Uma das surpresas da semana passada, além de Tanwa ser uma personagem jogável, é que os usuários que decidirem realizar a pré-compra de Crash Bandicoot 4: It’s About Time receberão uma demo para matarem a vontade até o jogo chegar daqui a duas semanas.

A demo de Crash Bandicoot 4: It’s About Time estará disponível a partir de hoje, 16 de setembro, e poderá ser baixada até o lançamento do game em 2 de outubro. A Activision cedeu gentilmente um código de acesso antecipado a essa demo e pudemos destrinchá-la para você saber o que o aguarda. Não vamos nos aprofundar muito – afinal, é apenas uma demo e uma análise do jogo completo será produzida também. Por isso, vamos nos ater no que a demo oferece, quais são as novidades e o que achamos dela.

Primeiramente, a demo de Crash Bandicoot 4: It’s About Time oferece três fases distintas: “Inevetável”, “Fuga Dinossáurica” e “Infortúnios da Vida”.

Crash Bandicoot 4: It’s About Time

Uma coisa é bastante clara: ao menos a demo de Crash Bandicoot 4: It’s About Time parte do pressuposto de que você jogou a trilogia original. As mecânicas básicas, como deslizar com bola e o pulo duplo não são explicadas. Além disso, as caixas de Nitro e TNT, por exemplo, já se encontram aqui também e os veteranos saberão que não podemos enconstar e bater nelas, respectivamente. Portanto, se esse for o seu primeiro Crash, recomendamos fortemente que jogue primeiro a trilogia remasterizada.

A primeira fase, “Inevetável”, é bastante direta em relação a essas mecânicas clássicas. Mas é nela que se encontra uma das grandes novidades de Crash 4: uma máscara quântica. Crash poderá usar diferentes máscaras ao longo de sua jornada que darão diferentes poderes. A máscara que temos aqui nessa primeira fase da demo desacelera o tempo por cerca de 3 segundos. Ou seja, você aperta R2 ou triângulo e o jogo entra em um “bullet time”, digamos assim, deixando tudo lerdo – exceto o próprio Crash. Você notará que isso possibilita situações novas, como andar pelas caixas de Nitro sem morrer e, é claro, andar em plataformas que estejam caindo.

Uma diferença notável de Crash 4 para os outros são as vidas. O jogo simplesmente mostra quantas vezes você morreu, mas não pune você por isso (vamos ver como isso será no jogo final). Porém, se você morrer antes de um determinado ponto da fase, não poderá pegar um item que é uma VHS (fita flashback). No jogo completo, acreditamos que essas fitas abrirão as fases citadas nesta notícia.

Por não ter vidas, as Wumpas (frutas) coletadas por Crash aumentam uma barra que possui 3 níveis distintos. Ao preencher esses níveis, você recebe uma Gem (Joia) por cada um (total de três). Pelo menos na fase “Inevetável”, encontramos uma Gem extra escondida. Então haverá muita coisa a ser explorada como já é de costume na série.

Crash Bandicoot 4: It’s About Time

A segunda fase, “Fuga Dinossáurica”, dá uma pequena amostra de outra máscara quântica: ao pressionar R2 ou triângulo, a máscara torna “tocáveis” determinadas caixas e objetos, ou simplesmente os deixa como se fossem fantasmas. Por exemplo, uma caixa de Nitro pode desaparecer pressionando R2 e você andar por ela como se não existisse. Será interessante ver o que bolaram com essa máscara, pois a fase da demo tem apenas dois trechos curtos em que a utilizamos.

Muitas vezes pela fase, Crash é seguido por um T-Rex. O gameplay é similar a muitas das perseguições que ocorriam no jogo clássico, então ponto positivo para isso.

Crash Bandicoot 4: It’s About Time

Por fim, a terceira fase, “Infortúnios da Vida”, é um pouco estranha. Nós começamos ela com Dr. Neo Cortex. O seu gameplay é simples e como um cientista, você terá que explorar para entender como o seu gameplay funciona. Recomendo que você mesmo descubra isso, pois é parte da diversão da demo.

Mas se não se importa muito com isso, podemos falar como é o seu gameplay. O tiro de sua arma transforma os seres vivos em plataformas. Se você atirar novamente, a plataforma recebe um aspecto gelatinoso, permitindo que faça um “bounce” nela e alcance locais mais altos com o pulo. Cortex também tem um dash aéreo com bola que permite um alcance horizontal considerável.

A fase é estranha pois, no meio dela, voltamos a jogar com Crash e de forma idêntica à “Inevetável” (a primeira fase da demo). Ou seja, metade da fase é algo inédito com Cortex, mas algo acontece (sem spoilar muito) e então controlamos Crash, mais uma vez, em um mesmo local que já jogamos na primeira fase. Claro, não é completamente idêntico: as caixas pelo caminho são outras e mais desafiadoras (com mais TNT, por exemplo). Mas o caminho continua sendo o mesmo.

Sendo honesto, não sei por que fizeram isso. Se as fases dos personagens novos, como Tanwa e Dingodile, forem apenas uma seção inédita e o restante vamos jogar algo que já jogamos em outra situação… não sei se vai ser algo muito legal repetir fase assim. Espero que seja algo pontual e não frequente.

De qualquer forma, esses personagens extras parece que foram implementados para suprir a variedade no gameplay que temos na série, como Crash pilotando uma moto ou um jetpack. Apesar dessas fases dos jogos antigos serem criticadas por muitos fãs, ainda torço para que os desenvolvedores sejam audaciosos e nos ofereçam desafios assim – além de personagens jogáveis de uma maneira mais convencional.

Vale destacar que Crash Bandicoot 4: It’s About Time possui legendas e dublagens em português do Brasil. A demo contém apenas uma amostra (poucas cutscenes), mas quem jogou Crash Team Racing: Nitro-Fueled pode imaginar como ficou o resultado – é bastante similar, se não idêntico. É uma boa notícia, depois da decepção que a trilogia não veio em nosso idioma.

Você confere a nossa análise completa do título em breve. Crash Bandicoot 4: It’s About Time estará disponível em 2 de outubro para PS4 e Xbox One.

Impressões via PS4 Pro com código da demo fornecido pela Activision.