AnálisesPS3

[PSN] The Walking Dead: Episode 1 – A New Day

Análise

NOME: [PSN] The Walking Dead: Episode 1 - A New Day
FABRICANTE: TellTale Games
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Action Adventure
DISTRIBUIDORA: TellTale Games


LANÇAMENTOS
25/04/2012 25/04/2012 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Definição: 720p

Jogadores: 1

Troféus

Disponível na PlayStation Store

Tamanho: 476MB


Depois da AMC colocar as mãos sobre o sucesso pós-apocalíptico de Robert Kirkman com a série de TV, foi a vez da TellTale (Tales of Monkey Island, Back to the Future) se aproveitar da repercussão da obra e lançar sua versão da infestação de zumbis, no que é julgado como uma prequela, ainda que independente, da famosa comic.
 



The Walking Dead possui marcas da TellTale espalhadas em todo lugar: o jogo é fruto dos experimentos da desenvolvedora na atual geração, selecionando e melhorando os pontos fortes de suas outras investidas no gênero. A aventura de Lee Everett, tal qual seus predecessores espirituais, é dividida em 5 episódios de curta duração cada, mas que proporcionam uma imersiva jornada nos decrépitos cenários durante a busca do jogador por itens e caminhos de usos julgados inimaginavéis em quaisquer outras situações.

Ao contrário de jogos como Back to the Future, porém, The Walking Dead se volta mais à ação, esta com um significado muito mais mesclado à tensão do que a combate. As lutas contra hordas de mortos-vivos constituem-se ora em quick-time events bem planejados, ora em estratégias com itens espalhados no cenário.
 



Ainda assim, há um cuidado especial em trabalhar os personagens introduzidos no jogo – iniciando com o protagonista: um condenado cuja culpa, real ou não, se mantém incerta neste prólogo. Sejam novatos ou conhecidos dos fãs (com presenças como Glen ou Hershel), as pessoas com que Lee se relaciona durante este início, em especial uma garotinha chamada Clementine, são muito mais que figurantes nesta Terra em ruínas – são componentes essenciais do episódio, cada qual com singular importância na história do jogo, que mesmo embasado na ação, apresenta elementos mais característicos de um graphic novel, típico da TellTale.

Os cenários caóticos do jogo são bem esboçados em um visual que em momentos muito lembra a comic, ainda que apresente algumas texturas ruins e animações incoerentes. Buscando ampliar a imersão nestes, a história procura sustento em caminhos separados. The Walking Dead é permeado por um sistema de escolhas, que, aliadas a um contador de tempo quase sempre bem estipulado, fingem melhor a presença do jogador naquele universo.
 



A New Day é bem executado para um piloto. Com uma ótima dublagem completando o pacote, não se esperava nada menos de um projeto da TellTale. As escolhas realizadas variam de conversas simples a situações mais dramáticas, e a repercussão destas não só envolve o primeiro jogo, como promete modificar os quatro que ainda estão por vir. O caráter episódico da série pode afastar aqueles mais impacientes, mas é a intenção da TellTale – como bem mostra o preview de Starved for Help (episódio 2), o objetivo é manter o jogador atento, esperando por mais pseudo-desfechos e cliffhangers. E funcionou.
 


 


— Resumo —

+ Estilo gráfico lembra a comic
+ Interação com outros personagens
+ Escolhas
+ Dublagem

Algumas texturas ruins
Duração
Contador de tempo por vezes rápido demais

85%