Em uma entrevista na Famitsu, Hideo Kojima, criador de Metal Gear Solid, falou sobre Metal Gear Solid V: The Phantom Pain e disse por que Ground Zeroes é necessário tanto para o gameplay como para a história.

Ground Zeroes deve sair como um prólogo, antes do jogo principal (The Phantom Pain) de forma que os jogadores possam se acomodar com um Metal Gear Solid de mundo aberto.

“A parte principal do jogo é enorme e você pode ser atacado por inimigos de todas as direções”, diz Kojima. “A medida que o tempo passa, suas reações dentro do jogo vão mudar dependendo da ação de jogadores.

Kojima também dá motivos relacionados a história ao explicar o porquê de Ground Zeroes ser necessário.

“GZ acontece em 1975, um ano após Peace Walker, e o jogo principal é em 1984, nove anos depois. Algo muito ruim acontece no final de GZ e então você continua pelo jogo principal. A não ser que você jogue GZ, você não compreenderá por qual motivo retaliação/vingança é um dos temas principais de MGSV.”

Kojima também esclarece sobre aspectos do mundo-aberto de MGSV.

“É claro que não será um jogo em que Snake pesca o dia inteiro ou muda de trabalho e busca por uma vida diferente. O mapa do jogo é aberto e você tem liberdade neste sentido, mas em MGSV, fica claro o que você está fazendo. Isto pode ser ‘Eu preciso salvar alguém’ ou ‘destruir coisa X’ ou ‘coletar informações num lugar tal’. Algumas missões terão limite de tempo também.”

O jogo é categorizado como “Tactical Espionage Operations” dessa vez, conforme diz Kojima. Eles estão misturando o velho Metal Gear Solid com o novo, Peace Walker, além de inserir um mundo aberto. “Há outro mundo em espera dentro desse conjunto, e é algo que eu imagino que você está aguardando.”