A Capcom liberou na última sexta um relatório anual para investidores. Há diversas informações nele do que a companhia planeja fazer em 2018, 2019 e também nos anos seguintes.

Segundo o relatório, a Capcom especula que o mercado crescerá para 36,6 bilhões de dólares em 2022, o que seria um acréscimo de 45,9% comparado a 2017. O crescimento se deve à base de consoles da geração e o lançamento do Switch. Enquanto que as vendas físicas continuam estáveis, as digitais aumentam em uma velocidade impressionante.

A tabela abaixo mostra as unidades enviadas às lojas por plataforma e por ano fiscal. SKU significa que a Capcom ofereceu aquela quantidade de jogos naquele ano, enquanto que o “sub total” é o número de vendas em milhares. Por exemplo, no ano fiscal de 2012, a Capcom lançou 25 jogos no PS3 e PS4 e vendeu 6.200.000 de unidades com todas as vendas somadas desses 25 títulos. Em 2018, foram 14 jogos e 8.250.000 unidades.

A primeira parte da estratégia da Capcom envolve lançar anualmente jogos de propriedades intelectuais estabelecidas, como Resident Evil, Street Fighter e Monster Hunter. A Capcom fará um estudo para entender o sucesso de Monster Hunter: World e aplicar em seus outros produtos, assim como aumentar o número de funcionários para 2.500 em 2021. Nesse número, a Capcom espera contratar mais mulheres e trabalhadores estrangeiros.

Em relação à essa estratégia de lançar jogos, o CEO Kenzo Tsujimoto comenta que a companhia espera oferecer três grandes jogos por ano. Ainda de acordo com Tsujimoto, games são um item de luxo. Isso significa que a qualidade é um fator importante. Outro aspecto tão importante quanto é o avanço tecnológico, algo crucial para criar jogos de alta classe.

Por fim, a Capcom espera maximizar seu lucro com as franquias atuais, mas também usar as que estão dormentes. A companhia reconhece que criar novas propriedades intelectuais é algo indispensável para o crescimento de médio a longo prazo, então isso também será um foco.