O jornal francês Le Monde entrevistou recentemente Michel Ancel. Ele respondeu algumas questões sobre Beyond Good & Evil, falando sobre o desenvolvimento, temática e mais.

Confira abaixo os pontos interessantes da entrevista:

  • Foi Yves Guillemot quem chamou Michel Ancel para fazer Beyond Good & Evil 2. Ele iria sair após Rayman Legends (o artigo fala Origins, mas deve ser um erro) em 2013, pois ele tinha acabado de co-fundar seu novo estúdio, Wildsheep, mas ele não poderia recusar a proposta de Guillemot;
  • O projeto original iniciou-se em 2007 e foi abandonado em 2009, por vontade de Michel Ancel. Eles voltaram a trabalhar nele em 2012-13 e ele sente que ainda precisa de mais 3 ou 4 anos para finalizá-lo, mas não tem certeza;
  • Ele o chama de "projeto fabuloso". É muito ambicioso, mas possível nos consoles atuais;
  • Ele ainda trabalha em seu jogo independente Wild durante as tardes todos os dias, e pela manhã em Beyond Good & Evil 2. Ambos os jogos são de mundo aberto;
  • Em BGE2, o coração do jogo é a "civilização". BGE1 falou sobre a manipulação das massas e das mídias, mas este será completamente diferente. Falará sobre conspiração e o aspecto humano. Haverá muitos personagens surpreendentes;
  • Algo muito importante para ele é o ritmo. Se está muito rápido, mas o cenário é amplo e bem ritmado, com descobertas a serem feitas, então não fica tedioso;
  • No momento, eles estão criando o mundo do jogo. É realmente o seu coração. Daí então, começarão a trabalhar no enredo;
  • Não há data de lançamento, ambos os projetos são "loucos", eles progrediram bastante, mas ainda não podem falar sobre eles. São projetos sem limites;
  • Ele tem um certo receio de que, caso a Vivendi compre a Ubisoft, eles não consigam terminar o jogo;
  • "O que é certo é que Beyond Good & Evil 2 é um projeto fantástico. Espaço, planetas, viajar a 15.000 km/h… É algo louco. Tudo isso pode rodar nos consoles atuais, e funciona. Com esse tipo de projeto, podemos mostrar que video game é algo louco, que ainda tem futuro".