NotíciasPlayStation 4

[Atualizado] Bethesda ameaça legalmente usuário que estava vendendo The Evil Within 2 no mercado de usados nos EUA

História poderá gerar enormes consequências.

Atualização: a Bethesda se manifestou dizendo que o problema neste caso em específico é que o usuário estava vendendo a cópia como se fosse nova (lacrada) e não como usada. A empresa comenta que isso não é permitido porque não é possível saber se realmente é lacrada e o usuário não é um revendedor oficial.


O mercado de usados nos EUA é grande, com lojas como GameStop tendo metade de seus lucros vindos desse negócio. Mas, da mesma forma que o Brasil, usuários também vendem seus jogos em sites online, como o eBay e o marketplace da Amazon.

Ryan Hupp, da Filadélfia, mandou ao site Polygon a informação do que ocorreu com ele. Basicamente, Ryan comprou The Evil Within 2 para PS4 sem ter o console. Ele tinha planos de comprar um, mas acabou decidindo melhorar o seu computador. Por causa disso, anunciou a cópia lacrada no mercado de usados da Amazon.

A empresa Vorys, que representa legalmente a Bethesda, enviou um aviso a Ryan dizendo que seu anúncio deveria ser removido ou caso contrário sofreria ações legais por não obedecer a ordem. A Vorys disse que a venda não é de um revendedor autorizado e por isso seria fora da lei. A Bethesda também reclamou do uso da palavra “novo” no anúncio de Ryan, dizendo que isso é propaganda enganosa.

Ryan fez o que mandaram, mas em resposta, disse que a revenda de produtos, como livros, jogos, DVDs, é protegida por lei nos EUA. A Bethesda, por sua vez, diz que não está protegida por lei porque ele não está vendendo o jogo em sua forma original, que incluiria uma garantia. A falta disso torna o produto diferente dos que são vendidos pelos canais oficiais.

Há muita coisa nessa história que não sabemos. Por exemplo: por que o anúncio de Ryan foi o alvo disso, sendo que há inúmeros outros de The Evil Within 2, tanto novos quanto usados, no marketplace da Amazon dos EUA? O fato dele vender como lacrado talvez gerou a ação da Bethesda? Ou o que exatamente está acontecendo?

O maior problema que surge disso tudo é que, em tese, a Bethesda pode usar o argumento de que o “material difere dos produtos genuínos que são vendidos pelos canais oficiais” para qualquer venda usada. Imagine a situação: você anuncia no Mercado Livre o seu jogo lacrado que não abriu (ou usado de fato) e, mais tarde, recebe um aviso legal da Bethesda para tirar o anúncio do ar?

Como dito, essa história ainda dará o que falar.