AnálisesPS3

Resident Evil 5: Gold Edition

Análise

NOME: Resident Evil 5: Gold Edition
FABRICANTE: Capcom
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Ação / Survival Horror
DISTRIBUIDORA: Capcom


LANÇAMENTOS
12/03/2010 12/03/2010 18/02/2010


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Nº de Jogadores: 1-2 (Online: 2-4)

Definição HD: 720p

Downloadable Content (DLC)

Troféus


Essa é uma análise voltada apenas aos novos conteúdos apresentados na edição “Gold Edition” de Resident Evil 5: “Lost in Nightmares”, “Desperate Escape” e “Mercenaries Reunion”. Caso você queira ler uma análise sobre o próprio jogo e o modo “Versus”, os quais estão no pacote, clique aqui.

Resident Evil 5: Gold Edition é um pacote com o jogo e todos os DLCs (conteúdo adicional para download) lançados. Ou seja, se você não tem o jogo, é uma excelente opção. Da mesma forma, se você tem o jogo, pode escolher o que deseja comprar na PlayStation Store. Essa análise tem esse propósito: ajudá-lo a saber o que comprar.

Os dois grandes DLCs são “Lost in Nightmares” e “Desperate Escape”. Ambos contam passagens que não são detalhadas em Resident Evil 5.

“Lost in Nightmares” é um episódio que se passa na mansão Spencer, enquanto Chris e Jill tentam encontrar Albert Wesker. É aqui que acontece o desaparecimento de Jill.

Esse capítulo é simplesmente um presente aos fãs de longa data da franquia. A mansão lembra muito o layout de Resident Evil e Resident Evil Zero, incluindo pequenos detalhes como abrir as portas em primeira pessoa, alguns inimigos que lembram zumbis e também um novo, que se pegar você, é morte na certa, aumentando a tensão. Há um “easter egg” (bônus) que permite ver a mansão com a câmera clássica. Para ativar isso, interaja com a porta da mansão três vezes. A jogabilidade lembra muito os antigos, mas mescla com o novo, o que pode deixar os fãs nostálgicos, mas é impossível dizer que o jogo fica fluente nesse modo.

O capítulo dura cerca de 1-2 horas (dependendo da dificuldade que você está jogando, um dos puzzles leva mais ou menos tempo) e é fortemente baseado na exploração e resolução de puzzles. Não há combate contra chefes, exceto o Wesker no final do capítulo, o qual é praticamente igual à primeira batalha em Resident Evil 5.

É um capítulo muito bem feito, com gráficos incríveis e como dito, é um presente aos fãs. Vale muito a pena.

“Desperate Escape” conta como Jill e Josh chegaram com o helicóptero na cena final de Resident Evil 5, a partir do momento que Jill foi salva por Chris e Sheva.

Quem jogou Resident Evil 4 e lembra dos bônus da Ada, vai saber o que esperar aqui: “Desperate Escape” não possui puzzles. É combate desenfreado (um troféu é matar 150 inimigos, por exemplo) com praticamente todos os tipos de Majini que existem. Inclusive não há um chefe final propriamente dito, até a parte final é baseada na sobrevivência dos personagens.

Comparado com “Lost in Nightmares”, “Desperate Escape” é um capítulo mais pobre, mas mais desafiador e que quem gosta de matar de Majinis, vai simplesmente adorar esse capítulo. É indispensável a ajuda de um amigo para completá-lo no veterano ou profissional. Pois, acredite, há tantos inimigos que você não conseguirá recarregar a arma – terá que abusar do “cheat” de recarregá-la através do menu de itens.

Ambos capítulos novos foram pensados como todo Resident Evil 5: na ação cooperativa. Jogá-los com o seu amigo é impagável e extremamente divertido. Sozinho, “Lost in Nightmares” continua muito bom, pois a inteligência artificial da CPU não é muito necessária, porém em “Desperate Escape” é praticamente impossível ignorar a mente humana ao seu lado.

Por fim, além do modo Versus que já foi mencionado na análise original do game (mas basicamente é um modo para 4 jogadores, podendo ser focado em matar os Majinis e pontuar, ou matar os outros jogadores, numa espécie de “deathmatch” – os dois modos podem ser jogados sozinho ou em duplas), existe o Mercenaries Reunion.

O modo é igual ao Mercenaries original. Não há mapas novos. A novidade são os personagens: Josh, Excella, Rebecca e Barry. Esses quatro são destravados com a compra dos dois novos capítulos. Ainda existem quatro novas versões de Chris e Sheva, duas para cada personagem, as quais precisam ser compradas separadamente dos capítulos: Business e Folklore para Sheva, Warrior e Heavy Metal para Chris (essas roupas também podem ser usadas no jogo principal, porém). Tudo isso, obviamente, encontra-se destravado na versão Gold Edition.

Os novos personagens são interessantes. Obviamente, não há armas novas para eles, apenas “sets” novos. Mas as animações que eles podem executar ao matar um Majini de joelho ou tonto são novas e interessantes.

Resident Evil 5: Gold Edition ainda apresenta alguns pequenos extras novos, como novas miniaturas (pequenas estátuas que são os modelos dos personagens e que podem ser visualizadas por vários ângulos e até escutar uma frase característica do personagem representado).

De modo geral, se você ainda não possui Resident Evil 5, Gold Edition é uma boa opção para a compra pois você poderá economizar mais de 15 dólares por todo o pacote de DLC que teria que ser comprado.

Resident Evil 5 é um bom jogo sendo jogado sozinho e excelente no cooperativo. Os capítulos extras não fogem à regra e continuam com a mesma filosofia.

90%