É inegável que nos últimos jogos de luta da Capcom, o nível para masterizar o título diminuiu. Se você comparar Marvel vs Capcom 2 com MvC3, podemos ver o exemplo do "launcher": no primeiro, dependia do personagem e o combo aéreo podia ser difícil de executado. Já no game mais recente, existe um launcher universal e os combos aéreos podem ser executados facilmente.

Porém, ao que tudo indica, a Capcom não fará isso apenas com seus jogos de luta, mas com outras franquias também. O designer de combates de DmC: Devil May Cry, Rahni Tucker, conversou com a Official Xbox Magazine sobre o assunto.

"Nós queríamos pegar a mágica que os 'pro-players' conseguem criar e dar mais aos jogadores casuais essa sensação. Um pouco mais de tempo no ar, mais golpes aéreos e o botão de lançamento deve ser apertado uma vez sem o lock-on", comenta Tucker. "Com o passar dos anos, novos usuários não aderiram à série, Quando DMC4 foi feito, com um novo heroi e novos movimentos, técnicas e habilidades, não teve muitos fãs novos", continua.

Muitas pessoas dirão que esse é o caminho errado, mas a própria Capcom tem uma experiência semelhante: Street Fighter III é repleto de personagens desconhecidos, uma curva de aprendizado gigantesca e mecanismos que muitos fãs não gostaram de experimentar – o jogo não é ruim, pelo contrário, mas não conquistou um grande público. Com o lançamento de Street Fighter IV, com comandos facilitados quando comparados ao terceiro jogo, fez um sucesso tremendo e conquistou muitos novos fãs.