Um artigo da Rice Digital trouxe detalhes do gameplay de Dragon Ball FighterZ que podem ter passado despercebido durante a E3 2017 em relação às mecânicas de jogos de luta.

Confira:

  • Como é um jogo por equipes (3×3), não é de se espantar que uma das mecânicas é o snapback, ou seja, forçar que o seu oponente troque de personagem. Em DBF, você deve “agarrar” seu oponente e então apertar o botão de tag;
  • Como revelado no passado, o jogo não possui agarrões clássicos. O escritor do artigo define agarrões como a técnica Dragon Rush, que todos os personagens possuem: é um sistema que o lutador persegue o adversário e o joga para o ar se não dar “tech” (apertar o mesmo botão na hora);
  • O jogo possui um sistema de parry. Ao apertar para trás para defender e depois o botão de energia, você pode refletir o ataque. Porém, deve ser preciso para que funcione. Além disso, não se sabe exatamente com quais movimentos isso funciona – se são todos ou apenas alguns;
  • Todos os personagens até o momento possuem movimentos de “meia-lua”. Ou seja, é como se todos os comandos fossem de hadouken – não há nem de shoryuken e nem de charge (tipo os de Guile).