AnálisesPS3

[PSN] Guacamelee!

Análise

NOME: [PSN] Guacamelee!
FABRICANTE: DrinkBox Studios
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Ação / Plataforma
DISTRIBUIDORA: DrinkBox Studios


LANÇAMENTOS
10/04/2013 10/04/2013 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução: 720p

Nº de Jogadores: 1-2 (co-op local)

Troféus (inclusive Platina)

Espaço necessário: 327 MB

Disponível na PlayStation Store (brasileira inclusa)

Cross-Buy e Cross-Save (Vita)

Leaderboards


Os jogos de ação/plataforma side-scrolling tiveram o seu ápice na Geração 16 Bits (Super Nintendo, Mega Drive), mas nunca deixaram de marcar presença nos diversos consoles surgidos desde então. Recentemente, o aumento da quantidade de desenvolvedores independentes com afinidade com o gênero trouxe uma torrente de jogos assim. Guacamelee! surge neste contexto e é um jogo sensacional em todos os aspectos, mostrando que jogos deste estilo ainda têm muito a oferecer.
 
 
 
Guacamelee é um Metroidvania inspirado na cultura mexicana. Você controla Juan, um pobre coitado que acaba se envolvendo com um grupo de vilões que sequestra a filha de El Presidente, sua antiga paixão. Após uma série de eventos, Juan encontra uma máscara mágica de Luchador (os lutadores de luta livre mexicana) e ganha poderes sobrenaturais. Com suas novas habilidades, Juan pode ir atrás do vilão Carlos Calaca, líder do bando, e resgatar a garota que ele ama.
 
A primeira coisa que você nota quando joga Guacamelee é que o jogo é muito, muito bonito. Com um visual desenhado, linhas retas e muitas cores e efeitos na tela, o jogo é de encher os olhos. Ele tem um estilo visual único, usando o folclore mexicano como base e expandindo-o, criando uma apresentação única. As músicas também são inspiradas na cultura mexicana e são ótimas no geral, sempre ajudando a estabelecer o clima dos lugares.
 
O combate do jogo é feito através de ataques físicos. Quadrado é o ataque normal, que pode iniciar um combo; Triângulo é o botão de agarrão, e os inimigos só podem ser agarrados depois de apanharem um pouco. Círculo usa os poderes especiais do personagem, que são conquistados com o progresso do jogo. Por fim, L2 é a esquiva e ela é essencial não somente para o combate, mas também para navegar pelos cenários. O sistema de combate, no geral, é muito bom, divertido e fácil de usar, mas exigindo um pouco de treino para masterizar. A quantidade de combos que podem ser feitos é imensa, e você pode sempre variá-los quando desejar.
 
O mundo do jogo, seus habitantes e suas histórias são bem interessantes. Cada NPC do jogo tem sua pequena história, e os vilões do jogo possuem um passado sombrio e que é mostrado aos poucos para o jogador. Os inimigos comuns são bem variados e são bem criativos, com alguns exigindo que você use todas as suas habilidades para derrotá-los.
 
 
 
Falando em habilidades, você inicia o jogo com quase nada, e ao longo da aventura irá encontrar diversos poderes que melhoram não somente os seus ataques mas também a forma como você navega pelas plataformas. Em alguns momentos perto do final do jogo você deverá usar 3, 4 ou 5 habilidades em cadeia para poder alcançar alguns lugares mais distantes, e conseguir fazer isso é sempre muito recompensador.
 
No melhor estilo Metroidvania, além de habilidades conquistadas ao longo da jornada, é possível encontrar pelos cenários ou comprar em lojas algumas habilidades e itens, permitindo que você consiga novos golpes e melhore os seus pontos de vida e sua stamina, que é usada para ataques especiais. O jogo é repleto de colecionáveis, e alguns são extremamente difíceis de conseguir, então quem gosta de um bom desafio vai se sentir em casa aqui. Vários destes itens só podem ser acessados com uma habilidade específica, então prepare-se para ir e voltar entre as áreas do jogo em busca de todos os upgrades.
 
Os controles são precisos e permitem que as seções de plataforma sejam feitas sem dores de cabeça. Conforme você ganha novas habilidades, a travessia do mapa fica cada vez mais difícil, mas você sempre sente que está no controle, e se falhar basta retornar e tentar novamente.
 
 
 
Além das missões principais, o jogo é repleto de missões opcionais que rendem itens de melhoria ou dinheiro para utilizar nas lojas. Elas são bem variadas e incluem resolver puzzles, encontrar ingredientes para cozinhar a “melhor enchilada já feita”, guardar todas as galinhas de um criador e várias outras.
 
