AnálisesPS3

[PSN] Mega Man 10

Análise

NOME: [PSN] Mega Man 10
FABRICANTE: Inti Creates
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Ação
DISTRIBUIDORA: Capcom


LANÇAMENTOS
11/03/2010 11/03/2010 09/03/2010


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Número de jogadores: 1

Downloadable Content (DLC)

Trophies


Ao considerar o inegável sucesso de Mega Man 9, lançado em 2008 como uma homenagem a clássica série 8-bits, não era difícil imaginar que voltariamos a ver Mega Man naquele formato. Mega Man 10, lançado recentemente para as três plataformas virtuais, segue a mesma fórmula do título anterior, dedicando-se a oferecer uma experiência nostálgica aos jogadores.

Em 20XX, um vírus contamina os robôs, tornando-os inúteis para os humanos. Devido a alta dependência da sociedade dessas máquinas para as mais simples funções, o caos se instala. Não bastasse isso, após um mês, robôs infectados pelo vírus Roboenza acabam atacando os humanos. Dr. Wily, eterno inimigo de Mega Man, estava desenvolvendo uma cura, porém também foi vítima dos robôs infectados e agora depende de seu inimigo para continuar sua pesquisa. Mega Man parte em sua jornada contra os robot masters, visando não só proteger a sociedade mas também encontrar a cura para Roll. Convenhamos que a história não é excepcionalmente elaborada, parecendo apenas tomar carona com a crise de Influenza A, porém serve como um pano de fundo novo para uma história que se repete a cada título.

Qualquer jogador que já se aventurou por um título da franquia sabe o que esperar. Existem oito novos robot masters, cada um com suas armas únicas e vulnerabilidades, e cabe ao jogador descobrir qual a melhor ordem para concluir os níveis, explorando as fraquezas dos demais robot masters com as armas adquiridas. A arma inicial, Mega Buster, pode ser utilizada contra todos, mas conhecer o ponto fraco dos inimigos torna o segundo encontro com eles mais simples.

Os níveis são variados, levando o personagem por esgotos, cidades e até mesmo desertos tomados por tempestades de areia, até culminar na batalha final em pleno espaço sideral. As ideias são bem aplicadas e conseguem inovar mesmo após tantos jogos neste estilo obviamente obsoleto. Além dos oito robot masters principais, no laboratório de Dr. Wily existem aparições breves de diversos robot masters de outros títulos da franquia.

O principal chamariz de Mega Man 10 é a inclusão do Easy Mode. Além de reduzir a quantidade de inimigos e torná-los mais fracos, muitos dos pulos são simplificados graças a plataformas extras espalhadas pelo cenário. Esse modo é extremamente bem vindo, já que jogos da franquia Mega Man são notórios pelo grau de dificuldade elevado. Claro que isso não dispensa os modos Normal e Hard, e é interessante notar que até mesmo os chefes mudam estratégias e ataques nos diferentes níveis de dificuldade.

Mega Man não recuperou as habilidades que recebera ao longo da série, como a deslizada e o tiro carregado. Essas habilidades, porém, fazem parte do repertório de movimentos de Proto Man, personagem já estabelecido na franquia e que agora está disponível para seleção desde o início. A loja também continua presente e permite aos jogadores se equiparem entre os níveis, comprando vidas e tanques de energia com parafusos coletados durante o jogo.

Além da campanha, o jogo também dispõe dos modos Time Attack e Challenge Mode. No primeiro, os jogadores devem completar os níveis o mais rapidamente possível, assim como em Mega Man 9. Os Challenges foram alterados, e agora não são mais objetivos a serem atingidos durante os níveis, mas sim rápidos níveis onde você deve cumprir requisitos variados, como elaboradas sequencias de pulo ou derrotar os chefes sem tomar dano. Embora sejam níveis extremamente curtos, exigem exímia precisão do jogador que tiver interesse em conseguir uma medalha de ouro em todos os 100 desafios.

Diferentes conteúdos adicionais estão programados para as próximas semanas. Bass, outro personagem recorrente na franquia que fez sua estreia em Rockman & Forte, foi confirmado como personagem jogável e pela primeira vez aparecerá em uma versão 8-bits acompanhado de Treble. Também estão confirmados o Endless Attack, uma junção de telas de diferentes níveis onde o objetivo é sobreviver o maior número delas, e três níveis especiais para o modo Time Attack com seus próprios robot masters.

A interface audiovisual se mantem no nível já estabelecido pela série há quase vinte anos. Seguir essa fórmula a risca realmente transmite a experiência de se estar jogando um jogo 8-bits, o que, embora seja fantástico para jogadores adultos e nostálgicos, pode não ter o mesmo apelo para jogadores da geração PlayStation. No final das contas, Mega Man 10 é um jogo bom e uma excelente pedida para os fãs da série, porém nem de longe causa o mesmo impacto que Mega Man 9 causou.

75%