AnálisesPS3

Metal Gear Online

Análise

NOME: Metal Gear Online
FABRICANTE: Kojima Productions
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Multiplayer Online
DISTRIBUIDORA: Konami


LANÇAMENTOS
12/06/2008 12/06/2008 12/06/2008


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Nº de Jogadores: 1-16 (Online)

Definição HD: 1080p

Headset

Presente em Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots


Falar de um jogo online, de uma comunidade, requer experiências pessoais e envolvimento. Essa análise não pode ser imparcial, obviamente. Talvez haja um grande abismo entre minhas opiniões e a do público geral (que odeia Metal Gear Online), por isso ressalto; leiam sem preconceito e talvez descubram o lado ofuscado, de um ótimo jogo, injustiçado pela maioria.

A ótica mais comum sobre Metal Gear Online é a de um mero brinde incluso no disco de Metal Gear Solid 4. Sem trophies então, não há muito incentivo para jogar. Grande parte dos jogadores provavelmente sequer testaram o multiplayer online, mas não há como culpá-los, a Konami impôs uma série de barreiras que demandam muita paciência de qualquer pessoa. A começar pelos updates absurdos, que exigem várias horas de download. Posteriormente, o jogo pede para cada usuário criar sua Konami e Game ID. São mais alguns minutos de pura burocracia, até que você possa finalmente criar seu personagem e entrar nos lobbies do jogo.

Pareceu problemático até agora? Para alguns, o pior ainda está por vir. Assim que o usuário inserir seu login e password, ele se depara com uma vasta gama de opções. São estatísticas pessoais, rankings, opções, entre outros tópicos. Nada como o bom e velho quickmatch (em MGO, o automatch), para finalmente experimentar o jogo. O que a maior parte do público nota em poucas horas de jogo são lags, trapaceiros e uma comunidade muito, repito, muito hostil. Jogar MGO exige estar preparado psicologicamente para os inúmeros "GG Scrub", "GTFO N3", "GOML" e outros termos pejorativos.

Lendo até aqui, você provavelmente pensa que eu odeio o jogo. Não é verdade. Metal Gear Online pede tempo, dedicação e paciência para ser apreciado plenamente. Talvez seja o shooter mais "hardcore" do mercado, há muito para se aprender. Todos os problemas citados acima podem ser contornados, principalmente o lag e os trapaceiros, jogando em salas privadas e de preferência, com brasileiros.

O gameplay é baseado no de MGS4, portanto, jogar o quarto episódio da saga de Solid Snake ajuda na familiarização dos controles básicos. O jogador sentirá falta de alguns comandos que Snake possui, mas não se preocupe, a maioria está inclusa em MGO por meio de habilidades/skills. Existe a opção de treinamento online também, em que um jogador mais experiente poderá apadrinhar novatos e passar uma série de ensinamentos.

As skills são fundamentais para o sucesso nas partidas. Algumas conferem maior especialidade com alguma arma, por exemplo, menor coice e maior rapidez na recarga. Outras podem dar novas habilidades de CQC e até mesmo ativar o sexto sentido do personagem, podendo detectar armadilhas em um determinado raio. À medida que são usadas, evoluem e habilitam um novo nível com mais funções. Alguns itens da série também estão presentes no online. A famosa caixa de Snake e o latão, em que Akiba se esconde no primeiro ato de MGS4, estão lá.

Graficamente, Metal Gear Online envelheceu bem, assim como MGS4. Destaque para as ótimas texturas, principalmente aos efeitos de barro em cenários como Blood Bath e de água empoçada em Hazard House. Apesar de raro, partidas com o máximo de jogadores (16) em mapas vastos, podem causar a queda de frame rate.