Inspirado em clássicos como The Legend of Zelda: A Link to the Past, Guacamelee apresenta dois mundos: o dos vivos e o dos mortos. Cada um possui uma identidade visual única e com músicas que se adequam a ela. Em certo ponto do jogo você adquire uma habilidade que lhe permite trafegar entre os dois mundos a qualquer instante, e é impressionante ver quão rápida é a transição entre eles. A desenvolvedora também merece um elogio por ter criado dois estilos diferentes para todas as salas do jogo, um trabalho que certamente não foi simples.
 
Um elogio também é válido para o excelente humor do jogo e para a quantidade imensa de referências a outros jogos e séries que certamente influenciaram o desenvolvimento de Guacamelee. Super Mario Bros, Metroid, Mega Man, The Legend of Zelda e dezenas de outros jogos e até memes são homenageados aqui (confira uma lista que nós publicamos anteriormente), mas sem que o jogo se torne uma simples paródia. O jogo reconhece quem veio antes dele, e constrói uma identidade própria a partir disto.
 
O jogo possui legendas em português do Brasil, mas que não podem ser selecionadas livremente; a língua do jogo vai depender da língua da XMB. No geral, os textos ficaram bons, e em alguns diálogos a tradução ficou realmente muito boa, com termos bem traduzidos e adequados ao que nós, nativos, usaríamos. Porém, essas legendas possuem muito mais erros do que aquelas em inglês. Notei diversas faltas de pontuação, algumas frases meio desconexas, e até um momento em que o protagonista é chamado de “Jean”. No geral, está bom mas ainda tem muito a melhorar.
 
 
 
Além de tudo o que o jogo oferece para um jogador, é possível jogá-lo integralmente em co-op com um amigo. Esse co-op é apenas local, mas é bem funcional e irá divertir aqueles que tiverem com quem compartilhar a experiência. Dois detalhes interessantes: o segundo jogador pode usar um DualShock 3 ou um Vita funcionando em Remote Play, algo quase não visto nos jogos que oferecem esse tipo de multiplayer. Outro fato legal é que, através de uma combinação de opções, é possível jogar sozinho utilizando a segunda personagem, Tostada. Para aqueles que querem variar um pouco a jogatina é uma solução simples e boa, já que Tostada tem suas animações próprias, não sendo um clone de Juan.
 
Guacamelee não é sem defeitos, contudo. O jogo possui um bug que ocasionalmente irá prender você numa sala, impedindo o seu avanço e forçando você a sair do jogo e perder todo o seu progresso desde o último checkpoint. Isso aconteceu comigo e é um problema reconhecido pela desenvolvedora na própria página do jogo, e é realmente bem chato quando ocorre.
 
Algo que para alguns pode não ser problema, mas que me atrapalhou algumas vezes, é que quando você morre depois de pegar algum colecionável e não ativar um checkpoint, você irá perdê-lo e terá que conquistá-lo novamente. Posso estar acostumado com o sistema de colecionáveis de Uncharted e Tomb Raider, por exemplo, mas gostaria que todos fossem salvos assim que fossem pegos.
 
 
 
Uma última reclamação é que, apesar de toda a beleza visual do jogo, o mapa das áreas é muito simples, mal feito e parece ter sido feito às pressas. Os cantos do mapa são mal cortados e parecem ser mais um esboço do que um produto final. Ele certamente não combina com o restante do jogo, e é uma pena que seja tão simplório.
 
Mas no final, esses são detalhes menores que não tiram o brilho de Guacamelee! Ele é um jogo muito divertido, que prende a atenção do jogador e que me fazia querer jogá-lo mesmo quando eu estava longe do videogame. Ele também possui Cross-Buy e Cross-Save com a versão de Vita, então você irá comprar dois jogos pelo preço de um. Com uma boa duração (terminei a primeira vez, com 100% do jogo, em exatas 9 horas e 22 minutos) e com um conjunto completo de troféus, incluindo uma platina, Guacamelee! é uma excelente adição à biblioteca do PlayStation 3 e é um jogo obrigatório para quem gosta de diversão e desafio.
 
 

 


— Resumo —

+ Visual espetacular
+ Upgrades progressivos do personagem
+ Inimigos criativos
+ Muitos colecionáveis
+ Cross-Buy e Cross-Save com a versão de Vita
+ Divertido e desafiador

Bug que impede o seu avanço em algumas salas
Co-op apenas local
Mapa do jogo poderia ser mais bem feito

 

Jogo analisado com código fornecido pela desenvolvedora.

95%