Durante a E3 2015, o PS3 Brasil teve a oportunidade de conversar com Koji Nakajima, produtor da Bandai Namco e responsável por One Piece e J-Stars Victory VS+.

Agradecimentos especiais a Kadu Araújo, da FD Comunicação, por permitir que essa entrevista acontecesse.


J-STARS VICTORY VS+
 
PS3 Brasil: Como vocês conseguiram as licenças de todas as franquias?
 
Koji Nakajima: Há diversas pessoas que possuem os direitos das séries no jogo, então o que eles mais se preocuparam foi a qualidade do jogo e a apresentação dos personagens, para que não importasse quem visse o jogo, eles ficariam satisfeitos pelo modo como sua franquia está sendo usada.

PS3: Foi fácil, então?

Nakajima: [Risos] Não tanto assim.


PS3: Quais foram as dificuldades em mesclar tantas franquias em um jogo?

Nakajima: Basicamente, como têm muitos personagens no jogo, apresentar o personagem individual e verdadeiramente, do modo como cada um deve ser apresentado, a sua essência, é algo em que eles se esforçaram. Principalmente nos personagens que, no próprio mangá, não possuem ataques… Colocá-los num jogo de luta e imaginar “que tipo de movimento ele terá”, “como ele se moverá durante a batalha”, isso deu muito trabalho e horas de reuniões para fazer acontecer.

PS3: Tem alguma série que você gostaria de colocar no jogo, mas ficou de fora nesta versão?

Nakajima: Tantas… Tem muitas. A Revista Jump tem diversos mangás, durante todos esses anos que ela existe. Há diversos personagens que eles gostariam de por no jogo, mas eles tiveram que se limitar a alguns personagens. Na América do Sul, sei que Capitão Tsubasa é popular. Eles queriam colocá-lo, mas é algo difícil.

PS3: Sobre o balanceamento, como ele é feito? Alguns personagens são bem mais fortes quando comparados aos outros. Como são feitas essas decisões?

Nakajima: Cada personagem tem suas fraquezas e vantagens, portanto isso depende muito de como você o controla. De acordo com a maneira com que você joga, cada personagem pode se tornar poderoso o bastante para vencer a batalha. No jogo, você luta numa equipe, e assim, um personagem pode parecer mais fraco que o outro, e na batalha não importa se ele é fraco ou forte… Se você juntar esse personagem com um outro com o qual ele trabalha bem, você pode acabar tendo uma equipe poderosa.

PS3: Você acredita numa sequência para o jogo? Se sim, além do Capitão Tsubasa, quem mais você colocaria no jogo?

Nakajima: No momento, não há planos para um novo jogo. Para a Bandai Namco, é a primeira vez que eles fazem um jogo com mais de um personagem licenciado no mesmo jogo [no Ocidente]. Esperamos que a experiência que ganhamos com isso possa ser usada em outros jogos, mas não temos planos para uma sequência ainda.

PS3: Cavaleiros do Zodíaco é bem popular no Brasil, mas no jogo só temos o Seiya, enquanto Dragon Ball tem diversos personagens. Por que isso?

Nakajima: O que aconteceu é que a Bandai Namco se reuniu com a Shonen Jump, para os 45 anos da Revista Jump, e o foco principal do jogo vai para as séries que ainda estão sendo publicadas, com coisas novas surgindo, e então, as séries mais antigas, que também queríamos colocar, acabam tendo menos destaque. É mais ou menos assim que balanceamos.



Ivan, Nakajima e Allan


ONE PIECE: PIRATE WARRIORS 3

PS3: De onde veio a ideia de fazer um jogo de One Piece musou?

Nakajima: Na série One Piece, especialmente quando falamos sobre o Luffy contra vários Kaizoku, há diversos momentos no anime em que Luffy luta contra muitos deles ao mesmo tempo. Então, foi algo fácil de se decidir, especialmente no Japão, em que o gênero Musou foi utilizado em vários jogos, portanto, foi um passo fácil de se fazer com One Piece. Quando pensamos em Dragon Ball, é principalmente um contra um, ou um contra dois, e parece que não se encaixaria com One Piece, e olhando para One Piece como uma série, fez sentido o gênero Musou. Nossa relação com a Koei Tecmo é muito próxima, então quando sentamos juntos com a Bandai Namco e nos perguntamos “e se fizéssemos um Musou com essa série”, isso é uma conversa fácil de termos com eles, porque temos essa relação próxima, e isso influencia em como esse jogo será.

PS3: Você gostaria de fazer um novo RPG com a série, ou qual outro gênero você trabalharia com One Piece?

Nakajima: Há muitas coisas para se gostar em One Piece: os personagens, as batalhas, e também a história. Tem vários gêneros para se trabalhar com One Piece; é uma série maravilhosa. Há várias coisas que eu gostaria de fazer, e também a Bandai Namco, mas neste momento não existem planos específicos, mas sempre há as ideias.

PS3: Além de One Piece, existe a possibilidade de outra série com o mesmo gênero? Naruto, talvez?

Nakajima: O diretor da Koei Tecmo chegou a comentar um dia sobre um Musou de Star Wars [risos]. Não acho que isso acontecerá [risos]. Acho que ele é um grande fã.

PS3: Uma última pergunta, para encerrar nossa entrevista. Em uma batalha entre Goku e Superman, quem venceria?

Nakajima: [Risos] Difícil… Talvez o Goku.