AnálisesDLCPS3

Ultra Street Fighter IV (Super Street Fighter IV)

Análise

NOME: Não disponivel
FABRICANTE: Não disponivel
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Não disponivel
DISTRIBUIDORA: Não disponivel


LANÇAMENTOS
Não disponivel Não disponivel Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Não disponivel


Street Fighter IV é um título que conseguiu trazer de volta a popularidade dos jogos de luta. Além disso, é, de longe, o que mais recebeu suporte desde o seu lançamento. Depois do jogo original, tivemos a versão Super Street Fighter IV em disco, a qual possibilitou receber mais suporte, ou seja, Arcade Edition e depois mais um patch gratuito com Arcade Edition v2012.

Agora, cinco anos depois, recebemos provavelmente a edição definitiva: Ultra Street Fighter IV.

Antes de mais nada, Ultra Street Fighter IV é um DLC, portanto ele pode ser usado tanto se você tem ou não o outro DLC, Arcade Edition. Ou seja, não compre o DLC Arcade Edition se você não o possui ainda – parta direto para Ultra.

Ultra Street Fighter IV deve ser visto como um jogo independente, apesar de ser um DLC. Há várias características novas (até mesmo todos os menus do jogo possuem artes novas) e além disso, ele atua como se fosse “independente”, impossibilitando por exemplo jogos online com as suas versões anteriores – o que pode ser um ponto negativo, se seu amigo não atualizou o jogo.

Vamos primeiro aos pontos positivos de USFIV. O que mais se destaca, de longe, são os cinco novos personagens: Rolento, Elena, Hugo, Poison e Decapre. Todos eles são adições válidas, pois seus movimentos são bastante únicos, inclusive os de Decapre que, à primeira vista, parece uma simples clone da Cammy. Infelizmente não há trials para que você saiba mais sobre as possibilidades de combos de cada um deles (elas foram prometidas para uma futura atualização), mas o modo Arcade possui animações introdutórias e também um encerramento. Apenas a batalha contra o rival é ruim: não há uma cutscene “diferente”.

Há outras novidades que chamam a atenção, como os novos cenários que vieram de Street Fighter x Tekken. Há a possibilidade de hospedar replays no YouTube, assim como salvá-los em praticamente todos os modos de jogo. Há também um novo modo de equipe no online: depois de juntar seus amigos, você deve fazer uma luta de apenas 1 round e o oponente vitorioso segue com a vida que tinha para a próxima disputa, com a chance de recuperar um pouco se não receber golpes (pense no dano do “Focus”, para quem conhece a mecânica do jogo).

USFIV possui ainda mais conteúdo, porém apenas os fãs farão uso delas. Temos o “Red Focus”, que gasta 2 ou 3 barras dependendo da situação e que possibilita novos combos. Há o “delayed standing”, que evita certos “mix-ups” (movimentos que você tem que adivinhar o que o oponente vai fazer para se defender), deixando você mais tempo no chão. Temos como escolher os dois Ultra Combos na mesma luta, com a desvantagem deles causarem menos dano. Existe até como escolher a “versão” de um personagem, ou seja, você pode jogar com o Sagat absurdo do SFIV original, Yun de SSFIV AE ou outro qualquer, mas isso somente no modo Versus local. Por fim, e não menos importante, temos inúmeras mudanças no balanceamento dos personagens. Isso, inclusive, não tem cara de ser definitivo e provavelmente veremos mais atualizações alterando alguns danos e velocidade de golpes dos lutadores.

Há ainda outras adições pequenas que somente os mais dedicados farão uso, como novas opções no modo Training (incluindo a possibilidade de treinar enquanto espera por um oponente online) e mudar os comandos do jogo na tela de seleção de personagem.

O problema de USFIV está em seu modo online. Além de não ser compatível com os outros “SFIV” como já foi dito, parece que o “netcode” (a “programação do online”) foi alterada – algo que não precisava ter sido feito, pois o online de SSFIV era muito bom. Mesmo jogando com brasileiros, há inúmeras chances de você esbarrar em “unable to join” (não conseguiu entrar na sala) e “waiting for other players” (esperando por outros jogadores) no meio da partida. O próprio novo modo de equipe é praticamente impossível de ser aproveitado sem se irritar com o lag.

No entanto, jogar “Endless” ou “Ranked” com poucos jogadores ainda é possível sem muito lag, mas algo não parece certo.

Outro ponto negativo é o loading do jogo. As lutas em si não apresentam problemas, mas ao carregar, por exemplo, a lista de cenários, parece que o jogo vai travar. Não que isso seja tão ruim assim, mas é algo estranho.

Por fim, o jogador solitário não encontrará muito conteúdo aqui além do Arcade com os cinco novos personagens, já que as Trials ainda não foram adicionadas. Por isso, se você não gosta de jogar com amigos ou online (algo que seria estranho porque um jogo de luta tem essa proposta), não encontrará muito o que fazer nesta atualização.

Veredito

Ultra Street Fighter IV fornece mais um sopro de vida para um dos melhores jogos de luta desta geração. Há bastante conteúdo para os fãs, porém há alguns problemas no online.

DLC analisado com código fornecido pela Capcom.

80%