AnálisesPS3

[PSN] Flower

Análise

NOME: [PSN] Flower
FABRICANTE: thatgamecompany
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Aventura
DISTRIBUIDORA: Sony Computer Entertainment


LANÇAMENTOS
12/02/2009 12/02/2009 12/02/2009


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Disponível na PlayStation Store

Nº de Jogadores: 1

Definição HD: 1080p

Troféus


Enganam-se aqueles que não consideram Flower um jogo. Por mais diferente que possa parecer, sua proposta, na verdade, já foi vista em vários títulos considerados hardcore, como Prince of Persia, Okami e The Legend of Zelda: Twilight Princess: trazer vida ao mundo.

A progressão se dá por fases, ou melhor, “sonhos”, e são seis deles no total, mais um bônus. Em cada um, o jogador começa a partir de uma única flor, controlando uma pétala sua ao vento. O objetivo é guiá-la até o turbilhão de flores ao fim de cada sonho, e no caminho ir coletando mais e mais pétalas. Cada sonho é diferente em sua proposta secundária, que pode ser pintar o campo de várias cores ou reviver uma cidade.

E é nesse aspecto que aparece a criatividade da thatgamecompany, que proporcionou experiências diversas baseadas em um mesmo conceito. Um dos sonhos têm vários cataventos, o que forma correntes de ar por toda a fase e limita o controle do jogador. Em outro, há imensas estruturas metálicas por todo lado, e para purificá-las é necessário se embrenhar em seu interior, mas também há faíscas que queimam as pétalas ao redor, e é preciso se aproximar do jeito certo.

Para controlar as pétalas utiliza-se o sensor de movimentos do Sixaxis, inclinando-o para o lado que se deseja ir com elas. Para “andar”, basta pressionar qualquer botão, sendo que L2 e R2 oferecem vários níveis de velocidade devido a sua profundidade. No geral, os controles são simples e agradáveis, mas em alguns momentos podem frustrar pelas limitações impostas em certas fases, já que simplesmente não é possível ir aonde você quer da forma que quer, sendo necessário chegar a tal lugar do jeito pré-definido. Até desistir, porém, você já vai ter retorcido o controle até cansar.

Cada sonho é representado por um vaso de flor no quarto que é o menu principal do jogo, e quando completados modificam o lugar, que no início está caindo aos pedaços. Antes de cada sonho também há uma pequena animação mostrando a vida na cidade de um ponto de vista triste e meio melancólico, que é o plano de fundo da, se é que se pode chamar assim, história do jogo.

Flower é, portanto, um jogo curto. Cada sonho leva em média 15 minutos para ser completado, tempo que pode aumentar consideravelmente se o jogador se entregar à experiência e tentar passar por todas as flores das fases. Como fator replay, há três flores secretas em cada sonho, que às vezes simplesmente estão em lugares inusitados, mas que normalmente só aparecem depois de certos requisitos terem sido atendidos. Os troféus do jogo também podem levar a algumas horas a mais de jogatina, mas em sua maioria podem ser todos coletados sem querer, desde que se preste atenção aos arredores de cada fase.

Uma proposta simples, realizada de forma a oferecer uma experiência calma e contemplativa ao jogador, mas que também diverte à sua maneira. Quando o primeiro sonho ruim aparece, o contraste pode pegar aqueles que estavam adorando voar sobre campos verdejantes de surpresa, mas é uma mudança necessária e bem-vinda à atmosfera do jogo. Pelo preço de dez dólares, Flower é recomendado a todos que conseguem se divertir não só com tiroteios e zumbis e que estejam a procura de algo descompromissado e único para se jogar entre um afazer e outro.

80%