Depois de anúncios de exclusividades da Electronic Arts tanto na gamescom quanto na E3 para as plataformas da Microsoft, muitas pessoas estão concluindo que a parceria entre a Sony e a EA está em decadência. O presidente da EA Labels, Frank Gibeau, diz que não é verdade.

As notícias de exclusividade incluem: Xbox One virá com FIFA 14, Titanfall, DLC exclusivo temporariamente de Battlefield 4 e Plants vs Zombies: Garden Warfare.

Gibeau disse ao site CVG que a EA não está favorecendo nenhuma plataforma e que a relação com a Sony é "muito boa". Ele diz que não há mudanças de estratégias e que tanto as plataformas da Sony quanto da Microsoft são muito importantes para a EA e menciona que no passado acordos de exclusividade também foram feitos com a Sony. Ele apenas diz que Titanfall é um caso isolado e que faz parte do programa EA Partners.

Gibeau finaliza dizendo que a EA espera que as duas plataformas tenham sucesso e elogia a Sony pela sua transição excepcional para a nova geração. "É um longo ciclo e certamente há potencial para acordos de exclusividade com a Sony também", diz.

Paralelo a isso, nessa mesma entrevista, Gibeau disse que a EA tem planos de lançar uma ou duas novas franquias a cada ano nos consoles da próxima geração. Segundo ele, há cerca de seis novas sendo desenvolvidas.

"Nós anunciamos algumas delas, Mirror's Edge e Battlefront, mas há outras também. A última vez que eu conversei sobre isso não tínhamos o acordo 'Star Wars', então há esses games também. Nesse ano também temos novos projetos – UFC é novo para a EA e é claro temos Titanfall".

No entanto, há um problema nessa afirmação. Todos os jogos mencionados não são "franquias novas" (exceto Titanfall), como UFC já teve vários jogos com outra produtora e Mirror's Edge não é uma franquia nova. Gibeau também menciona que Dragon Age: Inquisition pode se enquadrar nisso devido a todas as mudanças que estão sendo feitas à série.

Ou seja, "novas franquias" não é exatamente o que Gibeau está se referindo, mas com sorte veremos propriedades intelectuais realmente novas no futuro.