O texto abaixo foi publicado no PlayStation.Blog brasileiro.


Desde nossa primeira experiência com Destiny 2 em maio, estive confiante que a Bungie iria oferecer muito do que esperávamos em uma continuação. A missão de abertura da campanha foi uma montanha-russa, imediatamente fazendo as missões principais do primeiro jogo parecerem pequenas. As mudanças no Crisol — de contagem de jogadores até modalidades e indicadores visuais — pareciam inteligentes e ofereceram melhorias sutis a um sistema de PVP que já era forte. Mas e o resto? E o tecido conjuntivo?

Bem, depois de ir até Bellevue e gastar algumas horas na European Dead Zone de Destiny 2, uma das quatro áreas centrais da continuação, estou feliz em relatar que parece ser um jogo completamente diferente. Se cada um dos locais do Destiny original era um iate, a European Dead Zone parece um cruzeiro: gigante, e repleto de novas atividades, áreas escondidas e pistas narrativas. Resumindo, parecia ter vida. Aqui estão as novidades:

MAPA

… tem um mapa! Acessível via seu Ghost a qualquer momento, o novo mapa é seu guia ao planeta no qual está, e aos mundos além. Te dá uma visão geral geográfica da sua região, e pode te ajudar a chegar até eventos próximos, missões e áreas de interesse.

Pode parecer uma mudança sutil, mas — em conjunto com todas as novas atividades em cada zona — dramaticamente reduz a quantidade de tempo entre a última atividade que você fez e o próximo destino da sua equipe. Resumindo: facilita muito a encontrar algo divertido para fazer.

A melhor parte? Eventos Públicos Em Andamento e os próximos Eventos Públicos são mostrados diramente no mapa. Marque-os como destino e entre no seu Sparrow. Você pode jogar fora seu algoritmo de evento feito em casa.

AVENTURAS

Aventuras são algo inédito em Destiny 2, e representam uma das partes mais significativas de conteúdo na European Dead Zone. A equipe de roteiro da Bungie as descreveu da seguinte forma: “se a campanha é um romance, Aventuras são contos.” Baseado nas que experimentei, é bem por aí mesmo.

Aventuras são essencialmente missões opcionais que você pode enfrentar enquanto explora o mundo. Contém elementos narrativos pré-definidos, personagens familiares, dublagem, e elementos de roteiro que são comparáveis com algumas das missões de campanha do primeiro Destiny, mas geralmente não atingem os níveis bombásticos da campanha de Destiny 2 — baseado na explosiva primeira missão que jogamos no beta. Ao invés de focar no arco principal de história de Destiny 2, contam tramas menores que revelam mais sobre o mundo no qual você está e os personagens que encontrou. Falando nisso…

DEVRIM KAY, GUARDIÃO DA EDZ

Devrim Kay é o NPC principal da European Dead Zone, e serve como guia principal para muitas das Aventuras que você enfrentará ao chegar lá. Instalado no topo de um campanário com seu confiável rifle, ele fala com um grunhido com sotaque do leste europeu que imediatamente me fez simpatizar com ele, e me deixou ansioso para descobrir mais sobre seu passado e seu relacionamento com o resto do elenco do game.

Ele também serve como uma espécie de chege de facção para a EDZ, coletando Tokens da EDZ assim como diversos recursos escondidos pelo mundo em troca de pontos de reputação com sua facção. Obtenha quantidades suficientes e ele eventualmente te oferecerá sua mistura especial de engrama lendário, com armas personalizadas e equipamento que batem sua estética de vestimenta pós-apocalíptica.

A coisa mais importante sobre Devrim: nunca senti que precisava falar com ele para saber o que fazer a seguir; o mapa cuidava disso. Apenas visitei ele quando estava na hora de pegar as recompensas.

OS SETORES PERDIDOS, E BAÚS REGIONAIS

Enquanto os Eventos Públicos e Aventuras podem ser rastreados com guias, o mapa de Destiny 2 também contém algumas atividades mais elusivas: Setores Perdidos e Baús Regionais. Indicados por pequenos ícones não-rastreáveis e muitas vezes enigmáticos, Setores Perdidos e Baús Regionais encorajam jogadores a enfiar o nariz por aí e explorar cantos nos quais não iriam normalmente.

Baús Regionais são exatamente o que você imaginaria: caixas identificadas de forma diferenciada escondidas fora de vista, normalmente contém tokens da EDZ e tesouros variados, e muitas vezes exigem que o jogador precise pular em plataformas e atravessar ambientes que a maioria nem perceberia. Eles lembram dos Baús Dourados de Destiny, mas não estão limitados a tesouros iniciais do jogo. Ao invés disso, você recebe tokens da EDZ e bônus da facção.

Setores Perdidos podem ter sido minha parte favorita da EDZ. Essas áreas em forma de labirintos escondidos exigem que jogadores se aprofundem em cavernas e explorem sistemas de drenagem complexos ou redes de cavernas antes de encontrarem um grande grupo de inimigos, e mais importante: um tesouro realmente grande. Esse tesouro só pode ser aberto ao derrotar inimigos de elite com nome que guardam a área, e recuperando os códigos do cache do setor. Encontre o setor, derrote o chefe, obtenha o código de cache e o tesouro é seu. Pode começar a dançar.

EVENTOS PÚBLICOS, E UMA CHANCE EM EVENTOS PÚBLICOS HERÓICOS

Tá, então eventos públicos obviamente não são novidade em Destiny 2. Mas de muitas formas eles conseguem parecer diferentes dos muitos que joguei (repetidamente) no primeiro jogo.

Eu mencionei anteriormente como o mapa mostra exatamente onde e quando os eventos públicos vão acontecer, mas agora cada evento público tem objetivos secretos — descobrir e completar estes destrava uma versão Heróica do evento público. Complete isto e você receberá um belo incentivo de experiência, e uma chance de obter tesouros épicos.

O critério destes objetivos escondidos nunca é comunicado ao jogador. Ao invés disso, você terá de experimentar e explorar por conta própria. Não quero estragar a graça aqui, mas digamos apenas que Guardiões triunfantes das missões heróicas de Destiny podem ter uma boa ideia de por onde começar.

Com menos de duas semanas para o lançamento, quaisquer dúvidas sobre Destiny 2 foram apaziguadas. O jogo tem mecânicas centrais soberbas e controles aperfeiçoados e uma arma que parece – na minha opinião – a melhor de sua classe, mas agora o mundo parece vivo de maneiras que o primeiro jogo apenas sonhava em ser. Se a European Dead Zone for indicação do resto das zonas do jogo, Destiny 2 terá muito mais nele. E mal posso esperar para cair de cabeça.

Se você tem perguntas sobre o tempo que passei na Dead Zone, deixe um comentário abaixo e farei meu melhor para responder. Boa caçada, Guardiões!