O texto abaixo foi publicado no site oficial.
 


Prévia do Patch 2.4.0: Ilha de Grotagris

O sal do mar queima os seus olhos, machucando e humilhando, e a tempestade sem fim continua a se encrespar. A lembrança de incontáveis navios naufragados nas costas íngremes ainda está fresca em sua mente. Um relâmpago corta o céu, iluminando brevemente a densa floresta ao seu redor. O cheiro forte de pinho e terra úmida é estragado por uma nota de podridão, e os inúmeros olhos que piscam na distância servem de aviso: se a loucura da Ilha Grotagris não acabar com você, as feras certamente acabarão.


 

O que está perdido devia continuar assim

A quilômetros da costa de Hespéria há uma ilha que muitos acreditavam ser apenas uma lenda. Separada por décadas do resto das civilizações avançadas de Santuário, Grotagris já foi o centro de uma grande sociedade. Muitas vezes sociedades assim isoladas crescem e progridem rapidamente, e, com ela, não foi diferente. Seus cidadãos se dedicavam a uma causa misteriosa e, como costuma acontecer em Santuário, maligna. Por motivos ainda desconhecidos, essa civilização avançadíssima caiu, deixando ruínas, caos e uma maldição permanente.

Ao longo dos anos, aventureiros curiosos vislumbravam a ilha na distância, mas muitos achavam que era apenas uma ilusão, talvez até uma armadilha criada pelos muitos males que habitam o mundo. Alguns tentaram saciar a curiosidade, viajando para explorar a ilha e sonhando com fama ou riqueza. Em vez disso, cada viagem terminou em tragédia, pois os que foram tolos o bastante para correr atrás desse sonho jamais foram vistos de novo.


Por trás do mistério: dando vida a Grotagris

Vários temas se conjugam na criação da Ilha Grotagris. É um local de natureza exuberante, mas de vibração sinistra, sobrenatural. Queríamos que esse clima sinistro estivesse bem forte em cada aspecto da área, da arte e dos visuais à jogabilidade e ao design de criaturas.


Esquerda: Artista Conceptual Sojin Hwang. Direita: Artist Senior Matthew Ryan.

Reunir os elementos da ilha foi um processo rápido e intenso. Nossos artistas e designers estavam ansiosos para dar vida à área, e assim a concepção e testes foram completados de forma mais orgânica que o normal. Não precisamos de guia de estilo ou esboços. Grotagris estava tão clara e pronta na nossa cabeça que não demorou nada até produzirmos seus elementos com nossas ferramentas.

Ficou claro que, para conseguir uma sensação de embate entre o homem e a natureza, era necessário evitar usar criaturas humanoides. O Designer de Jogo Sênior Joe Shely explica de forma sucinta: "A Ilha Grotagris é como estar na mata à noite sozinho. É uma ilha selvagem com perigos naturais e sobrenaturais." Os monstros da ilha refletem isso, com inimigos naturais como o Caçador Primevo e a Morte Brilhante e sobrenaturais como a Mãe da Colmeia e o Maguilo.

A inspiração para a área veio de vários lugares, mas a experiência pessoal do Artista Técnico Neal Wojahn no Noroeste do Pacífico teve um papel fundamental na hora de dar vida aos elementos marinhos letais. Nascido e criado na região, Neal menciona uma região da costa chamada de "Cemitério do Pacífico", conhecida por apresentar o maior número de naufrágios do mundo.


Esquerda: Foto Direitos Autorais Kimon Berlin. Direita: Foto Direitos Autorais Adbar.

 

"Grotagris é uma área traiçoeira assim. Quando eu era criança, me lembro de ir de carro com minha família até a costa do Oregon e ver embarcações naufragadas afundando na areia, carcomidas pela fúria verde da natureza."

Essas impressões são visíveis em toda a Ilha de Grotagris. Basta observar um pouco as ondas rebentando e o oceano revolto para sentir o poder bruto dos elementos que a equipe queria transmitir.


Exploração sem fim: A história do Modo Aventura

Com o acréscimo das novas áreas no Modo Aventura que não estavam no Modo Campanha, a equipe de desenvolvimento decidiu testar novos métodos de contar a história. "Não tinha como nós cairmos bem no meio da história", diz Matthew Berger, Designer de Nível Sênior. "Isso foi um desafio, porque o Modo Aventura deve ter uma história simples, pois é aonde os jogadores vão para jogar o mesmo conteúdo várias vezes."

Conhecer a história de Grotagris é um processo complexo que exige mais que apenas correr por aí pela área. Ao explorar a ilha, você começa a descobrir o mistério em cada anotação no diário, em cada evento que você encontra. Nem todos os jogadores vivenciarão a mesma história, e podem até chegar a conclusões diferentes em relação a ela; deixamos para o aventureiro escolher se vai se concentrar nos eventos revelados ou se vai passar voando pela área, marcando as missões na lista.

Essa também foi uma grande oportunidade para explorar o mundo de Santuário fora dos eventos do Conflito Eterno. Leonard Boyarsky, Designer de Mundo Sênior, explica que o método narrativo da Ilha de Grotagris é mais focado na exploração que na exposição. "Não nos concentramos muito na narrativa principal. Preferimos manter o mistério com uma história acessória, fazendo o jogador reunir as informações sobre o que se passou". Essa abordagem torna Santuário um lugar maior e mais vivo do que nunca, em que podem ocorrer eventos além das maquinações de anjos, demônios e aventureiros.


A ilha tem fome…

A atmosfera, os inimigos, a jogabilidade da Ilha de Grotagris, tudo trabalha em conjunto para transmitir uma sensação desoladora e sinistra, instilando o desespero em quem se perder em suas florestas sombrias. A fauna e a flora podem ser descritas como "sedentas de sangue", e apenas os exploradores mais resolutos vão desvendar os segredos que o local guarda. Estamos empolgados para ver os jogadores mergulharem na experiência e montarem o quebra-cabeça da lenda que os misteriosos cidadãos de Grotagris deixaram. Cuidado, aventureiros, para não se tornarem mais vítimas esmagadas sob esse antigo mal.