O remaster de Marvel’s Spider-Man veio recheado de melhorias técnicas no PlayStation 5. Tivemos a princípio o jogo com o modo fidelidade, que procura uma resolução 4K e mantém 30 quadros por segundo com raytracing ativo, e também o modo performance, com 4K dinâmico e 60fps sem raytracing. Através de atualização, a Insomniac adicionou um modo performance com raytrancing.

A Digital Foundry analisou cada modo de jogo disponível no título. A opção fidelidade mantém o jogo em 4K nativo a maior parte do tempo (mesmo ainda usando uma forma de 4K dinâmico), caindo para 1512 em raras ocasiões de stress, mas mantendo a taxa de quadros estável. O modo performance usa um 4K dinâmico mais agressivo, com queda na resolução para até 1440p de forma mais frequente, mas a taxa de quadros por segundo é dobrada e sem mantém firme em 60.

O mais interessante aqui é o modo performance com raytracing ativo, que só chegou após pedidos e um certo trabalho por parte da Insomniac, não sendo apenas um corte de resolução. Nesse modo, o jogo mantém a resolução entre 1440p nos melhores cenários e em 1080p nos piores momentos. Geometria, detalhes, texturas e mais se mantém igual comparado com outros modos no PS5.

Entretanto, para que o título suporte 60fps e raytracing, a demanda é muito alta tanto na GPU e CPU. Os reflexos no modo fidelidade são gerados a 1080p, enquanto aqui acontecem a 720p. Pedestres não possuem sobras detalhas e a qualidade das mesmas em prédios e objetos são drasticamente reduzidas. Há também uma menor quantidade de pedestres na rua.

Entretanto, o trabalho da desenvolvedora em fornecer 60fps com raytracing é algo incrível, sendo inclusive o único jogo a apresentar essa opção até agora com reflexos e alta qualidade de detalhes. O jogo fornece boas opções para agradar a qualquer interessado e cada um com um apelo diferente.

Confira abaixo o vídeo de análise da Digital Foundry.