diz que os acordos simplesmente estão sendo feitos porque a Sony está pagando por eles.

“Sabe, eu leio as mesmas coisas que vocês lêem, e eu sei que as pessoas pensam que é mais barato fazer acordos com thirds exclusivos se você possui uma maior fatia do mercado. Posso dizer a vocês que não tem nada a ver com isso”, disse Spencer. “Quando você faz um acordo com uma third-party, ela possui sua própria visão do mercado global e o valor dele. E eles devem pensar sobre seus itens e o quão valiosos eles são, assim como qualquer pessoa faria quando vende seus bens”, adiciona.

Paralelo a isso, o CEO da Square Enix, Phil Rogers, também foi entrevistado pelo site GameSpot e soltou a informação que Tomb Raider será uma trilogia.

Rogers diz que a companhia acredita que a exclusividade temporária com a Microsoft foi a coisa certa a ser feita. “Foi feito pelo bem do estúdio e para a próxima etapa da trilogia Tomb Raider… Mas a repercussão existe – nós observamos cuidadosamente e acreditamos que é a coisa certa a ser feita”.

Entretanto, Rogers deixa claro que a exclusividade com a Microsoft não deve ser vista como um passo para que Tomb Raider se torne exclusivo do Xbox. É apenas um capítulo que olharemos para trás e lembraremos como um jogo que foi exclusivo temporariamente do Xbox.

Ainda, segundo a Game Informer, o reboot de Tomb Raider inicialmente “dividiu” a Crystal Dynamics, pois nem todos acharam que o caminho tomado era bom. Porém, o jogo foi elogiado pela crítica e isso amenizou as coisas. De qualquer forma, a Microsoft foi uma das que mais forneceram suporte ao reboot e a exclusividade temporária com a sequência foi algo natural visto pela desenvolvedora – mas de decisão bastante difícil.