AnálisesPS3

Remember Me

Análise

NOME: Remember Me
FABRICANTE: Dontnod Entertainment
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Ação / Aventura
DISTRIBUIDORA: Capcom


LANÇAMENTOS
07/06/2013 07/06/2013 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução: 480p/720p

Nº de Jogadores: 1

Troféus (inclusive Platina)

Disponível na PlayStation Store

Downloadable Content (DLC)


Remember Me é um título da Dontnod Entertainment e publicado pela Capcom. Originalmente, sob o nome provisório de Adrift e com uma temática diferente, estava previsto como um jogo exclusivo para o PS3 e publicado pela Sony, mas em fevereiro de 2011 o projeto foi cancelado sem revelarem o motivo. A Capcom, então, comprou a propriedade intelectual e o tornou num game multiplataforma.

Pense em Remember Me como uma mistura do combate da série Batman: Arkham mas com seu toque único; na linearidade, cutscenes e elementos de plataforma da série Uncharted e uma temática que lembra o filme "O Vingador do Futuro" (o mais recente). Isso, a rigor, descreve boa parte do jogo.

O título se passa em uma Paris futurista de 2084 chamada Neo-Paris. Você controla Nilin, uma "Errorist" que foi aprisionada na fortaleza La Bastille. Sua memória será deletada pela Memorize. Quando isso está prestes a acontecer, um homem misterioso chamado Edge, líder dos Errorists e um homem que ela só escuta através de seu equipamento de comunicação, ajuda Nilin a escapar. Edge fala que Nilin é uma Errorist com o dom de tanto roubar quanto inserir e modificar as memórias das pessoas. Após escapar da fortaleza, Nilin encontra Headache Tommy, um amigo Errorist, partindo em uma jornada misteriosa que envolve o fato das memórias serem simples "arquivos de computador" digamos assim – elas podem ser removidas, mescladas e inseridas na mente das pessoas.

A história de Remember Me é o grande atrativo do jogo. Nota-se que é um dos aspectos que mais tiveram dedicação da equipe de desenvolvimento. Mas um jogo não é feito apenas de história – o gameplay precisa ser bom também.

Remember Me é dividido basicamente em três tipos diferentes de gameplay, desconsiderando as inúmeras cutscenes. Como dito, um desses elementos é o de plataforma. Você passará boa parte do tempo andando pela cidade escalando canos, paredes – bem à lá Uncharted ou Prince of Persia. Além disso, há inúmeros colecionáveis a serem pegos, sendo que muitos são dados dicas (há painéis que mostram uma foto com o lugar onde o item está, e esse lugar normalmente fica logo mais adiante).

Depois, chegamos ao combate que é inspirado em jogos como Batman: Arkham e Sleeping Dogs, mas possui seu jeito único de ser. Complicado? Nem tanto. Ele lembra o combate devido ao estilo: dois botões de ataque, um de desvio e um para finalizar o oponente – tudo isso com Nilin mirando automaticamente nos oponentes. É injusto dizer que é um clone "sem o botão de contra-ataque" devido ao sistema de customização de combos (literalmente).

Nilin customiza seus combos em um menu chamado "Combo Lab". Nele, você define o que colocar nos combos. Por exemplo: "quadrado", "quadrado" e "quadrado" pode ser um combo, enquanto que "triângulo", "quadrado" e "triângulo" é outro. E você pode extendê-los com o decorrer do jogo. Ou seja, se você definiu esses dois combos apenas, não existirá um terceiro que seja "triângulo", "triângulo" e "triângulo" – se você apertar triângulo inicialmente, o jogo espera que você aperte quadrado. Caso contrário, o combo se perderá. Cada "golpe" de um dos botões é chamado de "Pressens".

"Pressens" são diferentes movimentos de que podem aumentar os golpes de Nilin. Para poder usá-los, você deve ganhar PMP (Procedural Mastering Power), que são dados de inimigos nocauteados. Quanto mais longo for seu combo, mais PMP receberá. Há 24 tipos de Pressens no game que por sua vez são de quatro diferentes tipos: Regen (recupera sua vida), Power (dá mais dano que os outros tipos), Cool Down (diminui o tempo de recuperação do S-Pressen – já será explicado) e Chain (permite que os próximos movimentos forneçam o dobro do que normalmente forneceriam). Um Pressen será mais ou menos eficiente dependendo de sua posição no combo.

Em outras palavras, o sistema de combo é que fornece a recuperação de vida de Nilin (há também estações que recuperam sua vida no jogo, mas durante o combate em si esta é a única forma), assim como a possibilidade de usar os "S-Pressen", que são poderes especiais que precisam de "Focus" (recuperado automaticamente com o tempo, ou com o processo acelerado pelo Pressen "Cool Down"). Esses poderes do "S-Pressen" são destravados automaticamente ao longo da história, e possuem diferentes efeitos, como atacar com vários golpes fortes vários inimigos, deixar tontos os inimigos ao seu redor ou ficar invisível. Infelizmente, não é possível inserir os "S-Pressen" em seu combo. Eles são "independentes".

O sistema de combate de Remember Me funciona muito bem e é muito interessante a forma como foi feita, como a recuperação de vida e a construção de seus próprios combos. Mas se você é uma pessoa de "memória curta", vai ter um pouco de problemas em lembrar os combos que definiu.

Mas há um ponto negativo nisso tudo: poder customizá-lo é algo interessante, mas isso limita demais a imaginação do jogador. Ou seja, se você espera fazer uma sequência de combos de um hack and slash, pode esquecer.

Outro elemento de gameplay diferente em Remember Me são os momentos que Nilin precisa mesclar a memória de uma pessoa para que consiga um resultado diferente. Para poder explicar como isso funciona, precisamos citar o primeiro caso que o jogo nos mostra.

Nilin é atacada por Olga. Ela quer capturar Nilin pois nossa heroína está sendo procurada e possui uma recompensa por sua cabeça. Olga precisa do dinheiro para tratar seu marido. Para convencer que Olga não é seu alvo, e sim a companhia que controla as memórias das pessoas, Nilin modifica a memória de Olga a ponto de que a companhia simplesmente matou o seu marido em um erro médico. Para que isso aconteça, Nilin assiste a uma memória de Olga e modifica certos elementos – resta a você descobrir quais – que faz o marido ser morto.

É um elemento interessante e que causa uma mudança no gameplay que ficamos acostumados (combate e plataforma).

Mas Remember Me possui problemas. Apesar do seu gameplay na hora do combate ser bom, a câmera é horrível. Você ficará lutando com ela muitas vezes quando andar pelos cenários. Nos momentos de plataforma ela é fixa e não apresenta problemas, porém. Além disso, mesmo existindo diferentes dificuldades, colecionáveis e extras, o jogo é extremamente curto. São apenas oito capítulos. Para se ter ideia, você consegue completar os quatro iniciais em cerca de duas horas de jogo. Uma recomendação alta não pode ser feita neste caso.

Infelizmente, Remember Me é um jogo que possui um potencial imenso em ser algo que poderia ser lembrado por toda uma geração, mas ironicamente será esquecido. Você aproveitará o sistema de combate e sua história, mas deixará de lado assim que finalizá-lo, o que acontece em poucas horas.

Jogo analisado com código fornecido pela Capcom.


— Resumo —

+ Sistema de combate
+ Sistema de mescla de memória
+ História/Enredo

Curto
Câmera em determinados momentos

75%