AnálisesDLCPS4

Episódio 5 – Colorado (Hitman)

Análise

NOME: Não disponivel
FABRICANTE: Não disponivel
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Não disponivel
DISTRIBUIDORA: Não disponivel

LANÇAMENTOS
Não disponivel Não disponivel Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Não disponivel


Seguindo o rastro do cliente fantasma que parece estar por trás dos principais contratos enviados à ICA, Agente 47 vai até o estado do Colorado, nos EUA, onde uma milícia escolheu como campo de treinamento uma fazenda de damascos.

Dessa vez, os alvos a serem eliminados são ao todo quatro: um torturador ex-membro do Mossad (serviço secreto de Israel), dois terroristas e uma ex-integrante da Interpol. Ou seja, a escória da humanidade decidiu reunir-se no mesmo local com um único propósito: curvar o mundo à sua vontade.

Por conta disso, os inimigos são extremamente bem armados, praticamente sem exceção, pois até o cozinheiro anda munido de uma escopeta. Portanto, a infiltração ao perímetro deve ser cuidadosamente estudada, já que toda área é restrita. Uma vez que não há cidadãos comuns, apenas soldados da milícia, não há a possibilidade de se misturar entre as pessoas. Por outro lado, esse fato também ajuda por diminuir o número de testemunhas, caso sejam necessárias algumas medidas extraordinárias da parte do jogador, tendo que eliminar guardas e demais obstáculos que porventura surjam no caminho do Agente 47.

O fato de ter que eliminar quatro alvos também aumenta a necessidade de coordenação entre uma morte e outra. Atirar e sair correndo para buscar um local de fuga irá servir apenas para chamar a atenção de todo o exército paramilitar. Por isso, aproveitar as oportunidades que surgem é de suma importância, senão a dificuldade da missão pode se tornar extremamente alta.

Nesse quesito, aliás, as armadilhas são tão criativas como é de se esperar em qualquer jogo da série Hitman. Ocasionar um acidente em que um dos alvos manipula objetos químicos altamente inflamáveis, fazer com que um monte de feno despenque sobre a cabeça de outro alvo, ou ainda aguçar o TOC de um deles desarrumando seus objetos pessoais, deixando-o à beira de um ataque de nervos, são apenas algumas das possibilidades de assassinar os alvos de maneira incógnita.

Todo o desenrolar do episódio se restringe à fazenda e suas imediações. Não há a complexidade de level design encontrada em Sapienza, os corredores labirínticos de Marraquexe, ou mesmo a grandiosidade do luxuoso hotel em Bancoque. Mas há sim um maior aproveitamento de todo o ambiente. Cada pequeno canto da fazenda, sejam os pomares de damascos, a estufa de plantas, o celeiro, a oficina mecânica, enfim, é tudo muito bem aproveitado durante o jogo.

Apesar de ter sido dividido em episódios, até agora Hitman não havia conseguido criar expectativa quanto à sua história. Entretanto, pela primeira vez, o desfecho do quinto episódio termina com certa tensão. Não chega a ser um cliffhanger, mas de qualquer forma, finalmente o jogo dá a sensação de que de fato há uma história permeando todos esses contratos de assassinatos.


 

Veredito

Mesmo com um mapa menor, em comparação aos episódios anteriores, mas aproveitando ao máximo os mínimos espaços, o quinto episódio de Hitman amarra as pontas soltas, entregando além de uma ótima experiência de gameplay, uma história que parece se tornar um pouco mais palatável.

Jogo analisado com código fornecido pela Square Enix.

90%