PUBLICIDADE

Conversando com o site GameSpot, Ken Levine deu sua opinião sobre o PlayStation 4.

Segundo ele, mais memória e mais poder sempre é uma coisa boa. Mas ele adorou o fato de que a arquitetura do novo console da Sony lembra mais a de um PC, e isso "deixará a vida muito melhor dos gamers", pois não serão necessários tantos recursos para adaptar os jogos entre as plataformas.

Levine também disse que não sentou e pensou ainda sobre as características particulares do PS4, mas que o poder do console poderá "preencher" lacunas que acabam surgindo no desenvolvimento de um título da geração atual.

Paralelo a isso, segundo o site Destructoid, que por sua vez cita uma fonte anônima do New York Times, BioShock Infinite custou 200 milhões de dólares para ser produzido. Basicamente, 100 milhões para a produção (que levou cinco anos) e outros 100 milhões para o marketing.

PUBLICIDADE

Para efeitos de comparação, Grand Theft Auto IV custou 100 milhões e Shenmue cerca de 94 milhões, considerando a economia atual. Ou seja, BioShock Infinite está, sem dúvida, entre um dos jogos mais caros da história dos videogames.

Atualização: em seu Twitter, Ken Levine negou que o custo tenha sido 200 milhões.