Durante a Devcom na Colônia, Alemanha, o diretor de God of War, Cory Barlog, comentou sobre a criação do jogo. Na ocasião, ele compartilhou algumas curiosidades.

Segundo Barlog, a mitologia nórdica não era a única candidata. Em um dado momento, havia outras três opções: egípcia, inca e hindu. Depois de uma seleção, sobraram a egípcia e nórdica. Foi Barlog quem acabou decidindo pela nórdica.

A mitologia egípcia foi tão considerada, a ponto de criarem uma arte conceitual (abaixo). É possível ver uma esfinge e um soldado mascarado similar aos soldados de Anubis no filme “A Múmia”. Atreus ainda está presente, mas sua roupa está bem diferente.

Outra arte conceitual mostra a evolução de Atreus. O visual inicial do personagem “assustou muita gente”, segundo Barlog. Ele também comenta que a equipe tinha conteúdo para três anos de desenvolvimento, mas o prazo era de apenas dois. Muita coisa foi cortada e ter ótimos produtores envolvidos acelerou o processo, de acordo com Barlog.

God of War está disponível para PS4. Amanhã, dia 20 de agosto, um modo New Game+ chegará ao título. Além disso, a Santa Monica Studio explicou como foi criada a primeira luta de chefe de God of War.