O diretor de Elden Ring, Hidetaka Miyazaki, disse que o remake de Demon’s Souls para PS5 colocou sua equipe sob uma pressão extra para melhorar a fidelidade gráfica de seu novo jogo.

O título da Bluepoint para PS5 foi um dos jogos de maior audiência de 2020 e recebeu muitos elogios, em particular por seus visuais, que muitos perceberam como um marco para os jogos de console de nova geração.

Falando na última edição da revista EDGE, que já está à venda, o designer da From Software revelou que não jogou o remake da Bluepoint de seu título de 2009, mas sugeriu que seu impacto foi sentido pela equipe de desenvolvimento de Elden Ring.

“Sim, tenho quase certeza de que nossa equipe de criação gráfica sentiu essa pressão mais do que qualquer outra pessoa”, disse ele na revista, transcrita pelo site VGC, quando questionado se a fidelidade gráfica de Demon’s Souls criava pressão extra para sua equipe.

“E não apenas com Elden Ring, mas com todos os jogos que fazemos. A fidelidade gráfica não é algo que priorizamos. O que pedimos no lado gráfico depende dos sistemas e requisitos do próprio jogo, e tem menos prioridade em comparação com os outros elementos de desenvolvimento. Portanto, esta é sempre uma área em que sinto um pouco de desculpas pela minha equipe gráfica, porque sei que eles trabalham muito duro. E eles trabalharam extremamente duro em Elden Ring – nossa equipe de sistemas gráficos e nossos programadores têm empurrado muitos novos recursos para criar os jogos mais bonitos que já fizemos”, comenta Miyazaki.

Miyazaki explicou que não jogou a versão PS5 de Demon’s Souls porque não gosta de revisitar suas próprias criações. “Como você disse, eu não estava diretamente envolvido nisso, e eu realmente não joguei o remake de Demon’s Souls. Mas isso é porque eu simplesmente não gosto de jogar os jogos que fiz no passado”, explicou ele.

“Isso traz muitas emoções antigas, muitas memórias antigas, e isso fica um pouco opressor, e não dá mais vontade de jogar. Então, não joguei o remake de Demon, mas estou muito contente de ver que ele tem um visual novo, esses novos gráficos de geração atual. Era um jogo antigo, então vê-lo ser refeito dessa forma e ter novos jogadores jogando foi obviamente algo que me deixou muito feliz. Foi um jogo difícil naquela época, com um desenvolvimento relativamente difícil, então eu estava ansioso para que os novos jogadores não gostassem da mesma forma. Isso foi motivo de preocupação para mim quando foi relançado, mas, você sabe, no final, estou muito feliz em ver a reação e feliz em ver as pessoas gostando”, comenta Miyazaki.