Journey começou como um game para quatro jogadores em 2006 chamado "Utopia". Ele tinha um sistema completamente diferente do existente em Journey e depois que o ciclo de desenvolvimento foi concluído e os testers aproveitaram, todos eles disseram que era um lixo.

Jenova Chen, co-fundador da thatgamecompany e criador de Journey, disse isso durante a sua palestra na DICE Summit 2013. Também foi dito que a companhia quase foi à falência. A Sony concordou em financiar dois anos do desenvolvimento, mas o game não ficou pronto nesse prazo. O interessante disso é que não foi um aspecto técnico que impediu a desenvolvedora, mas sim que ela não estava feliz com o impacto emocional do título, vendo que poderia obter resultados melhores quando apenas um tester travou o jogo antes do fim.

A Sony concordou em financiar mais um ano de desenvolvimento para a thatgamecompany, mas ainda assim não era o suficiente e acabou falida. Ela não conseguiu pagar seus funcionários, ainda com o desenvolvimento em andamento. Quando tudo acabou, três dos 25 testes choraram e Chen disse que tudo valeu a pena.

A imagem abaixo mostra como era a ideia para "Utopia":

O objetivo era criar um game que inspirava o desconhecido e mistério. A visão de Chen para "Utopia" era um sonho de uma experiência online do que The Sims fez, mas para um grupo pequeno de pessoas.

O problema dessa versão inicial era que forçava o elemento cooperativo e as pessoas dependeriam uma das outras. Chen comentou que "online gamers são maus, eles são cuzões".

Com quatro jogadores e uma física que permitia os personagens se empurrarem, não parecia natural se ajudar, andando um com o outro. O número acabou caindo para dois apenas, e isso criou um ambiente onde cada jogador devia prestar atenção em somente uma coisa. O mecanismo de empurrar acabou tornando o sistema conhecido de Journey, de trocar energua através do toque, movimento e momento.

Por fim, durante sua palestra, a seguinte carta foi mostrada ao público:

Resumindo o texto, trata-se de uma carta de uma garota de 15 anos chamada Sofia. Ela perdeu o seu pai e Journey foi o game que ela aproveitou antes dele falecer.