Especiais

Análise – Xperia Play

Se você está lendo esta análise para saber se deve ou não comprar o Xperia Play, saiba que este texto tem uma característica diferente dos outros que você já leu ou que provavelmente ainda lerá sobre esse smartphone. O foco desta análise é quase que completamente voltado para o Xperia Play como uma plataforma móvel de games.

E parece que a própria Sony Ericsson deseja que as pessoas enxerguem o Xperia Play como um videogame portátil que tem um celular embutido, e que possa suprir o sonho e a lacuna que muitos gamers hardcore tem desde o finado Nokia N-Gage. Só que no final das contas, o serviço merecia ter sido melhor executado.


Fonte


Não que o Xperia Play seja uma plataforma de games ruim, longe disso. Tem seus pontos positivos que serão apresentados mais abaixo. Mas alguns detalhes explicitam uma falta de zelo e uma grande displicência por parte da Sony Ericsson. Por exemplo: o Xperia Play não passa de um primo distante da família PlayStation. Não é sequer conectado com um serviço como a PSN, e se não fosse pelo consagrado layout de botões e pela aplicação PlayStation Pocket (até agora ridiculamente com apenas um jogo disponível, o Crash Bandicoot original do PSOne), daria para se passar fácil por aqueles celulares “xing-ling” com botões para jogos (verdade: já ouvi esta afirmação pelo menos duas vezes de outras pessoas). O problema da falta de integração é ainda mais gritante ao sabermos que quando os jogos de PSOne começarem a ser lançados (e se é que serão) e você não pode utilizar os que já possui na PSN. Terá que comprá-los novamente.

O hardware também não tem nada de excepcional. O slider é um pouco mais frouxo do que deveria quando fechado, a sua tela é menor que a dos smartphones concorrentes, além de ter um brilho péssimo mesmo no nível máximo, tornando bem difícil a atividade de utilizar a tela sob a luz do sol. Sua câmera não é particularmente boa nem para fotos nem para vídeo (além de não filmar em HD), embora “usável”. Os analógicos digitais também tem potencial para se tornarem completamente inúteis. Até funcionam, mas é absurda a quantidade de trabalho necessário para utilizá-los, devido à sua exagerada sensibilidade. Talvez depois de bastante tempo de uso até seja possível se habituar bem a eles, mas a experiência inicial não é nada além de frustrante.


Fonte


Mas mesmo com todos estes problemas, minha experiência com o Xperia Play tem sido mais do que satisfatória. Os seus botões, embora levemente melhores do que seria desejável, possuem uma excelente resposta e são suficientes para todos os nossos desejos “gamísticos”. São muito bem feitos, estão muito bem posicionados, e parecem-se bastante com os do PSP Go. Em resumo, seus controles são excelentes, à exceção dos já mencionados digitais analógicos. E já existe uma boa quantidade de jogos disponíveis para Android (que também estão disponíveis para outros celulares) que estão adaptados aos controles oferecidos. Merecem destaque os jogos como FIFA 10, Need for Speed Hot Pursuit e The Sims 3, que já vem gratuitamente disponíveis no aparelho (e atenção: até o final de Outubro de 2011 jogos como Battlefield, Dead Space e Need for Speed Shift estarão também disponíveis gratuitamente para download). Logicamente, não se tratam de jogos como de um PS3, e quiçá de um PSP, mas ainda assim são jogos com gráficos excelentes e muito mais do que suficientes para a proposta. Mesmo não sendo necessariamente concorrentes diretos, por exemplo, os gráficos são na maior parte das vezes de nível superior aos apresentados pelo Nintendo 3DS.


Fonte


E não podemos deixar de lembrar também que no final das contas o Xperia Play é um smartphone com Android, o que nos trás todos os bônus desta situação. Temos um smartphone rápido, portanto, com poucos slowdowns seja em seu uso como celular, seja em seus jogos, com boa recepção, qualidade de áudio e ótima integração com serviços do Google. Mas mais do que isso, temos acesso a toda a biblioteca de aplicativos já disponível no Android Market, inclusive as dúzias de emuladores oferecidos.

E é aqui que o Xperia Play realmente brilha. Estão disponíveis diversos emuladores de várias plataformas, e a maior parte da minha jogatina no aparelho acontece neles. Destaco principalmente o SNesoid, GENPlusDroid e FPse, que praticamente anula o desprezo da Sony Ericsson pelo aplicativo PlayStation Pocket. Todos rodam perfeitamente, e são realmente a principal adição que um comprador deve fazer ao seu aparelho assim que comprar. A “feature” de quicksaves presente nos emuladores também encaixa muito bem com a proposta do Smartphone. Na maior parte das vezes as sessões de jogos são realizadas em períodos curtos de tempo, seja esperando na fila do banco, seja no ônibus, seja num consultório médico, então é excelente a possibilidade de poder parar e continuar sempre que desejado.


Fonte


Não me arrependo nem um pouco de tê-lo comprado. Não pelo motivo do Xperia Play ser o celular perfeito para o gamer mais hardcore, mas simplesmente porque é a única opção viável disponível. Embora ainda um pouco caro para o que apresenta (o preço caiu recentemente para R$ 1.499 sem contrato com o operadora), ainda vale muito a pena porque ele é o tipo do aparelho que estará o tempo todo com você, por ser um celular. E é um caso estranho que mesmo não tendo um hardware excelente ou se destacando excepcionalmente bem em algo, um equipamento pode ser bastante recomendado. Não aguenta mais arrastar dedinho na tela para disparar pássaros contra porquinhos? É isso: o Xperia Play é o smartphone pra você. Pelo menos enquanto não surgirem outras opções.