AnálisesPSP

LittleBigPlanet

Análise

NOME: LittleBigPlanet
FABRICANTE: SCEE Cambridge / Media Molecule
PLATAFORMA: psp
GENERO: Plataforma
DISTRIBUIDORA: Sony


LANÇAMENTOS
20/11/2009 20/11/2009 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Disponível na PlayStation Store

Nº de Jogadores: 1


Embora desenvolvido por um estúdio diferente da versão para seu irmão maior (SCEE Cambridge e não mais a Media Molecule), LittleBigPlanet PSP permanece fiel ao seu lema: Play. Create. Share. Sem sombra de dúvidas, a manutenção da base dos seus aspectos de estruturais é excelente para os fãs, mas alguns detalhes na execução parecem ter deixado a desejar.

A parte do “Play” continua exatamente como esperávamos: cerca de trinta níveis de aventura de nosso já famoso (e praticamente mascote oficial da Sony) Sack Boy, através de sete localidades diferentes, que levam em conta aspectos geográficos do planeta. Os controles são leves e precisos ao seu modo (os que tiverem que realizar um salto de uma plataforma 15 vezes até conseguir logo saberão do que eu falo), se assemelhando muito à versão para o PS3. Em cada fase existem dezenas de itens para serem coletados, e diversos quebra cabeças que acumulam pontos a serem comparados com outros jogadores ao redor do mundo ao final das fases.

E neste ponto entramos em um dos aspectos centrais da experiência em LBP PSP: A necessidade de conexão à internet. Não que não seja possível se realizar o download de fases e armazena-las para jogar quando uma conexão à web está ausente; esta opção está disponível. Mas os que jogaram a versão para o PS3 certamente sentirão falta dos benefícios de se estar o tempo todo conectado à internet, o que via de regra não é o usual em um console portátil. Desta forma, fica certo gostinho amargo quando temos que esperar chegar a algum lugar com conexão à internet para poder compartilhar aquele nível que levamos mais de uma hora para criar, ou para baixarmos uma fase nova de algum outro jogador da comunidade quando já concluímos todas as que temos disponíveis. Se o jogador esquecer de baixar níveis novos antes de uma viagem, certamente ficará arrependido. De certa forma, a etapa de “Share” fica um pouco comprometida. Às vezes fica aquela impressão de que a proposta desta etapa do jogo se encaixaria melhor em um celular com 3G, que pudesse estar o tempo inteiro conectado.

Mas de forma nenhuma isso tira os méritos do jogo. Ainda trata-se do aclamado LittleBigPlanet, agora em uma tela menor. A etapa de “Create” continua em seu lugar, funcionando exatamente como o esperado e de forma bem semelhante à versão para o PS3. Apenas o excesso de passos para se realizar algumas atividades e alguns leves slowdowns quando temos muitos objetos na tela poderão ser notados pelos jogadores, mas que são compreensíveis principalmente por se tratar de uma versão para um console portátil.

Graficamente, trata-se do mesmo jogo charmoso e visualmente agradável ao qual já estávamos acostumados. Muitos detalhes, efeitos de luz convincentes, materiais muito bem construídos, e certamente uma das melhores experiências gráficas para o portátil da Sony. Seu áudio também é um ponto de grande destaque. Às vezes nem parece que se trata de um jogo de um console portátil, tão grande é a quantidade e frases e diálogos apresentados em diversas línguas, inclusive em português (de Portugal, mas tirando o sotaque um pouco carregado para o que nós brasileiros estamos acostumados, dá para apreciar muito bem e enriquecer ainda mais a experiência geral do jogo).

Mas o ponto que mais tira pontos da experiência geral de LittleBigPlanet é a ausência de um modo multiplayer. Aqueles quartos secretos para obtenção de itens que só podiam ser acessados por dois, três ou quatro jogadores simultâneos estão ausentes desta vez. E os que jogaram a versão anterior sabem o tanto que era divertido jogar fases criadas por outros jogadores em grupos, realizar os quebra cabeças ou apenas criar dancinhas e dar “tapões” na cara dos outros jogadores em seu “pod”, sem nenhum objetivo específico, apenas pela diversão. As já citadas dificuldades de se manter conectado à internet podem justificar esta ausência, mas o fato é que reduz o fator replay do jogo unicamente a jogar níveis criados por outros jogadores e criar níveis. A ausência de conexão com o PS3 também é um aspecto negativo, pois diversas criações ou vestimentas poderiam ser reutilizadas no PSP.

Mas como dito anteriormente, de forma nenhuma estes pontos negativos desmerecem LitteBigPlanet PSP. Ainda trata-se de um excelente jogo de plataforma que já valeria a pena se os aspectos “Create” e “Share” não estivessem disponíveis. Belíssimo graficamente, com um áudio pra lá de inspirado, com dezenas de fases e possibilidades de jogar diversas outras criadas pela comunidade, LittleBigPlanet PSP definitivamente merece a compra.

88%