Conversando com o site GamesIndustry, Patrick Plourde comentou que Child of Light sem dúvida gerou mais dinheiro do que o que foi investido pela Ubisoft.

“Não foi tão lucrativo quanto Assassin’s Creed, mas é lucrativo o suficiente para que nós possamos ter fundos para uma sequência”, disse Plourde. “Ou se fosse a minha companhia, eu estaria dirigindo uma Ferrari e fazendo rosquinhas”, brinca.

“A principal razão pela qual eu consegui a luz verde no projeto foi porque eu consegui carta branca por fazer Far Cry 3“, comenta. “Eu não queria fazer Far Cry 3, mas eles disseram, ‘Pat, se você fizer isso e nos ajudar a construir essa marca, nós deixaremos que você faça um tiro livre em um jogo que você queira'”.

Child of Light custou “alguns milhões” para a Ubisoft, principalmente de salários dos 40 membros da equipe que trabalharam em lançá-lo em várias plataformas.