No quesito aúdio MGO quase não tem músicas próprias. São aproximadamente seis músicas originais, mas nada memoráveis, apenas servem como um bom background durante os confrontos. Mas assim como o iPod de Snake, MGO também conta com um vasto repertório de músicas de séries da Konami. O jogador pode escolher entre músicas de Zone of The Enders, Snatcher, Policenauts e de outros da série Metal Gear. Nada como ligar o seu "Rambo mode" ao som de "The Boss" de Metal Gear Solid 3. Ainda sobre o aúdio, não poderia deixar de mencionar as brilhantes falas de codec. Cada personagem tem seu set próprio de mensagens pré-programadas e é possível comprar mais via conteúdo baixável – DLC. São frases bem humoradas, que fazem parte da identidade do jogo.

Um dos méritos de MGO é a variedade. São 10 modos no total: Team Deathmatch, Deathmatch, Solo Capture, Capture, Stealth Deathmatch, Team Sneaking, Rescue, Bomb, Race e Interval. Todos estes liberados para todos os jogadores, mas apenas cinco mapas são inclusos no pacote básico de MGO. Com todas as expansões, são 15 mapas que combinados aos modos, eliminam a monotonia da repetição.

Já que citei sobre as expansões, vamos falar do pior e do melhor. O pior é o preço a se pagar, 18 dólares para adquirir todas as expansões. Parece caro, mas vale muito a pena. Além dos mapas novos, o jogo libera seis personagens "únicos" que muitos sempre sonharam controlar em MGS4. São eles: Meryl, Akiba, Liquid Ocelot, Mei Ling, Raiden e Vamp. Além disso, novos itens de customização para seu personagem/avatar são habilitados no Reward Shop do jogo. Este é uma espécie de loja que permite a compra de novas roupas e acessórios que usam RPs (Reward Points) como moeda. Existem vários modos de se ganhar RPs, mas o mais fácil é participando de competições oficiais promovidas todas as semanas.

O melhor de Metal Gear Online, certamente está em tais competições. Survival e Tournament mostram porque o jogo se destaca. Para participar, o ideal é formar um grupo de seis jogadores e o jogo selecionará outro grupo para um confronto, em regras pré-estabelecidas com modos e mapas aleatórios. Vitórias consecutivas garantem uma premiação maior e a participação de clãs é bastante comum nessa modalidade. O trabalho em equipe decide as partidas, uma boa integração entre os membros é essencial para o sucesso do time. Vale até jogadas ensaiadas. Acredite, elas funcionam com um time bem sincronizado!

Contudo, são nesses campeonatos oficiais que problemas com lag são dificéis de serem evitados, já que a escolha dos oponentes é na sorte (torça para não se deparar com mexicanos). Além disso, alguns jogadores se divertem de uma maneira distorcida, trapaceando com lagswitchs e o programa "mao". Felizmente a última atualização do jogo dificultou a vida destes trapaceiros, mas ainda é possível presenciar um infeliz vez ou outra.

Recentemente o jogo completou seus três anos de mercado. Assim como outros jogos online que ficam velhos, o público ativo é bem pequeno hoje nos servidores americano e europeu. No Japão, MGO é considerado o Counter Strike do ocidente – até hoje os servidores estão cheios. Parte da culpa pelo descaso do público ocidental vem da própria Konami que tardou em remediar os problemas de trapaças e pela falta de novos conteúdos ao jogo.

Minha experiência com Metal Gear Online não poderia ser melhor. Formei meu próprio clã, conheci muita gente bacana e me diverti bastante. Encontrei nele, algo diferente da mesmice dos jogos de tiro disponíveis no mercado. É um jogo que exige trabalho em equipe, escolher as skills certas, ser furtivo e, claro, atirar bem, ao passo que outros shooters pedem apenas uma boa mira e decoreba dos cenários. Ultrapassei 800 horas de jogo durante estes três anos de vida do jogo. Quando comprei MGS4, sequer cogitava jogar MGO. Portanto, recomendo a todos a experiência. Espero que mais jogadores e os leitores desta análise, dêem a chance merecida a este jogo diferente, com traços da indústria japonesa, e que une com maestria características da série Metal Gear e o que há de melhor nos shooters do mercado.

90%