O criador de Rayman, diretor de Beyond Good and Evil 2 e veterano da Ubisoft, Michel Ancel, se aposentou no início deste mês enquanto era investigado por comportamento tóxico, de acordo com um novo relatório do jornal francês Libération.

Ancel, que está na empresa há mais de 30 anos, anunciou na última sexta-feira que finalmente estava saindo para trabalhar em um santuário de vida selvagem. O Libération agora relata, e Ancel confirmou em uma entrevista ao jornal, que ele estava no meio de uma investigação da Ubisoft sobre reclamações de que ele tinha um estilo de gestão tóxico durante o desenvolvimento contínuo de Beyond Good and Evil 2.

A Ubisoft confirmou o assunto em um comunicado ao Kotaku:

Yves Guillemot [CEO da Ubisoft] se comprometeu em julho que qualquer alegação será investigada e ninguém estará fora desse processo – e isso incluiria Michel Ancel. E como Michel confirmou ao jornalista em “Liberation”, ele está sob investigação. A investigação ainda está em andamento e não temos mais nada a compartilhar, pois respeitamos a confidencialidade desta investigação.

O relatório do Libération, que detalha o inferno de desenvolvimento em que o jogo está há sete anos, compartilha relatos de funcionários da Ubisoft que acusam Ancel de ser tão difícil de trabalhar que outros gerentes foram eventualmente trazidos para limitar o número de pessoas que precisavam interagir com ele. Eles também culpam a gestão de Ancel do projeto, que supostamente incluía mudanças constantes no escopo e retrabalhos, por uma quantidade incomum de exaustão, depressão e esgotamento experimentado por membros de sua equipe.

“Ele é capaz de te explicar que você é um gênio, que sua ideia é maravilhosa, então te desmontar em uma reunião, dizendo que você não passa de merda, que seu trabalho não vale nada, e não fala com você por um mês”, disse uma fonte ao jornal.

Em uma entrevista ao Libération, Ancel disse que não sabia que as pessoas se sentiam assim e só parecia reconhecer que as dificuldades gerais associadas a fazer um jogo ambicioso de grande orçamento afetaram a Ubisoft Montpellier, onde Beyond Good and Evil 2 está sendo desenvolvido.


Atualização: Michel Ancel respondeu o artigo do jornal em seu Instagram. Veja abaixo.

Ver essa foto no Instagram

Fake News Take few people with rage and jealousy and let them speak in the name of hundreds. Publish the news fast so that it combines with sexual harassment from other news at Ubi soft. I this serious? Is this what you expect from a national newspaper. I will fight for the truth because such accusations are a shame . I worked hard on every of my projects and always had respect for the teams. The accusations are wrong . 1- Toxic management : I am not managing the team. I bring a vision and producers and managers decide what to do , when and how. They are powerful people in the making of such a big projects. Why don’t the journalist speaks about them? 2- I always change my mind : false. E.g. I’ve spent years explaining why the city should not be re done from scratch. Hours explaining that characters were good enough and did not need to be redone . Same for planets and all. But sometimes some people in the team changed things despite my advices. Managers are here to solve this. 3- the 2017 demo was fake and was a video: false . The 2017 demo was solid and made possible the 2018 demo. As opposed to what is in the news, the 2018 demo had the right details , was using real streaming, procedural generation and was playable online. This was a masterpiece of technology. The news from liberation contains fake Informations revealed by few people who wants to destroy me and the projects . This can’t be done without me fighting every single lines of that news. I’ve offered the journalist the opportunity to take enough time to look at all the mistakes. Let’s see what he will do .

Uma publicação compartilhada por Michel Ancel (@michelancel) em