O diretor de Tomb Raider, Noah Hughes, conversando com os fãs nos fóruns oficiais, disse que a vida pessoal de Lara não será explorada neste novo reboot da série (o jogo lançado neste ano e o próximo que já está em produção).

"A busca e a jornada de Lara para se tornar uma 'Tomb Raider' é quase que uma obsessão involuntária. Ela começa como uma fanática por arqueologia, mas então se torna uma paixão que a consome por inteira a ponto de arriscar a sua vida", diz Noah.

"Então parte da jornada de Lara é lutar com o balanceamento do que significa ser uma jovem amadurecendo e o que significa ter responsabilidades de uma 'Tomb Raider'. Lara precisa priorizar. Ela não tem espaço para alguém significante em sua vida – ela não tem espaço sobrando após a arqueologia. Mas isso não significa que ela não tenha sentimentos", continua. "Então o que nós brincamos um pouco durante a sua jornada nesses primeiros dias é a tensão entre a vida que ela talvez tenha se não tivesse sido sugada pela toca do coelho. Nós estamos mostrando não a vida normal, mas a vida 'Tomb Raider'. Ela é tão dedicada e tão obsessiva e focada que não tem espaço para essas outras coisas".

Nota: "Tomb Raider" não foi traduzido nas citações de Noah pois ele mesmo menciona como nome próprio.